Justiça questiona voto do Conar sobre Dolly e abre precedente

Coelhinhos, da Dolly para a Páscoa

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou que o Conar cancele a proibição de veiculação do comercial “Coelhinhos”, que a marca de refrigerantes veiculava na Páscoa desde 2007 e foi suspenso em maio de 2017. A informação, passada pela assessoria da empresa, afirma que o despacho confirmou a liminar emitida neste sentido em setembro de 2017, pelo Juiz Marcelo Augusto Oliveira, da 41ª Vara Cível, que pedia ao Conar que julgasse a portas abertas a representação que questionava o comercial. O entendimento é que o sistema de votação do Conar, fechado entre os membros das suas câmaras, limita o direito do contraditório e da ampla defesa.

O Conar havia rejeitado o comercial de Dolly pelo fato de haver locução das próprias crianças, além de algumas aparentarem idade inferior a três anos, não tendo, assim, discernimento para testemunhar a favor de refrigerantes açucarados.

Como o Conar não cumpriu a determinação do Juiz Marcelo Augusto Oliveira, foi intimado, na última quarta-feira (07/03), a retirar a proibição de veiculação da campanha.

A prevalecer a decisão da Justiça, fica aberto um precedente para que qualquer outra empresa reverta as decisões tomadas pelos conselheiros do Conar usando as mesmas alegações.

MX Publicidade
Publicidade

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta