Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 10/MAR/1995
Marcio Ehrlich

 

Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Monitor Mercantil.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Young e Bridge desistem do Rio e fecham escritórios

A ressaca do carnaval veio pior do que o imaginado no Rio de Janeiro. Nesta mesma semana duas agências resolveram fechar: a multinacional Young & Rubicam e a brasileira Bridge.
Um ano depois de ter perdido a conta da Mesbla e quase três anos após ter se instalado no Rio, a Young & Rubicam decidiu ficar apenas indiretamente no mercado carioca, concentrando suas operações aqui através da V&S Comunicações, agência na qual ela tem participação acionária há 5 anos. Ultimamente, a participação era de 25%, devendo passar, com a fusão, a pelo menos 40%, avançando o processo de "younguização" da V&S, uma agência que nasceu como VS Escala, mas mudou sua marca inclusive para ficar mais próxima do padrão adotado pela Y&R.
Em poucas semanas, a V&S deixa o casarão da Rua Guilhermina Guinle e se instala, com equipamentos e profissionais, no amplo 4º andar que o escritório carioca da Young vinha ocupando na Praia do Flamengo, 154. Segundo Carlos Alberto Carmo, diretor da V&S, não haverá nenhuma demissão na equipe da agência por conta da fusão. Já em relação à turma vinda da Young, a recíproca não é verdadeira. Disse Carlos Alberto que eles serão mantidos na medida em que os clientes da agência se interessarem em passar para a V&S e se verifique a necessidade de trazer quem já vinha trabalhando nas contas.
Nesse processo de transferência, aliás, um dos profissionais chave está sendo Marcos Silveira, diretor de criação da Young-Rio, responsável por caminhos criativos que sempre receberam um forte apoio dos seus clientes. Marcos foi um dos primeiros a ser contatado pela V&S para se manter na equipe. Nesta quinta, Lula Vieira, diretor da V&S, levou-o para almoçar no Alcaparra e conseguiu comprar seu passe por condições que, de acordo com especulações do mercado, transformaram Marcos Silveira no maior salário da propaganda carioca.
Marcos, na verdade, é o único funcionário-chave da Young-Rio a se manter no grupo. Da equipe anterior, dois diretores já encontraram novo rumo. Paulo Novis, seu diretor geral, e Anthony Talbot, da área de operações, estão indo para a Contemporânea, agência que também tentou levar o passe de Marcos Silveira.
Até o fechamento desta coluna, já haviam confirmado a sua transferência para a V&S as principais contas da Young, entre as quais DuLoren e Perrier, garantindo para 1995 na nova casa uma substancial parcela dos US$ 9 milhões que a agência faturou em 1994. Somando-se aos US$ 34 milhões faturados naquele ano, pode-se projetar que a V&S feche 1995 com um faturamento superior a US$ 45 milhões.
A ponte partiu
Numa escala mais modesta que a da saída da Young, surpreendeu também o mercado a notícia de que a Bridge decidiu concentrar toda a sua operação em São Paulo, fechando esta sexta-feira sua casa na Gávea.
A agência surgiu no Rio para atender a conta dos refrigerantes Brahma, incentivada pelo próprio diretor de marketing desta empresa, Magim Rodrigues, que ficou bem impressionado com a performance de Margot Soliani, Eduardo Moura e Luiz Cláudio Azevedo quando, ainda em suas respectivas agências, participaram da concorrência pela conta daquela linha de produtos.
Nos cerca de dois anos que ficou no Rio, porém, a Bridge não conseguiu se tornar independente financeiramente da conta da Brahma, pela conquista de outros clientes. Com a ida do marketing deste anunciante para São Paulo, a Bridge teve que reforçar a estrutura do seu escritório paulista, transformando-o em sede da empresa. Foi inevitável a desativação da equipe no Rio. Praticamente pego de surpresa, Ricardo Galletti, diretor de criação da agência, não teve tempo de procurar outro destino. Presidente do Clube de Criação do Rio, Galletti começa hoje a estudar propostas, enquanto se dedica também às comemorações pelos 20 anos da entidade, que terão uma festa no próximo dia 18 de abril.

Candidatos ao CCRJ querem fazer debate

Marcio Ehrlich - Cartum: Esquenta a disputa pelo Clube de Criação do Rio
Alberico Campana era o dono da churrascaria Plataforma, ponto de encontro no almoço de todas as sextas-feiras dos criativos cariocas.

A pouco mais de um mês das eleições para o Clube de Criação do Rio - previstas para em torno de 16 de abril - os dois candidatos já assumidos para a disputa da entidade, Ronaldo Conde e Gustavo Bastos, estão em pleno processo de ajuste em suas chapas.
Na "Pelo Clube", chapa de Ronaldo, acaba de entrar o diretor de criação da Caio e diretor de arte Ari Fidelis (citado erroneamente pela Janela semana passada como redator). A "Meu Chapa", de Gustavo Bastos, também teve um bom reforço esta semana. Integrou-se a ela Felipe Rodrigues, redator e diretor de criação da Chris Colombo.
Hoje, no tradicional almoço das sextas-feiras da churrascaria Plataforma, o presidente do CCRJ pretende reunir os candidatos ao clube para convidá-los a se integrar na comissão organizadora da festa de 20 anos da associação. Ao mesmo tempo, Galletti quer ouvir sugestões sobre o cronograma das eleições, para permitir que a festa também comemore a posse do novo presidente.
Na política eleitoral da criação carioca, o candidato mais agressivo está sendo até agora Ronaldo Conde, apesar de que tanto ele quanto Gustavo inteligentemente têm sabido manter a imprensa especializada informada de seus passos. Mas Ronaldo, antes mesmo do Carnaval, fazia panfletagem para sua chapa no Plataforma. E esta quinta-feira distribuiu um manifesto convocando a concorrência para um debate aberto ao público no fim do mês de março. Ronaldo quer definir, entre outras coisas, quem poderá votar nestas eleições, já que o cadastro do clube está desatualizado e a própria atividade publicitária mudou nos últimos anos em que não houve recadastramento. Ele pergunta, por exemplo, em seu "Vamos ao Debate", se operador de computador, que participa do processo criativo, pode ser considerado de criação e votar.
No manifesto, Ronaldo reafirma sua disposição de realizar uma "campanha de nível". E aproveita para responder a afirmação de Gustavo Bastos, em entrevista a uma publicação do setor, de que "precisamos manter tudo no limite do bom humor". Ronaldo lembra a Gustavo que bom humor é uma de suas características, ele que é dos que perde o amigo, mas não perde a piada. E avisa ao concorrente: "Fique tranquilo. Com relação a você não quero perder nem a piada, nem o amigo".

GR.3 abre mão da conta do Banco Porto Real

Gustavo Bastos, diretor geral da GR.3, decidiu abrir mão da conta do Banco Porto Real, que detinha desde os tempos da BR.3. A decisão foi justificada "no conflito que esta conta causava com outra conta da agência, a do Cartão Nacional Visa/Renasce, que, com um volume mais de dez vezes superior, fatura anualmente US$ 3 milhões."
A conta do Banco Porto Real, que Gustavo diz ser de US$ 250 mil, será entregue ao vencedor de uma concorrência para a qual já foram convidadas a Artplan, a V&S, a Thompson e a Cláudio Carvalho.

MKTMIX MKTMIX

• PARABÉNS PRA VOCÊ - A Janela se abre para comemorar os próximos aniversários do mercado: HOJE: Marcos Montenegro (Ibope); Dia 12: Carlos Eduardo Jardim (Kaiser); Dia 14: Celso Japiassú (Denison Rio); Dia 16: Joaquim Pecego (diretor de arte free lancer).
• ACERTO NA ABP - Enquanto no Clube de Criação surgem chapas para disputar a presidência da entidade, na ABP continua o sistema de acordo para candidaturas únicas, que evitem desgastes públicos para a classe a partir de debates filosóficos. Jairo Carneiro, atual presidente, está pleiteando se manter à frente da entidade por mais uma gestão, para dar continuidade a todos os projetos que vem desenvolvendo e que são bastante conhecidos do mercado. Por isso, convidou Roberto Bahiense, que iria se lançar como candidato, para ser seu vice nos próximos dois anos.
• NOVIDADES NA XEROX - Hugo Eisenstadter é o novo Gerente de Comunicação da Xerox do Brasil, responsável por toda a sua publicidade. Ele entre no lugar de Antônio Rei, que deixou a empresa.
• CARTAS - As correspondências para a Janela devem ser enviadas até 4ª feira para a Praia de Botafogo, 340 grupo 210, CEP 22250-040. Ou passadas pelo telefone (021) 552-4141.