Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 21/MAR/1997
Marcio Ehrlich

 

Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Monitor Mercantil.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Fischer leva Silvio Matos pra dirigir criação em SP

O mercado paulista leva mais um carioca para comandar a sua publicidade, que tem hoje em cargos de direção nomes como Alexandre Machado, Antônio Baptista, Fábio Fernandes, Fábio Siqueira e Pedro Feyer. A agência paulista Fischer Justus acaba de contratar como mais um de seus diretores de criação o carioca Silvio Matos, que nos últimos dois anos vêm dirigindo este setor na Contemporânea, uma das maiores agências do mercado carioca e que tem seu pai, o redator Mauro Matos, como um dos sócios.
Sílvio começou sua carreira na Contemporânea, circulou por outras empresas, como D+ e V&S, onde teve sempre um desempenho muito destacado e voltou para aquela agência quando o diretor de criação da época, Adilson Xavier, mudou­se para a Giovanni. Aos 26 anos, Sílvio coleciona prêmios como Leão de Cannes e o título de Profissional do Ano do último Prêmio Colunistas Rio. Já antes de retomar à Contemporânea ele havia recebido propostas para se mudar para São Paulo. Desta vez, diz Sílvio, o projeto foi irrecusável, pelo desafio de trabalhar em uma das agências brasileiras que mais está crescendo no mercado nacional.
Na Contemporânea, Mauro Matos já começou o processo de buscar um novo diretor de criação, ampliando a busca que vinha fazendo de um redator para cobrir a saída recente de Rodolfo Sampaio para a Salles. Mauro pretende continuar comandando a criação como vice-presidente da agência e participando como redator, mas garante que não vai acumular as funções executivas da direção de criação.

De Paula e Conde estudam candidatura ao CCRJ

O Clube de Criação do Rio terá eleições no começo de abril, segundo garantiu seu atual presidente, Sílvio Matos, cujo mandato deveria se encerrar este mês.
Desde fevereiro, o mercado carioca já vem falando sobre o assunto, até que finalmente esta semana dois profissionais cariocas admitiram publicamente estarem estudando a possibilidade de se candidatar: Ronaldo Conde, da V&S, e Sérgio de Paula, da Doctor.
Ronaldo, porém, não deseja entrar em disputa. Ele já declarou estar condicionando a sua candidatura a uma chapa de consenso, considerando que o momento político por que passa a propaganda carioca exige união e não disputa.
Já Sérgio de Paula acha que esta pode ser urna ótima oportunidade para que os criadores cariocas discutam os objetivos do Clube de Criação e começou esta quinta-feira a consultar outros criadores sobre suas pretensões.
Na próxima semana, o Janelão começa a apresentar as plataformas dos candidatos que vão concorrer à sucessão de Sílvio Matos.

Mercado publicitário cresce 24% e aumenta participação no PIB

O mercado publicitário brasileiro movimentou US$ 10,6 bilhões no ano passado, 24% mais que o resultado apresentado no exercício anterior, segundo o tradicional levantamento que a Nielsen realiza contabilizando as inserções publicitárias de 398 veículos de comunicação, a partir de seus preços de tabela (ou seja, não negociados e sem considerar bonificações etc.).
Além dessa boa novidade, os publicitários podem comemorar que a participação do setor no Produto Interno Bruto (US$ 579,6 bilhões, divulgado pelo Banco Central) avançou de 1,5%, em 1995, para 1,8% em 1996.
Segundo a Nielsen, a televisão conseguiu estabilizar em 51% a sua participação no bolo de receitas publicitárias, o mesmo desempenho de 1995, que revela reversão na ligeira tendência de queda que vinha apresentando. Ainda assim, ela manteve a liderança entre os meios mais procurados, seguida por jornal, revista, rádio e outdoor. O jornal evoluiu de 35% para 36%, enquanto as revistas caíram de 9% para 8% e o rádio de 5% para 4%. A mídia outdoor manteve-se com 1%, como em outros anos.
Considerando as tabelas de preço, a Nielsen verificou que os meios televisão, rádio e outdoor apresentaram incremento de 24% em seu faturamento, ao passo que o jornal faturou 27% mais que em 1995 e a receita da mídia revista subiu 10%.
Anunciantes
Na classificação dos anunciantes, o principal destaque foi a construção civil, que pulou do sexto para o quarto lugar, com crescimento de 61% na verba publicitária. O setor de brinquedos e diversões, ao contrário, caiu da quarta para a quinta posição: Os setores de serviços e educação/ meios de comunicação mantiveram sua posição de segundo e terceiro do ranking, respectivamente.
Em primeiro lugar, continua o ramo de comércio varejista, que concentrou 27% dos investimentos globais em publicidade, recuando 1 ponto percentual em relação a 1995, porém avançando 15% no montante de capital investido no setor. Ao todo, o comércio movimentou US$ 2,8 bilhões em publicidade no ano passado.
Na aferição dos 30 maiores anunciantes entre os grupos empresariais, pelo quarto ano consecutivo a liderança ficou com a Gessy Lever, com investimento total de US$ 165,9 milhões (US$ 35,9 milhões superior ao de 1995). Na segunda colocação, continua a Casas Bahia, cujo investimento publicitário cresceu de US$ 120 milhões em 1995 para US$ 147 milhões em 1996.
Entre os maiores anunciantes, a Lopes Consultoria de Imóveis foi o que mostrou mais expressiva mudança na classificação da Nielsen, passando da 13ª para a terceira colocação, com investimento de US$ 125,5 milhões.
A empresa se destacou também como o maior anunciante do meio jornal, destinando 98% de sua verba para essa categoria de mídia.
Antiga ocupante da terceira colocação, a Globex (Ponto Frio) ficou na sétima posição, com investimento de US 80,4 milhões. O Rio tem outro anunciante entre os 10 mais: a Coca­Cola, com um volume de US$ 67,7 milhões em veiculações.
A Nestlé saltou da sétima para a quarta casa, com investimentos de US$ 103,8 milhões, enquanto a General Motors (US$ 87,3 milhões) e o Grupo Itaúsa (US$ 80,9 milhões) se mantiveram, respectivamente, na quinta e na sexta posições do ranking.
No vaivém das colocações, a Brahma foi da 11ª para a oitava, com uma verba de US$ 77,2 milhões; o Grupo Fenícia da 23ª para a nona (US$ 68,9 mi). A Ford subiu da 27ª para a 12ª, enquanto a Volkswagen caiu da quarta para a 11ª posição. Vale notar também a queda da Antarctica, da oitava para a 15ª posição.

MKTMIX MKTMIX

• PARABÉNS PRA VOCÊ - A Janela se abre para comemorar os próximos aniversários do mercado: Dia 21: Fernando Mothé (Presidente da Publinews), Gustavo Bastos (Presidente da GR.3); Dia 22: Angela Milet (Diretora de Atendimento da BM&A); Dia 24: Paulo Vogel; Dia 25: Carlos Manga Jr. (Diretor de Comerciais); Dia26: Cristina Amorim (Diretora de Criação da Giovanni); Dia 27: Carlos "Russo" Di Célio (Diretor de Criação da GR3), Suzana Leal (Diretora da Casa da Criação).
• OLHO NO BANCO - A Giovanni vai ter que roer unha por mais alguns dias até saber o resultado da concorrência do Banespa, onde ela ficou em primeiro lugar na avaliação técnica. É que a Young, que foi desclassificada, entrou com recurso e todo mundo vai ter que esperar o julgamento.
• O RIO NA ABAP - Celso Japiassu, da Denison Rio, aceitou participar da chapa de Flávio Corrêa, da Ogilvy para a Abap nacional, ocupando a vice-presidência. A indicação do nome de Japiassu foi feita por Petrônio Correia, sensível às reivindicações de uma maior participação do mercado carioca na entidade, levantada pelo presidente da Abap-Rio, Jonas Suassuna.
• DEBATENDO A MODA - A ABM-Associação Brasileira de Marketing realiza no próximo dia 8 de abril um debate sobre o marketing da moda no Othon Palace, no Rio de Janeiro. É o inicio das atividades da gestão Mario Divo.
• TORRES NA REDE - Já está no ar o site do escritor e diretor de criação da Publinews, Antônio Torres, no endereço http://www.netgate.com.br/torres. Lá o internauta encontrará uma pequena biografia e suas obras, com citações, capas dos livros e tudo mais. O site foi criado pelo filho de Torres, Gabriel, que é fera em informática. A Janela soube que no Natal, Antônio Torres - que é viciado em máquina de escrever - ganhou do seu filho um micro. De lá pra cá ele pelo menos já aprendeu o que é um mouse. Mas um dia ele chega lá.
• NOVOS NEGÓCIOS - A D+W decidiu reinvestir no mercado carioca e criou um núcleo de novos negócios no Rio, contratando para ele o ex-diretor de marketing da Cell Center, Glaycon Muniz, e a atendimento Tânia Cohen.
• CAIO ESPORTIVA - A Caio conquistou a conta do Jornal dos Sports, que terá a sua primeira campanha para divulgar os Jogos Infantis, patrocinados pelo veículo.
• VOANDO LONGE - A Década está com conta nova: a Singa Brasil, agência de turismo especializado em roteiros exóticos, como Cingapura, África e Extremo Oriente. O primeiro job é o lançamento do projeto África Explorers, que levará turistas para - como diz o nome - explorar o continente africano.
• A produtora Lyra contratou o músico Mu Carvalho, um dos ex-integrantes da banda A Cor do Som e que ultimamente estava na Rede Globo criando vinhetas e fazendo produções musicais. Naire Siqueira, diretor da Lyra, festeja os trabalhos que estão no ar, como Cerveja Itaipava e Supermercados ABC.
• PRÊMIO ABRIL EM MARÇO - A Editora Abril realiza no próximo dia 26 de março a festa de entrega da regional carioca do seu Prêmio Abril de Publicidade. Será na Villa Riso, a partir das 19:00 horas, quando se conhecerá a melhor campanha criada no Rio de Janeiro, entre as veiculadas nas publicações da editora.
• JANELA ANO 20 - Correspondências para a Janela devem ser enviadas até 4ª feira para a Praia de Botafogo, 340 grupo 210, CEP 22250-040, Rio - RJ. Ou por e-mail para ehrlich@pobox.com. A Janela também tem a sua versão on-line, encontrada em web.cip.com.br/ehrlich/janela.htm.