Publicidade: Alfa

Rio acompanha otimismo brasileiro sobre o mercado em 2017

As agências brasileiras já acreditam que 2017 poderá fechar melhor do que 2016. A afirmação é da Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro), a partir do levantamento feito com 161 agências de todo o País, em seu indicador trimestral “Visão de Ambiente de Negócios em Agências de Propaganda (VAN PRO)”

A terceira onda da pesquisa trimestral, referente ao 3º trimestre, de uma maneira geral apresenta uma retomada de negócios e de otimismo por parte das agências de propaganda. Enquanto no primeiro trimestre apenas 38,5% das agências reportaram um melhor desempenho em relação ao mesmo período do ano passado, no terceiro trimestre esse número quase duplicou, com 61,5% das agências declarando melhor ambiente de negócios. O número já havia melhorado no segundo trimestre – 40,3% -, mas o salto é muito mais expressivo agora.

A expectativa para o 4º trimestre também melhorou, em relação ao 3º trimestre (de 35% para 38,8%), embora ainda não tenha alcançado o índice observado no final do 1º trimestre, quando mais 43% esperavam uma melhora para o trimestre seguinte. Quem puxa o índice para cima é o Sudeste, com 42,3% de otimistas.

Para o fechamento do ano de 2017 o salto do otimismo é grande. Para 65,5% o ano fechará melhor do que 2016, contra apenas 19,3% declarando perspectiva de piora (o restante acha que ficará igual). Este número já era positivo nos trimestres anteriores (1º: 59,1% e 2°: 58,2%), mas não tanto quanto o observado agora. A região mais otimista com relação ao fechamento do ano é a Centro-Oeste (90%) e a menos otimista é o Sudeste, com 60,6% prevendo melhores resultados. Ainda assim, todas as regiões ficaram com nível de otimismo acima de 60% pela primeira vez no ano.

Somente o número de concorrências e licitações caiu em relação aos trimestres anteriores (1º trimestre: 43% declarando aumento/ 2º trimestre: 44,8% e 3º: 38,3%), o que pode ser encarado com naturalidade para o período do ano, sujeito a menos movimentações.

A Janela conseguiu, com exclusividade, um corte da pesquisa que destaca o comportamento, nas respostas, das agências cariocas, comparadas com as da região sudeste e de todo o Brasil:

1- Como foi o terceiro trimestre de 2017 comparado ao mesmo período do ano passado?

  Brasil: Sudeste RJ
Melhor: 61,5% 57,3% 75%
Pior: 26,5% 32,1% 25%
Igual: 12,0% 10,7% 0%

2- Como foi o terceiro trimestre de 2017, comparado ao trimestre anterior deste ano?

  Brasil: Sudeste RJ
Melhor: 61,5% 54,3% 50%
Pior: 18,0% 27,4% 50%
Igual: 20,5% 18,3% 0%

3- Número de concorrências e licitações, comparado ao mesmo período do ano passado

  Brasil: Sudeste RJ
Aumento: 42,9% 48,3% 25%
Diminuição: 27,4% 27,9% 50%
Igual: 29,7% 23,8% 25%

4 – Número de concorrências e licitações, comparado ao trimestre anterior

  Brasil: Sudeste RJ
Aumento: 38,3% 36,5% 25%
Diminuição: 19,0% 22,7% 25%
Igual: 42,7% 40,9% 50%

4- Expectativa de investimento em propaganda por parte dos clientes no 4º trimestre de 2017

  Brasil: Sudeste RJ
Melhor: 38,8% 42,3% 50%
Pior: 13,3% 17,7% 25%
Igual: 47,9% 40,0% 25%

5-    Expectativa para o fechamento de 2017

Brasil Sudeste  RJ
Melhor: 65,5% 60,6% 50%
Pior: 19,3% 21,7% 25%
Igual: 15,2% 17,8% 25%

6-    Quais os setores da economia que impulsionaram mais negócios?

  Brasil Sudeste RJ
Serviços Serviços Comércio
Comércio Comércio Serviços
Indústria Público Público

 

Publicidade: Dinâmica Talentos

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta