Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 09/JAN/1998
Marcio Ehrlich

 

Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Monitor Mercantil.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

98 começa sacudindo as dúvidas de quem ficou parado em dezembro.

Marcio Ehrlich (Dez.1997)O leitor pode telefonar para qualquer agência ou produtora do mercado e vai conferir: duvido que alguém diga que está parado, com pouco trabalho.
Janeiro começou agitado, prometendo um ano de 98 que reverta as indecisões que atravancaram o humor dos anunciantes no final de 97.
O bom humor e a inteligência das agências, porém, parece não ter desaparecido naqueles meses, a se medir por grande parte das mensagens de boas festas que a coluna recebeu. Ao menos isso, já que a tendência de cada vez mais agências abandonarem os brindes e adotarem o cartão em sua mensagem parece irreversível.
Mensagens carinhosas, pelas quais a Janela agradece sensibilizada, mas que inevitavelmente, acabam perdendo em recall para as que fogem desta regra. Entre estas, vale um destaque para a Contemporânea, que enviou a série de CDs gravados por Ivan Lins com as músicas de Noel Rosa dentro de uma caixinha dizendo que "a Contemporânea quer que você tenha o melhor Noel". Também marcante foi a ideia da Elan/Garden, que optou por uma performance de duas "mamães-noel" que traziam pessoalmente como brinde uma garrafa de GoldSchlager, o licor que vem com partículas de ouro. Numa linha bem carioca, a Staff/CP&F mandou uma enorme barraca de praia - daquelas grandes que permitem até seu diretor Silvio Lachtermacher ir à praia sem passar Noskote no nariz -, mandando junto o recado para 1998: "Pode vir quente". Também vale citar o trabalho da pequena agência T'Ai, que mandou em seu cartão um envelope de chá de camomila, como alternativa para quem não for cliente da agência, ela sim uma "receita infalível para passarem 98 tranquilo".
Poucos exemplos? Com certeza, mas estes são os novos tempos de centavos controlados, quando ser pródigo traz até o risco de gerar desconfiança.

Rio estará presente no júri de Cannes com Adilson Xavier.

Adilson XavierO carioca Adilson Xavier (foto), vice-presidente da Giovanni, e um dos mais premiados criadores do Rio, será o jurado brasileiro deste ano na área de filmes do festival de Cannes, o mais importante prêmio internacional de propaganda.
Segundo a Promocine, o Brasil terá 3 jurados este ano no concurso da Sawa. Além de Adilson representarão a publicidade brasileira no júri de Press & Poster os criadores Tomas Lorente, da DM9DDB e Atila Francucci, da Young & Rubicam.
Adilson, inclusive já começou a se preparar para o júri. Esta semana, ele colocou no site da Giovanni um chamado para que as agências que pretendam se inscrever em Cannes mandem para ele as cópias de seus filmes com os respectivos argumentos, para que ele "possa se municiar de elementos em defesa dos mesmos quando for o caso".
O material deve ser enviado para o escritório do Rio de Janeiro da Giovanni (Praia de Botafogo, 228/13º andar - CEP 22359-900), aos cuidados de Yasmin Xavier.

Periscinoto vai presidir a nova Abap-São Paulo.

Alex Periscinoto, um dos fundadores da Almap/BBDO assume a partir de fevereiro o cargo de primeiro presidente do capítulo paulista da Abap- Associação Brasileira de Agências de Publicidade, que está sendo criado para atender ao novo estatuto da entidade que durante o 3º Encontro.
Brasileiro de Agências de Publicidade, em outubro último, decidiu por federalizar a associação e transferir a sua sede nacional de São Paulo para Brasília.
Flávio Corrêa, atual presidente da Abap, continua como seu líder nacional, comandando a entidade a partir de São Paulo, onde reside.
Ainda este mês a Abap deve estabelecer a sua sede no Distrito Federal e contratar um representante para transformar a operação em realidade.
O mercado paulista; aliás, não reagiu bem à retirada da sede da Abap daquele mercado e parece questionar que a alteração vá sair do papel para a realidade. O Caderno Propaganda & Marketing desta semana, por exemplo, assinala que "o capítulo São Paulo deve acabar exercendo também o papel de Abap nacional, porque o mercado paulista se configura como um dos mais importantes do país".
De qualquer forma, por conta da federalização, no próximo dia 30 de janeiro, às 17 horas, a Abap realiza sua Assembleia Geral para eleger dois vice-presidentes para completar a Diretoria Executiva da entidade, eleita originalmente em 28 de abril de 1997 e que sofreu modificações com o novo estatuto. Não podem concorrer como candidatos representantes de estados
que já estejam em outras vice­presidências, como é o caso do Rio de Janeiro, que conta com Celso Japiassu como primeiro vice. As inscrições de candidatos estão abertas até o dia 15, mediante carta assinada por titulares de pelo menos três agências associadas.

98 FM investe R$ 1 milhão para segurar a liderança.

O Sistema Globo de Rádio lançou uma nova campanha publicitária para a 98 FM, emissora líder de audiência há treze anos, que esse ano prepara-se para capitalizar a coincidência do ano com sua frequência no dial, através de várias ações de marketing.
Criada pela Giovanni, a campanha "Previsão dos Astros para 98" inclui o comercial que já está sendo veiculado na TV e no cinema, apresentado com uma versão de 1 minuto e três versões de 30 segundos. O filme traz a participação de 17 nomes da MPB; o de Caetano a Fábio Jr. Também foram produzidos anúncios para jornal e peças para outdoor e merchandising, num custo total estimado em R$ 1 milhão.
Segundo Expedito Castelo Branco, diretor nacional de mercado, o Sistema Globo pretende crescer sua participação no mercado de rádio no país em pelo menos 13% em 98, mais do que o dobro dos 6% previstos para todo o mercado de rádios. O próprio fato de 98 ser o ano da Copa já garantirá um crescimento de faturamento ao Sistema, que tem 15 emissoras próprias em todo país, das quais quatro são lideres de audiência: as Globo AM do Rio e de São Paulo e as FM 98, do Rio e BH, de Belo Horizonte.

