• Campanha de Bolsonaro enfrenta recusas de veiculação

    O Brasil não pode parar

    Alguns veículos de comunicação já notificaram a Secom de que não aceitarão veicular a campanha “O Brasil não pode parar” como material de comunicação de governo, ou seja, gratuitamente. Segundo amigos da Janela, estes veículos dizem que a atitude “não se deve a qualquer posicionamento comercial e sim por razões humanitárias”.

    A campanha (veja link abaixo) reforça o pronunciamento de Bolsonaro esta semana de ser contra o fechamento do comércio e a quarentena da população como forma de proteção contra o coronavírus.

    A postura do presidente vai contra tanto a determinação da Organização Mundial de Saúde (OMS) como de seu próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

    De acordo com os veículos, já que se mantem na contramão das recomendações internacionais, o Governo Federal deve veicular os materiais como peça publicitária, não como mensagem de utilidade pública.

    De acordo com informações que recebemos, entre os veículos que não pretenderiam publicar as peças estão os da Editora Globo e o Google. A Janela tentou confirmação oficial, mas sem resposta até o fechamento desta matéria.

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    Bolsonaro contrata sem licitação para campanha de R$ 4,9 mi (em 27/03/2019)

    PUBLICIDADE

    Tupi FM.

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    seta