Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 28/MAR/1980
Marcia Brito & Marcio Ehrlich

 

Janela Publicitária
Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Tribuna da Imprensa.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.


ABP entrega o Prêmio Comunicação 79 em almoço prestigiado pela classe.

Luiz Macedo, Said Farhat, Chagas Freitas e Roberto Marinho
Luiz Macedo cumprimenta Roberto Marinho, assistido pelo Ministro Said Farhat e o Governador Chagas Freitas
Edeson Coelho, Allan Long e Luiz Macedo
Edeson Coelho cumprimenta Luiz Macedo, assistindo por Allan Long, da Souza Cruz
Marcio Fortes, JoãoFortes, Luiz Macedo e Guilherme Figueiredo
Marcio Fortes, João Fortes, Luiz Macedo e Guilherme Figueiredo
Ruy Schneider, Marcio Ehrlich e João Roberto Marinho
Ruy Schneider, Marcio Ehrlich e João Roberto Marinho (O Globo)
Foi realizada com o maior sucesso a festa de entrega do Prêmio Comunicação 79 da ABP - Associação Brasileira de Propaganda, terça-feira última, 25 de março, no Rio Palace.
Cerca de 700 pessoas compareceram para homenagear o Ministro Said Farhat, Personalidade do Ano; Souza Cruz, Anunciante do Ano; O Globo, Veículo do Ano; e MPM Propaganda, Agência do Ano.
Como já foi divulgado, o Prêmio Comunicação foi instituído pela ABP para homenagear anualmente, em âmbito nacional, personalidades, anunciantes, veículos e agências que mais tenham se destacado ou contribuído para o aprimoramento e engrandecimento das indústrias da comunicação e da propaganda no país.

PERSONALIDADE DO ANO: SAID FARHAT

A ABP justificou a premiação do Ministro Said Farhat porque "sua convocação para o Ministério abriu nova fase nas relações profissionais entre o mercado de comunicação e o Governo, já que, como publicitário e jornalista, ele conhece melhor do que ninguém os problemas setoriais;
Pelo desempenho como porta-voz do Presidente da República, uma atividade universalmente reconhecida como das mais difíceis;
Pela preocupação da SECOM com a proposição de atividades de comunicação destinadas a criar confiança na comunidade;
Pelo estímulo à criação de mentalidade de prestação de contas do Governo à Sociedade, através de campanhas institucionais dos órgãos públicos;
Pelo apoio às iniciativas da classe publicitária, através do prestígio e do comparecimento pessoal a várias solenidades de congraçamento;
Pela abertura da SECOM a uma salutar troca de ideias com representantes da classe publicitária;
Por manter a SECOM democraticamente em seus limites regimentais de atuação;
Pelo que representa para a classe o fato de um de seus membros atingir o elevado cargo de Ministro do Estado, no exercício de uma Pasta a ela diretamente ligada".

ANUNCIANTE DO ANO: SOUZA CRUZ

A Souza Cruz foi escolhida Anunciante do Ano "pelo seu comportamento ético como anunciante. Bem antes do Código de Auto-Regulamentação entrar em vigor, a Souza Cruz já tinha o seu próprio código;
Pela sua postura no mercado, como anunciante, com um comportamento irrepreensível diante de veículos e agências;
Pela sua expressa preocupação em prestigiar o elemento nacional: das quatro agências que a servem, três são brasileiras, e os temas genuinamente brasileiros estão sempre presentes em sua propaganda;
Pelos altos padrões técnicos e artísticos alcançados pelos seus filmes, anúncios e demais materiais de comunicação. É um anunciante que estimula e valoriza a boa qualidade dos trabalhos que encomenda;
Pela sofisticação do seu Departamento de Marketing, um dos mais completos do país;
Pelo estímulo à criatividade das agencias. É um anunciante que soube perceber a importância do pessoal da Criação no processo de vendas".

VEÍCULO DO ANO: O GLOBO

A escolha do Globo deveu-se à sua performance em 1979 como também pela sua trajetória desde a sua fundação;
Pela sua grande participação e contribuição à comunidade em que vive;
Pela sua irrepreensível postura ética perante seus leitores, anunciantes e agências de propaganda;
Pela modernização do seu parque gráfico;
Pelo volume e qualidade de informações e serviços que presta aos seus leitores;
Pelo desenvolvimento e criação de novas opções no mercado de anúncios classificados;
Pelo crescimento de sua circulação, ultrapassando 400.000 exemplares aos domingos;
Pelo sempre presente apoio às iniciativas da classe publicitária e especialmente, à ABP".