Nico investe para divulgar imagem da Magic Music.

A Magic Music, produtora de áudio de Nico Rezende e Bernardo Muricy está completando dois anos comemorando a vitória na concorrência pelo novo tema da Coca-Cola para a Copa do Mundo, dentro da campanha Sede de Cinco. Foram três meses de briefings e disputa entre cerca de 12 das maiores produtoras de áudio do país. O primeiro filme, "Caminhada", com a versão em ritmo de bossa nova, começou a ser veiculado esta semana, ao mesmo tempo da versão funk que entrou em rádio.
A produtora, aliás, resolve disputar o mercado mais ativamente em 1998, e para isso contratou para seu atendimento Flávia Amaral, ex-Década, V&S CCRJ, que também vai cuidar de que o nome da Magic Music seja mais conhecido no Rio. Segundo Nico Rezende, acabou a fase low-profile da produtora, que conta também que são dela dois trabalhos da Propeg que estão no ar: o jingle da campanha institucional da união Golden Cross/Excel/Cigna e o jingle que comemorou o novo recorde de barris de petróleo da Petrobras.

Cartas

De Anthony Talbot, diretor de atendimento da Doctor:

Li a sua coluna no Monitor hoje e como você deu abertura para opiniões, gostaria de dar a minha opinião sobre o seu Editorial introdutório aos resumos dos meses ao longo do ano de 97.
Concordo com você que a DPZ teve um excelente ano, mas acho que ao lado dela a Doctor também deveria ter sido incluída.
Na minha humilde opinião, acho até que, o que a Doctor conquistou neste espaço de 1 ano, talvez tenha sido maior ainda que as realizações da DPZ, já que tivemos que:
1- Fazer um nome conhecido e respeitado para conquistar clientes e respeito no mercado publicitário.
2 - Conquistar clientes para crescer e se consolidar. (N.R.: Aqui foram relacionadas as diversas conquistas da Doctor em 1997, que cortamos por problema de espaço).
3 - Investir na montagem de uma agência "full-service".
4 - Fechar o ano com receita de R$ 2,3 milhões (faturamento em tomo de R$ 11 milhões). Esta receita propiciou investimentos ao longo do ano em tomo de R$ 400 mil e devemos fechar com resultado líquido após impostos em tomo de R$ 200 mil, sendo que 10% serão distribuído entre os funcionários.
5 - Finalizando, os prêmios mais importantes conquistados: Agência do Ano do RJ pela Abracomp; 5ª agência mais premiada pela Abracomp Nacional; Destaque de Marketing como Agência e com a Campanha Ele Ela da Associação Brasileira de Marketing e Negócios; Agência mais premiada (inclusive com Grand Prix) no 10 Prêmio O Globo de Anúncios 1997.
Enfim, acho que é isso, e prometemos nos esforçar para que 98 seja melhor ainda.
Um forte abraço do amigo

MKTMIX MKTMIX

Editora Abril (Logo 1994)* PARABÉNS PRA VOCÊ - A Janela se abre para comemorar os próximos aniversários do mercado:
Dia 10, sábado: Alexandre Level (Redator da Salles DMB&B), Hélio Ramos e Mareio Ramos (Diretores da MktMix) , Juliana Barros (Atendimento da Chris Colombo), Marilene Pereira Lopes (Gerente de Imprensa da Xerox);
Dia 13, terça: Everton Naves (Diretor Financeiro da Chris Colombo), Walter Pereira (Diretor de Atendimento da Publicis Norton); Dia, 14, quarta: Tico Moraes (Diretor de Arte da McCann), Wanderley D'Oro (Redator);
Dia 15, quinta: Clara Steinberg (Diretora-Superintendente da Servenco);
* HAJA OURO E PRATA - Quem acha gue já existem muitos prêmios de propaganda pode sair arrancando mais cabelos. A Editora Três está lançando o Prêmio Três, para comemorar os seus 25 anos, com resultados divulgado em maio. Concorrem anúncios veiculados nas revistas da editora desde janeiro de 97. Os três primeiros lugares darão aos criativos, respectivamente, R$ 60 mil, R$ 40 mil e R$ 30 mil, além de passagens. E quem também está estudando criar seu prêmio é o Jornal do Brasil, que já teve o seu Prêmio JB de Propaganda.
* AND GOLD AND SIL VER - Os prêmios internacionais também não param. O Fiap abre inscrições na próxima semana. E o Festival de Hollywood já abriu as suas. O kit de inscrições pode ser solicitado por e-mail paragenehtrs@aol.com. Este será o 38° International Broadcasting Awards, que terá seu julgamento transmitido diretamente pela Internet, através do site www.htrs-iba.org em junho de 1998.
* TUDO AZUL NA ABRIL­ A Editora Azul, responsável por publicações excelentes como Boa Forma, Viagens e Terra, foi comprada integralmente pelo Grupo Abril, que já controlava 51 % de suas ações. Os 49% restantes pertenciam a Ângelo Rossi, que deixou o negócio.