Publicidade: Alfa

Petrobras responde às críticas da AMPRO

Petrobras

As acusações que a Associação de Marketing Promocional (AMPRO) fez esta semana à Petrobras por sua licitação (leia aqui) teve uma resposta formal esta tarde da petroleira, explicando que em contratações de fornecedores, a BR segue normas restritas por lei.

Em conversa com a Janela, integrante da área de comunicação da BR considerou injustas as acusações: “Não faz sentido acusar a Petrobras pelo seu passado, quando temos aqui profissionais que estão trabalhando com muita seriedade para disputar o mercado brasileiro de combustíveis, dentro de uma série de compliances estabelecidas exatamente para não deixar dúvidas sobre o que fazemos”, afirmou.

Veja a nota oficial da BR:

A Petrobras Distribuidora acredita que são indevidas as críticas da AMPRO à licitação lançada pela BR de forma clara e transparente em busca do melhor serviço pelo melhor preço. Cabe às agências participantes apresentarem propostas exequíveis com manutenção de qualidade dos serviços.

A escolha da vencedora não é facultativa à BR, que busca sempre a melhor condição dentro de um procedimento formal e de acordo com as regras da licitação. Nesse sentido, e por determinação expedida pelo Tribunal de Contas da União (TCU), é vedado à Petrobras Distribuidora desclassificar propostas econômicas por presunção de inexequibilidade, mas sim a partir de critérios objetivos e contundentes. Como a remuneração global é composta de linhas de preços, é possível que a remuneração obtida em uma linha de serviço seja o suficiente para garantir a outra, considerando o valor global do contrato, de R$ 94 milhões.

Publicidade: Dinâmica Talentos

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta