Grupo Coruja. Sua marca em movimento.
Publicidade

Chegou a hora de as agências digitais pensarem no branding

Camisetas da UM_Digital

A tese é dos diretores da agência UM_Digital, que nasceu no Rio na última semana e, em seu evento de lançamento, dia 13/09, no WeWork carioca, reuniu o mercado exatamente para debater o que estão chamando de “Digital Branding”.

“Muitas agências digitais começaram a ser criadas mais por algoritmos e por engenheiros”, aponta Fábio Medeiros, ex-diretor da Multicom, que agora, com seu sócio Gabriel Martins está associado a Carlos Paulo Jr., ex-Umbrella, na UM_Digital. Diz Medeiros que, com isso, estas agências digitais acabaram perdendo a “alma da propaganda”, que deveria ser o seu objetivo. “Do antigo Mad Men estamos agora com o Mad Math”, brinca Medeiros, para criticar a posição da matemática acima da criação.

Carlos Paulo Jr., por exemplo, defende que as agências digitais não pensem apenas em contratar programadores, mas passem a contratar profissionais que tenham experiência em criação de agências de publicidade. “Fizemos isso um bom tempo com o João Santos, que agora está na Wide, mas nos ajudou muito na Umbrella a desenvolver o pensamento de branding”, revelou.

UM_Digital e WeWork
Aproveitando o evento ser numa sexta-feira, 13, a UM_Digital brincou com a superstição de passar por baixo da escada em seu lançamento.

Paulo Jr., que é diretor do capítulo carioca da Associação Brasileira de Agentes Digitais (Abradi-RJ), lembra que não basta o pessoal das agências digitais focar em performance, sem construir a marca do cliente. “O que agrega valor à comunicação é o branding”, exclama.

Seu sócio Fábio Medeiros acrescenta que no oceano de informação que se tornou a mídia digital, os clientes precisam voltar a perceber que não basta conseguir somente o clique imediato. “É como o varejo que dá muito desconto e não cria marca. Se ele parar de vender barato, o cliente desaparece. Os anunciante digitais têm que retomar a boa e velha propaganda, que faz o usuário lembrar da marca mesmo quando não estão sendo atingidos diretamente”, citou.

Como asseguram que a realização de eventos também cabe ao pensamento de branding das agências digitais, no encontro que promoveu no WeWork, inclusive, a turma da UM_Digital promoveu uma ação com intervenções no espaço, espalhando sinalização, distribuição de brindes e uma mecânica de promoção envolvendo o conceito “sem medinho” criado pela agência. O resultado, conta Medeiros, é que cerca de 1500 pessoas e 300 empresas residentes no Wework Carioca foram impactadas pelas ações da agência, tanto na comunidade virtual quanto no espaço interno.

Entre as iniciativas, foi montado um quadro de post-its para as pessoas deixarem mensagens sobre o que elas “não têm medinho”. As melhores frases foram premiadas com brindes de hora em hora, com retroalimentação nas redes sociais da agência e na comunidade virtual do Wework.

“Tudo isso para provar que o branding se constrói cada vez mais na web. Cada vez mais as empresas estão se atentando para a necessidade de ter a presença digital alinhada e coerente com todo o discurso de marca e com os demais canais”, Carlos Paulo Jr.

UM_Digital e WeWork
A equipe da UM_Digital e o staff do WeWork reunidos no evento

PUBLICIDADE

Eletromidia
Tupi FM. A única diferença é a qualidade.

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta