Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Marketing & Publicidade - Edição de 31/JAN/1988
Marcio Ehrlich

 

Esta edição da coluna "Marketing & Publicidade" foi publicada originalmente no Jornal do Commercio do Rio de Janeiro.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Militar precisa de marketing

O que é "Espirito de Corpo"?
Como ele se arraiga?

Se você não sabe responder a estas perguntas, ou sequer entende o que elas querem dizer, você não pode assistir ao comercial que os Fuzileiros Navais estão veiculando pelo horário gratuito do governo nas televisões brasileiras.
O comercial, que imagino seja para atrair os jovens para se alistarem com os fuzileiros - ou não haveria motivo de se utilizar de um espaço tão precioso - diz exatamente, em dado momento, que os Fuzileiros Navais "são motivados por arraigar o Espírito de Corpo", signifique isto o que for.
No momento em que o presidente Sarney declara que a ordem no governo é de que "é proibido gastar mal", fica injustificável que as Forças Armadas gastem qualquer centavo produzindo um comercial de televisão que não atende ao requisito mais banal de "ser compreensível", e que a Seplan autorize a sua veiculação em um espaço que o governo poderia estar utilizando para educar a população mais carente em assuntos de higiene, saúde pública e coisas do gênero.
Isto me lembra que há exatamente um ano, em outro jornal, escrevi uma crônica comentando o comercial que o Exército brasileiro estava veiculando, no qual o texto dizia que "com o tempo, os jovens aprendem que marchar direito é preservar os valores que mais se ama na vida."
Como a coluna neste Jornal do Commercio está tendo uma leitura muito maior que aquela, acho que valerá a pena repetir, a seguir, os trechos principais da matéria. Quem sabe agora os responsáveis pela comunicação das Forças Armadas a leiam e pensem um pouco sobre o que estão perdendo por permitirem que se faça para elas uma propaganda tão ruim.
"A propaganda americana, com sua riqueza de produção e variedade de produtos anunciados frequentemente surpreende e impressiona os publicitários brasileiros. Uma das coisas que, por exemplo, sempre me chamou muito a atenção é como os americanos tratam publicitariamente as suas Forças Armadas.
Lá, Exército, Marinha e Aeronáutica comportam-se em sua comunicação ao público como anunciantes comuns, da iniciativa privada, ou seja, investindo em criatividade para que a propaganda possa atender aos seus objetivos de mercado. Que são, entre outros, conseguir homens e mulheres promissores que queiram se incorporar à vida militar, fazendo dela uma carreira em lugar de optar por outra qualquer.
Assim, os comerciais e anúncios procuram mostrar imagens e situações que efetivamente possam atrair o interesse dos jovens no momento de decidir o seu futuro.
Os pontos fortes de vendas da vida militar são muitos. Há o apelo da farda, da possibilidade de contato com aventuras e emoções, viagens através do próprio país e do mundo, contato com equipamentos sofisticados, tecnologia etc. Um anúncio que lembro publicado em revista de grande circulação, mostrava um piloto na frente de seu caça, dizendo "Se você gosta de máquinas quentes, veja as nossas."
Em outro belo trabalho, no caso um comercial, assinado pelas três armas, os soldados cantavam um jingle cujo tema era "I'm Proud", ou seja, "eu tenho orgulho" em ser militar, enquanto eram mostradas diversas cenas, com uma belíssima fotografia da parte mais emocionante e atrativa de seus trabalhos nas Forças Armadas.
É muito difícil para mim acreditar que o maior objetivo da vida militar seja ensinar alguém a "marchar direito", e muito menos que a marcha seja o aspecto mais fascinante de nosso Exército e o que mais consiga motivar os jovens deste País.
As Forças Armadas são necessárias a qualquer nação, seja ela a mais pacífica. Não há por que, portanto, as três armas abrirem mão de todos os arsenais disponíveis de marketing e comunicação para modificar a imagem interna e externa de suas verdadeiras funções e importância, neste momento democrático em que vive o Brasil, quando os militares reencontraram o seu caminho e o seu espaço próprio, deixando como normalmente deve ser a direção política, econômica e social do país aos poderes civis.
Assim como a iniciativa privada, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica só terão a ganhar se souberem utilizar com inteligência a nossa publicidade."