AGÊNCIA DO ANO: MPM

A MPM foi considerada Agência do Ano "porque se mantém há anos no "ranking" das maiores agências brasileiras, sempre em níveis de estabilidade;
Porque soube perceber com eficiência os fenômenos de um mercado nacional de consumo cheio de matizes e diferenças sócio-econômicos e culturais;
Porque sua rede de escritórios montados nos principais centros do país representa um processo de integração nacional.
Porque abriu seu leque de atuação a ponto de abrigar hoje clientes de Governo e grande anunciantes da iniciativa privada;
Porque exibe hoje um dos menores índices de "turn­over" de clientes, com baixíssima rotatividade;
Porque se adapta constantemente às novas solicitações profissionais, mobilizando quadros nas áreas de criação, planejamento e execução para operações fora da rotina;
Porque contribui decisivamente para elevação dos níveis profissionais, pelo intercâmbio que promove entre suas unidades operacionais;
Porque não limita sua atuação ao mercado nacional, atingindo também o mercado internacional, onde já presta serviços a clientes em campanhas especificas".

Y&R, Thompson e McCann são as maiores agências de 79.

A Young & Rubricam foi em 1979 a agência americana que o maior faturamento obteve em todo o mundo - 1.921 milhões de dólares - segundo levantamento da revista Advertising Age. Apesar disto, sua rentabilidade internacional foi superada pela J. Walter Thompson e McCann Erickson, que na lista das dez maiores agências americanas no mundo ficaram em 2º e 3º lugares respectivamente em faturamento, com 1.693 e 1.670 milhões de dólares.
Abaixo destas três, vieram a Ogilvy & Mather (1.392,6), a Ted Bates & Co. (1.203), a SSC&B (1.021), a BBDO (985,5), a Leo Burnet (950,7), a Foote Cone & Belding (918,1) e a D'Arcy-Mac Manus & Masius (853,6), na mesma ordem de faturamento quanto da rentabilidade. A renda bruta da Thompson foi 14,99% de seu faturamento, enquanto da Y&R, 12,83%. A maior rentabilidade, da Ted Bates, foi de 15,04%.
Se for considerada apenas a rentabilidade das agências americanas por seus escritórios nos Estados Unidos, a situação muda: a McCann Erickson cai para o 10º lugar, abaixo da Y&R, da Thompson, Ogilvy & Mather, Ted Bates, Foote Cone & Beldlng, Leo Burnett, BBDO, Grey e Doyle Dane Bernbach.
A lista também sofre alterações quando considerada apenas no comportamento das agências fora dos Estados Unidos: a McCann passa para o primeiro lugar, com uma renda bruta de 45 milhões de dólares superior à J. W. Thompson, que ficou em segundo no resto do mundo. Abaixo delas, vem SSC&B, Ogilvy & Mather, Young & Rubicam, Ted Bates, D'Arcy-Mac Manaus & Masius, BBDO, Leo Burnett e Campbell-Edwald.
Este é o quarto ano em que a revista Advertising Age realiza seu ranking por receita bruta, em vez de faturamento. A mudança, segundo a AA, se deve à maioria das agências americanas terem reconhecido que a receita bruta é uma medida mais significativa do tamanho e do desempenho da empresa.
No Brasil, aos poucos este conceito começa a se firmar, apesar dos protestos daquelas que querem esconder sua baixa rentabilidade. Há dois anos a Janela tentou realizar um ranking de rentabilidade, e enviou questionários às 30 maiores agências brasileiras por faturamento. Apenas três responderam.

Valorização dos mercados regionais será tema do 3º Encontro de Criação.

