• Colunistas 2019. Para quem sabe vencer desafios.
  • A Rede nasce para atender cliente “que tem medo de agência”

    A Rede: João Faccioli (Mídia 1), João Azevedo (Faaz), Lica Repetto (MTG), Antônio Jorge Pinheiro (Mídia 1), Suzana Machado (MTG) e Romilton Viana (Mídia 1).

    O mercado carioca está ganhando um coletivo de empresas batizado de “A Rede”, que une os esforços da Mídia 1, Faaz Comunicação e MTG-Mind The Gap Comunicação. Em conversa com a Janela, seus diretores não escondem que pretendem dar suporte aos anunciantes cariocas que não têm conseguido ser atendidos nem por agências grandes, “por não terem verba de mídia suficiente”, nem pelas pequenas, “por não poderem pagar um fee mensal”.

    Segundo o manifesto da Rede, “não dá mais pra fazer propaganda como se fez até hoje”. A conclusão é resultado da parceria que as três empresas começaram a desenvolver, informalmente, há nove meses. Como consideram que a experiência foi um sucesso, seus diretores decidiram que era hora de formalizar, para o mercado, a proposta de trabalho.

    E a Rede adianta que vai prospectar ativamente o mercado, garantindo que seus custos serão “do tamanho do bolso do cliente”. Para isso, explica Suzana Machado, da MTG, o grupo terá a flexibilidade de ampliar ou reduzir a sua equipe atendendo à cada necessidade que surgir.

    Do lado da mídia, Antônio Jorge Pinheiro acrescenta que a Rede já assumiu como política não fazer questão dos BVs dos veículos. “Toda margem que conseguirmos nas negociações iremos repassar para os nossos clientes”, prometeu.

    O coletivo já começa trabalhando em um projeto para o site de imóveis Quinto Andar. Caberá à Rede divulgar o contrato que o site firmou com a Cipa Imóveis.

    Na foto, da esquerda para a direita, João Faccioli (Mídia 1), João Azevedo (Faaz), Lica Repetto (MTG), Antônio Jorge Pinheiro (Mídia 1), Suzana Machado (MTG) e Romilton Viana (Mídia 1).

    Marcio Ehrlich

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
    seta