Hering mexe em embalagem para melhorar visualização

Cuecas HeringAs cuecas By Hering estão chegando às lojas em nova embalagem, buscando uma melhor identificação do produto pelo consumidor.
As novas caixas pretendem ser mais funcionais e práticas, com duas frentes permitindo a visualização do produto e seu acondicionamento nas prateleiras tanto na vertical como na horizontal.
Para orientar a escolha do consumidor, a nova embalagem traz um detalhe exclusivo para cada tipo de cueca. As cuecas By Hering em 100% algodão são identificadas por um friso amarelo na caixinha; as elaboradas com fios mistos, por um friso vermelho e as em padronagem jeans, ganharam caixas jeans. Todas destacando a tradicional logomarca dos peixinhos.

Seminário vai dizer como administrar o seu tempo

Será realizado no próximo dia 5, sexta-feira, no Leme Palace Hotel, um Seminário de Administração de Tempo, destinado a executivos e empresários interessados em aumentar a eficácia pessoal e gerencial, através do melhor uso e administração de tempo.
Através de discussão de casos, exibição de filmes e exposição, serão desenvolvidos, entre outros, os seguintes tópicos:
Técnicas de Administração de Tempo; Identificação e Execução de Prioridades; Técnicas de Concentração e Melhoria de Hábitos e Rotinas de Trabalho; Controle de Interrupções, Pressões e das Crises; Melhoria do Processo de Comunicação;
Desburocratização Pessoal e Organizacional; Técnica de Agilização de Ações.
O apresentador do Seminário é Boris R. Drizin, Consultor e Diretor da Timing Desenvolvimento Organizacional, promotora do evento.
Quem quiser maiores informações pode procurar pelo telefone 575-1188 ou no escritório da Timing, à Rua Estela, 515 ­ Bloco G - 7º Andar, em São Paulo-SP.

Brasil terá em junho seu evento mundial de balões

Strato - Strategie - Festival de Balões Pepsi InegaA Strategie Eventos Especiais informa que já está comercializando as cotas de patrocínio para o 1º Festival Internacional de Balões. O evento pretende ser um verdadeiro happening e acontecerá em junho, com a participação de 40 balonistas de todo o mundo.
Filiada à Strato, que opera há 8 anos em publicidade com balões, a Strategie foi a responsável pela organização do bem-sucedido 1º Festival Pepsi-Ínega de Balões, realizado recentemente em Itaguaí. O 1º Festival foi o maior da América do Sul, com absoluto sucesso de público e, segundo diretores da Strato, com grande retorno promocional para os patrocinadores.
Diz Sérgio Escada, diretor comercial da Strategie, que "a exemplo do que acontece na Europa e Estados Unidos, cada vez mais grandes e médias empresas estão investindo em mídias alternativas, com o intuito de diversificar suas campanhas publicitárias".

Beralv investe US$ 1 milhão

A Beralv Clorosul S/A, empresa nacional sediada em Porto Alegre, e que desde 1970 atua no segmento de limpeza doméstica e higiene pessoal, acaba de lançar o Lava Tênis Beralv, para lavar, limpar, desodorizar e perfumar o tênis.
Álvaro Alves Sobrinho, diretor presidente da Beralv, lembra que "este é um produto inédito no mercado brasileiro e diferenciado, tanto em relação ao conceito quanto à embalagem".
Apresentado em embalagem no formato de tênis, com 250 ml, o Lava Tênis Beralv pretende preencher uma lacuna no mercado brasileiro, que, apesar de produzir cerca de 80 milhões de pares de tênis por ano, não contava com um produto específico para lavagem e conservação deste tipo de calçado.
A Beralv, que em 1986 ganhou o prêmio Top de Marketing com o lançamento do desodorizante sanitário Fluss Azul Ativo, espera com o novo produto aumentar sua participação no mercado brasileiro. Numa primeira etapa, a empresa está produzindo 120.000 litros/mês do Lava Tênis. Sua capacidade total é de 360.000 litros/mês. O investimento, que durou 18 meses, chegou a 1 milhão de dólares, cujo retorno está previsto para os próximos 3 anos.