O Conselho Nacional dos Clubes de Criação, entidade que coordena as atividades dos clubes de criação a nível nacional, realizou ao sua primeira reunião em Belo Horizonte, nos dias 21 e 22 de março.
Por decisão unânime dos clubes representados nessa reunião - Bahia. Minas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Associação dos Trabalhadores em Propaganda de Pernambuco - o 3º Encontro Nacional de Criação Publicitária, que será realizado em Belo Horizonte nos dias 25 a 28 de setembro, vai ter como tema fundamental a "valorização dos mercados regionais".
O Conselho tomou algumas decisões Importantes para o setor. Entre elas, aprovou os seus Estatutos, fez uma série de recomendações concretas para dinamizar a atuação dos clubes, aprovou moção de apoio à democracia no júri do prêmio "Profissionais do Ano" da Rede Globo, e tomou posição diante do problema das demissões de profissionais em todo o país. Também produziu, depois de exaustiva discussões, como documento básico da reunião, uma carta em que se posiciona diante dos grandes problemas nacionais, que afetam diretamente ou indiretamente a nossa atividade.
A essa reunião, que foi considerada por Pedro Galvão, presidente do Conselho, "uma excelente oportunidade para os clubes trocarem experiências entre si", compareceram os seguintes profissionais: Raul Cruz Lima, representando o CC de São Paulo; Carlos Pedrosa e José Monserrat, do Rio; Paulo Buffara, do Rio Grande do Sul; Marcelo Fonseca, da Bahia; Ronidalva Andrade, da ATP de Pernambuco; Ronald Andrade, Edmir Morais e Jack Rosmans, do Clube de Minas, que organizou a reunião; além do próprio Pedro Galvão, presidente do CNCC, Hélio Faria, vice-presidente, e Ivânio Cunha, Tesoureiro.

Cartas

• Do presidente do CCRJ, Carlos Pedrosa:
No dia 31 de março (uma data que ninguém esquece) despede-se do gentil publico carioca mais uma administração do CCRJ.
Termina o nosso mandato, começa o do Triunvirato Carlos Martins, Fernando Gerardó e Hayle Gadelha.
Lá vai o balancete: a casa está em ordem, o Clube ouriçou geral com seus 25 debates, palestras e promoções, realizadas em 1 ano!
A ficha bancaria é limpíssima, sem um guinéu (!!!) de dívida. Vida civil e fiscal absolutamente em dia, o CCRJ está com todos os ministérios, secretarias, contenciosos e almoxarifados.
Aumentou o número de Sócios, ganhou endereço e local para reuniões, alvarazou-se, profissionalizou a infraestrutura, contratou 3 funcionários, organizou cadastros, carteiras, cobrança, fundou o jornal que já vai dando uma rendinha agradável, com gerência comercial, montador e tudo mais.
Mas isso é o mínimo que alguém pode esperar de uma diretoria que se preze. O mais Importante foi que o CCRJ manteve sua linha de independência; questionamento constante de atenção para todos os problemas que direta ou indiretamente atingissem o setor e a classe. E assim, manteve também o respeito do mercado, dos veículos, dos empresários e dos companheiros de profissão.
Agora, isso aí não fomos nós que conseguimos. Foi a firme consciência dos homens de criação do Rio de Janeiro, gente que hoje em dia conhece muito bem o valor do trabalho organizado, e o quanto ele é importante na sociedade em que vivemos.
Aos colunistas, o agradecimento da diretoria que se manda e um último pedido: todo apoio a Martins, Gadelha e Gerardó.
Esses caras vão dar o que falar.
Um abraço do Carlos Pedrosa.

* Da Fathom Filmes (telegrama):
"A Fathom agradece pela surpresa do Prêmio Melhor Conjunto de Comerciais de 79, surpresa que nos deixa extremamente felizes e aguardando a primeira oportunidade de comemorarmos juntos."

