Janela Publicitária    
 
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
11:21 Beat Sonido Yes Filmes Zuêra
A Fenêtre é a cobertura da Janela Publicitária em Cannes 2013, com o patrocínio da DM9Rio, Staff, 11:21, Beat, Sonido, Yes e Zuêra.
 

FESTÃO DO TWITTER.

Pedro Porto, amigo da Fenêtre e o homem do Twitter no Brasil, nos convidou para a festança do microblog, numa cobertura de frente pro Palais.
Cheguei lá meio depois do horário marcado, toco a campainha do prédio. Ninguém atende. Música nas alturas provavelmente, mas fiquei achando falha da organização não colocar uma recepcionista na portaria.
Aí me liguei numa placa apontando a entrada de serviço. Dei a volta, nada.
Volto pro portão principal, um grupo de 6, 7 gringos me vê lá na agonia.
- Precisa de ajuda aí?.
- Tentando subir pra festa e não ouvem a campainha.
- Ih, a festa, tinha esquecido que era hoje.
Começa: um bate na porta, outro liga não sei pra quem. Abrem a porta.
Subo os 6 andares do prédio de escada (elevador velho, só cabem 2). Chegamos na cobertura, campainha. Nada. Esmurra a porta, nada. Começamos a gritar “Uhuuu,  hellooo, come on”.
Só pode ser a música alta. Abrem a porta, devagar, sai uma japinha, cara de sono.
- Quéquifoi?
- Festinha! Sou convidado do Pedro Porto.
- Tá, só que a festa... é amanhã!
Desce todo mundo olhando pra minha cara. Não tive coragem de voltar lá.


PÉ QUENTE

No dia que seria o da festa do Twitter, fui convidado para uma outra festa num castelo, no alto de Cannes, vista linda, jantar ótimo, luz de velas, boa música tudo certo. Que sorte, pensei.
Tô lá conversando com uns amigos, tomando uma champa e tal. Cheiro de queimado. Caraca, será que só eu estou sentindo?
Fica mais forte, parece ser borracha queimada.
- Caras, vocês não estão sentindo cheiro de queimado não?
- Bicho, olha aí, seu tênis está pegando fogo.
Dei uma bicuda numa das velas da decoração, ela caiu, pegou no meu pé e me deixou em chamas. O tênis já era. Deu uma bolha no pé, mas tudo certo. Segue o jogo.
A vista de Cannes
A vista do tênis


BEACH SOCCER

Mart Poom, lenda viva do futebol estoniano, inspirou os craques do beach soccer.
Depois de uma campanha eletrizante (3 empates, uma vitória, uma derrota), só pegamos shortlist no campeonato. Ou seja, perdemos o bronze. Mas poxa, foi contra a Estônia.
Pois é, demos o azar de cair logo pra jogar com a Estônia, o país futebol, que revelou craques como Mart Poom, Raio Piiroja e Indrek Zelinsky.
Sem contar a fanática torcida, que o mundo todo conhece como Jalgpallihaigla e que estava em peso (um gordinho de óculos de 120 kg, no banco do time), que fez a maior pressão, como normalmente faz nos clássicos contra as Ilhas Faroe. Puro azar.


TRÊS HORAS EM TRÊS MINUTOS

Três horas. Foi o que durou a cerimônia de entrega de Press, Design, Cyber, Rádio, Medalha do Beach Soccer, Youngs não sei das quantas, Cannes Chimera (um prêmio que o Bill Gates resolve dar em todas as categorias), entrega de homenagem aos presidentes do júri comemorativo dos 60 anos (e que júri, só craque), entrega de faixa roxa do Karatê do filho do apresentador, entrega da pizzaria, entrega de tudo ontem. Vou tentar resumir em três minutos aqui.

DESIGN

No Design, o Japão dominou. Acho que todos os leões de ouro foram para o Japão. O negócio é esse, ter ideia o cacete, importa um japonês e ganha um leão em design. Vários trabalhos muito bem feitos, mas tinha ali uns 30% que ninguém entendeu nada também.
Mas o Brasil levou também com a Loja Vazia da Loducca, que é ótima e fez bonito na categoria por sinal. Pode procurar na ficha técnica que deve ter algum japa.
Japonês com Leão, só alegria. Não me perguntem o que é isso na cabeça dele
Loja Vazia, da Loducca