MKT MIX

Procuram-se músicos entre publicitários

Atendimento que dedilhe um bom piano. Redator que curta um sax. Diretor de arte que arrebente na bateria. Mídia que destrua no baixo. E gerente de produto que solte a voz num belo blue.
Ou vice-versa.
É claro que estas pessoas existem. E os coordenadores do Prêmio Colunistas gostariam de juntá-las para mostrar ao mercado, na grande festa de entrega do Colunista-Rios, em maio, como estes profissionais, que todos conhecemos no dia-a-dia do trabalho, também são sensíveis em seu lado artístico. Uma iniciativa semelhante foi realizada em São Paulo, com um enorme sucesso. No Rio, os coordenadores do Colunistas acreditam que haja até mais músicos publicitários e a oportunidade possa se revelar uma incrível curtição para quem estiver na festa assistindo e, é claro que, muito maior, para quem tocar.
Se você é publicitário, toca algum instrumento e sente-se à vontade para entrar neste jam­session, ou se você tem alguma sugestão de como aprimorar esta apresentação, procure este colunista pelo telefone 552-4141 e vamos marcar um encontro de todos para tocar a ideia adiante.

CURTAS

• O Rio Palace Hotel, que estava na Standard, entregou a sua conta para a Caio Domingues. Na Caio, aliás, acabam de ingressar duas doces e ativíssimas figuras: Magda Von Brixen, ex-Denison, para atendimento, e Cecília Bonfim Velloso, ex-Bloch, como planejadora de mídia.
• Falando ainda em Caio, a agência perdeu a participação da incrível Nádia Rebouças em sua equipe, onde atuava como diretora de atendimento e planejamento. Nádia está agora desenvolvendo sua própria empresa de assessoria de marketing.
• As mulheres estão em alta no mercado, mostrando sua competência. Tanto que Ronaldo Conde, diretor de criação da Almap, não deixou escapar a redatora Renata Giese para fazer dupla com o diretor de arte Eduardo "Dudu" Correa.
• Dezenas de publicitários cariocas estiveram ontem em Saquarema para o casamento de Ricardo Meyer, diretor de RTVC da Almap, com Cristina Abdalla, ex-Giovanni e gerente de promoções do Copacabana Palace.
• A DPZ conquistou a conta institucional e de produtos da Brasilit, empresa conhecida como fabricante de tubos e conexões. A Rino, que atendia a Brasilit desde 1985, ficará agora apenas com a comunicação da marca Fortilit, pertencente ao grupo.
• A TV Globo decidiu prorrogar as inscrições do 10º Prêmio Profissionais do Ano. Agora, elas irão até o próximo dia 19 de fevereiro. Quem quiser fichas de inscrição deve procurar o Departamento Comercial da Rede Globo, à Rua Jardim Botânico, 266 sala 303. O telefone para informações é 286-8497.
• Aroldo Araújo voltou a distribuir o seu "Jornal da Bússola", título que aproveita o símbolo da empresa, a bússola. Sua edição será trimestral e, como sempre, falará sobre as novidades da agência.
• A Oxford, maior fábrica de faiança do Brasil e uma das cinco maiores do mundo, é o mais novo cliente da Exclam, de Curitiba. A empresa detém 60% do mercado brasileiro, conseguindo ainda dedicar metade de sua produção de cerca de 5 milhões de peças por mês à exportação.
• Gerald Goldberg, presidente do Festival Internacional de Filme de Televisão de Nova Iorque, virá ao Brasil em março para fazer a entrega das medalhas aos seis brasileiros premiados. Os dois do Rio que estarão na festa serão a TV Globo, por seu trabalho "Antônio Brasileiro de Almeida", e a Funabem, pelo vídeo "Criança Esperança", criado pela Azagaia e produzido pela Eugênio Vídeo.
• As profissionais Sylvinha Tinoco e Sofia Carvalhosa, de São Paulo, uniram-se para criar a Em Cartaz, empresa de assessoria de imprensa e criação e produção de eventos e espetáculos.
• Agora, os espanhóis residentes no Rio já podem contar com a primeira entidade financeira da Galícia e a sétima da Espanha. É que foi inaugurada aqui a Caixa Galícia, que possibilitará, segundo seu presidente, José Luiz Mendes Lopes, um acréscimo de mais de 30% (cerca de US$ 300 milhões) nos negócios entre o Brasil e a Espanha. A Caixa funcionará na Rua da Assembleia, 10 grupo 1301.
• A Merrel Lepetit, fabricante do anestésico Xylocaína, para se promover junto à classe médica, patrocinou junto à Sociedade Brasileira de Anestesiologia a produção de vídeo-tapes sobre técnicas de bloqueio, que está oferecendo aos anestesistas de todo o Brasil.
• A Fun Book & Entertainment lança, no próximo dia 1º, no Salão Rio de Janeiro do Rio Palace Hotel, o livro "Rio - onde comer bem". A iniciativa é patrocinada, entre outros, por M. Chandon e pela dupla Brahma/Pepsi.
• A Cláudio Carvalho deflagrou esta semana a campanha de lançamento da primeira agência de seu cliente Banco Holandês Unido em Santa Catarina. A campanha teve comercial de TV de 30", um comercial de rádio e anúncio de jornal. O grande Cláudio Carvalho está espalhando sua atuação pelo Brasil.