Brainstorming • Brainstorming • Brainstorming

Não será surpresa para esta coluna se o jornal O Estado de São Paulo se filiar ao IVC - Instituto Verificador de Circulação. E atrás dele, é óbvio, virão as Folhas e os outros jornais paulistas.
• • •
João Moacir de Medeiros afirmou, na presença de vários publicitários, na festa da ABP, que não passará da próxima semana a publicação do edital de convocação para as eleições do Sindicato de Agências de Propaganda do Rio. Como Medeiros é um profissional de palavra, temos certeza que desta vez o edital sai.
• • •
A Vasp está dando um verdadeiro banho na Varig-Cruzeiro em sua publicidade, que, afinal, é realizada por uma agência reconhecidamente competente, a Almap. Quanto tempo ainda levará para a Varig descobrir (como já aconteceu com a Phillips) que uma house-agency não pode ter a mesma agilidade que uma agência autônoma?
• • •
A conta do cigarro Marlboro já está sendo ativada pela McCann Erickson, de São Paulo, E, pelo que ouvimos, a McCann ainda pegará mais produtos da Philips Morris, que estavam sendo atendidos por outras agências.
• • •
A SuperPublicidade aumentou seu capital para Cr$ 10 milhões, sendo Cr$ 9.999.999,00 da Supergasbrás Ind. e Com. S/A e Cr$ 1,00 da Superdata S/A Processamento de Dados. Segundo o Sr. Wilson Lemos de Moraes, da Supergasbrás, informou a esta coluna, a empresa continua aberta a receber propostas de negociações com agências de propaganda, já que não houve continuidade nas conversações com a SGB.
• • •
Troca-Troca: Ney Murce (ex-Artplan) entrou para o atendimento da Superpublicidade. * Chico de Almeida (ex-Nashua) largou a publicidade para exportar cereais no Pará. • Lúcia Helena Viviane (ex-DPZ) está assumindo na Belgrávia. • O redator Jorge Murtinho deixa a Diler & Ellis para assumir na Thompson.
• • •
A eleição da Associação dos Contatos de Veículos foi transferida para o dia 23 de abril.
• • •
O IBOPE tem novo endereço: Av. Passos, 101, 11º andar, com os telefone 243-5799 e 143-6794.
• • •
Luís Eduardo Potsch (ex-Spal-Coca­Cola) está sendo contratado para supervisor da Associação Brasileira de Anunciantes. Potsch já foi diretor de promoções da ABA. E na ABA-RJ, Alberto Roriz Cerqueira Leite está assumindo a função de diretor-secretário, no lugar de Olga Torres. Ambos são da Nova América.
• • •
O Clube de Criação de São Paulo comunica que "tendo em vista a dificuldade de controle, por parte do Clube, da veiculação ou não das peças inscritas" deliberou-se aceitar peças produzidas até a data do fechamento das inscrições (março-80), independente de terem sido veiculadas ou não.
• • •
A partir de abril, o custo dos filmes vai subir em mais de 50%. Isto porque, além do aumento da mão-de-obra e matéria prima previstos para aquele mês, já houve: entre 1-11-79 e 4-2-80, 105% de aumento determinado pelo Laboratório Lider e pelo Laboratório Revela; 147% pela Kodak; e 27% pela mão-de-obra. Quem afirma é Eloy Simões, em sua última coluna.
• • •
Eduardo Sampaio é o novo presidente da ABRP-SP, tendo como vices Cyrill Walter, Wilson Soares e Waldir Ferreira.
• • •
Finalmente foi inaugurada a Rádio Jornal de Brasília, no último dia 20.
• • •
Giba Um assinará, na revista Senhor, a coluna Entre-Senhores, com notícias sobre gente de negócios, suas curiosidades e vida profissional.
• • •
Retificando a informação sobre os trabalhos premiados de Carlos Studart, que agora está na Denison: não faz parte de seu portfólio o anúncio "Brasil de A a Z" que, na verdade, é do redator Bernardo Vilhena e do diretor de arte Delano D'Avila.
• • •
A revista Brasil, editada pelo Itamarati e Fundação Visconde de Cabo Frio, editará um número especial sobre a participação deste país na feira de Hannover, Alemanha.
• • •
Sérgio Indech assumiu a gerência de marketing da Press Service.
• • •
A Contato está mandando saquinhos de chá para promover seu representado Rodofer, outdoors de Curitiba.
• • •
A revista Visão encartará, a partir das suas próximas seis edições, fascículos a ser encadernados na coleção "Brasil 80", com um levantamento de vários setores do país. O 1º fascículo versará sobre transportes de massa, violência urbana e habitação. O 2º, sobre a economia nacional. Posteriormente virão a ciência, a cultura, o mundo e a política.
• • •
Mais troca-troca: Mário Vitor Bello e Helio Ferreira Marques entraram, respectivamente, para as áreas de planejamento e promoções da Assessor. • Inocêncio Perez está trocando o Brasil pela, Itália e com isso deixando a Standard * Também sai da Standard o diretor de RTVC Freddy Nabhan, que passará para a MPM.
• • •
Sônia Ribeiro, da Disk, foi contratada para dar aula de propaganda na Faculdade Helio Alonso.
• • •
Registro: O coquetel da festa da ABP foi oferecido pela Seagram, que para lá levou seus produtos, prestigiando a classe.