PRESS


Press começou com um discurso bem humorado do Marcello Serpa, dizendo que estava feliz por participar da única categoria que  não tinha que assistir aos intermináveis videocases.
E o Brasil foi muito bem em press, como era de se esperar. No palco, AlmapBBDO, Ogilvy, F/Nazca e, que supresa bacana, a recém-nascida Revolution da Bahia subiram no palco.
Parabéns ao VP Emerson Braga, diretor de criação que acabou de sair da Propeg e abrir a agência e alguns meses depois já fez sua estreia com um ouro.
Agora o que eu não vi ninguém curtindo foi o GP de Press para o iPad, que foi para a disputa final do júri competindo com a campanha brasileira Real Beauty Sketches de Dove.
Aliás, só escutei gente falando mal do Grand Prix. E você curte, não curte? Qualquer coisa escreve pro Sidão aí que a gente publica.
A Almap no palco
Melanie Zmetek, com o ouro da F/Nazca. Fabio Seidl, Renato Zandona, Hugo Veiga e Diego Machado
A atendimento da agência Melanie Zmetek, com o ouro da F/Nazca.
Este seu amigo Fabio Seidl, Renato Zandona, Hugo Veiga e Diego Machado, com os ouros da Ogilvy para MSF e Dove
Campanha contra anorexia da Revolution
O GP de Press

RADIO

Em Rádio, a parte mais bacana foi ver que o presidente do júri ter chamado um motorista de táxi para brifar os jurados antes do julgamento. Afinal, ninguém melhor que ele, sabe o que é legal no rádio. E o motorista foi lá, receber os aplausos dos publicitários.
Categoria teoricamente muito exigente, deu 2 ou 3 leões de ouro e, adivinha só, GP para Dumb Ways to Die.
Gostei muito dessa ideia neozelandesa para divulgar um produto de uma espécie de Bruna Surfistinha local e que levou ouro.
Secret Diary

CYBER

The Beauty Inside
Assista a série aqui: http://www.youtube.com/user/TheBeautyInsideFilm
Em Cyber...bom, não dá pra entender metade das ideias de Cyber com os videocases reduzidos que são apresentados na premiação.
Mas a peça que levou um dos GPs, The Beauty Inside, da Pereira O’Dell para Intel/Toshiba é, na minha opinião, uma das melhores peças de comunicação que já ganharem em Cannes.
E ainda acho que é candidato fortíssimo a GP de Branded Content, o que faria um ano duplamente histórico para a agência do brasileiro PJ Pereira e do americano Andrew O’Dell.
Assisti essa série inteira, antes mesmo de saber que era criada por uma agência, toda semana, esperando cada capítulo. O enredo de um homem que cada dia nasce num corpo é brilhante. A entrada do produto nos filmes é ótima (como o cara pode ser qualquer pessoa, todo mundo pode mandar um vídeo se fazendo passar por ele, e o diretor pode selecionar você). Aplausos de pé pros caras.


BORA FAZER UM BEM BOLADO

Falando em todos esses novos meios digitais. Não parece fazer mais sentido ter uma categoria cyber e outra mobile. É como se tivesse uma pra mídia impressa e outra para revista, sei lá. Quase todas as plataformas e aplicações de internet hoje podem ser móveis.
Então, Porque não junta logo tudo em “Digital Lions” e pronto?
E esse nome “cyber” também já tá meio demodê, né não? Mais demodê do que a expressão demodê, que cá entre nós só foi usada uma vez na história da língua portuguesa nos últimos 40 anos naquela música do Legião.


NIKE MEIO SUMIDA

Pouquíssimas peças premiadas até aqui para a marca mais desejada pelos criativos de todo o mundo. Faz falta a Nike no festival.


COMPLEXO DO ALEMÃO

Orlei Passarinho, Mario Nakamura e Nico Rezende
Orlei Passarinho, Mario Nakamura e Nico Rezende, tudo azul para eles em Cannes.
Alemão no Martinez, feliz da vida (feliz da vida de alemão é um sorrisinho no canto da boca, né?) com o leão de ouro debaixo do braço. Pagando bebida pra todo mundo. Tirando foto, abraça um pra lá, outro pra cá.
Mais bebida, peraí junta aqui pra tirar uma foto, mão ocupada com o troféu, encosta ali rapidinho pra explicar que botão aperta na câmera, o gringo se vira e... roubaram o leão do maluco.
Ele grita “scheisse”, anda, corre, reclama. E ainda explica pra galera.
- Se vocês acharem me avisem? Meus chefes lá na agência me pagaram passagem e hotel para eu vir aqui só hoje e só para isso.
É meu amigo, se prepara que tu vai levar uma salsichada quando voltar pra firma.
Para ajudar, ainda perguntei pro Passarinho, da Nova Onda, para o Nakamura, da Cinerama e para o Nico, da Beat se eles tinham visto alguma coisa e eles disseram que não. Por que será?


MARTÍRIO

Rafael Donato
Rafael Donato, de manhã, não parece menos perigoso do que de noite.
Meu companheiro de quarto, Rafael Donato, não compra só pochetes rosas. O desgraçado ronca mais do que um javali com asma. Tá complicada a situação. A parte boa, segundo ele, é que ele só ronca quando bebe. Mas essa não é a minha única preocupação com o que ele faz quando bebe.

MANDA

Continue escrevendo para o Sidão e mandando seus pitacos, dicas, promissórias, pistas de quem roubou o leão do alemão e sugestões para as Gatas da Fenêtre: janela@janela.com.br


Fabio Seidl é o enviado especial que mais dá trabalho para os bombeiros em Cannes.