Prêmio Colunistas vai até dia 8/2

Atendendo aos sempre inevitáveis pedidos do mercado, o VII Prêmio Colunistas-RJ está adiando para o dia 11 de fevereiro o prazo de suas inscrições.
Os kits de inscrição já estão com as agências, anunciantes, e fornecedores, mas existem materiais adicionais, para quem os solicitar à secretária, da premiação, que funciona na Dinâmica de Comunicação, à Praia de Botafogo 340, grupo 110, ou pelo telefone 5524141, aos cuidados de Monica Morel.

Contos e Contas

Genilson Gonzaga

Moreira e a seca

Se no Governo Brizola estivesse faltando água nas zonas nobres da cidade, ele certamente estaria sendo acusado de perseguir as elites.
Em contrapartida, furibundo, ele prepararia um tijolão quente e, além de promover os Cieps, responsabilizaria a Cia, o Governo Federal, o chaguismo a grande imprensa, aproveitando a oportunidade para fustigar os srs. Roberto Marinho e Nascimento Brito em seus próprios jornais. Na maior deselegância.
Uma questão de estilo: partir para o ataque como a melhor arma de defesa.
Esse estilo - que quase levou à loucura as competentes agências que o serviram - deu no que deu.
Agora, sob nova administração, o Estado está acometido de uma seca descomunal - o que coloca o governador Moreira Franco no pelourinho.
A comunicação de Moreira, entretanto, é mais eficiente, por isso ele se saiu bem de mais essa. Atazanado por críticas e queixumes, o governador não se descabelou nem apelou para a ignorância. Apelou para o bom senso.
Mandou criar um anúncio, veiculado nos principais jornais, explicitando que está investindo Cz$ 4 bilhões "em grandes projetos para aumentar a quantidade de água fornecida a uma população de 9 milhões e 800 mil habitantes" no Rio, em Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São João de Meriti, Nilópolis, Niterói e São Gonçalo.
O anúncio alinhava as obras em andamento e convida, de maneira inteligente, a população a visitar, para conferir, os locais onde desenvolve obras de melhorias da distribuição.
Nenhuma condenação a Governos passados, que seriam, obviamente, corresponsáveis pela calamidade. Nenhuma amargura.
A postura é digna. O anúncio é absolutamente correto. Os objetivos foram cumpridos. E a população está ungida pelos santos óleos da esperança. E o governador não sofreu nenhum abalo em seu prestígio.
É assim que se faz, mas ficou faltando alguma coisa. Talvez um outro anúncio, complementar, que promova o outro lado bom desses investimentos de Cz$ 4 bilhões: exatamente a injeção financeira que reativa a economia fluminense, tira as empreiteiras do sufoco e abre extraordinária frente de mão-de-obra.
Um Governo não tem apenas o dever de dar satisfações à opinião pública. Tem igualmente a obrigação de conquistar a boa vontade da população, explicando que o dinheiro da água também servirá para fortalecer uma economia estrangulada e dar trabalho a aflitos desempregados.
É meu único reparo. No mais. Palmas.