• CDN terá que explicar desconto de 59,5% ao Ministério da Economia

    Fabio Santos (CDN)

    Será mesmo exequível dar um desconto de 59,5% sobre o valor que o Ministério da Economia pretendia pagar para quem cuidar de sua comunicação corporativa?

    Essa é a pergunta que a agência CDN, comandada por Fabio Santos (foto), terá que responder a Ronélio da Costa Mendonça, presidente da Comissão Especial de Licitação responsável por escolher a nova contratada para a área. Esta semana, o executivo enviou à CDN uma solicitação de “documentação comprobatória da exequibilidade da proposta formulada”, motivada pela contestação que fizeram, através de recurso, duas outras agências participantes da concorrência: S2Publicom (Weber Shandwick) e Approach.

    O questionamento foi lastreado no parágrafo 3º do Artigo 43 da Lei 8666, que diz ser “facultada à Comissão ou autoridade superior, em qualquer fase da licitação, a promoção de diligência destinada a esclarecer ou a complementar a instrução do processo”. O documento pede que a CDN responda em até 48 horas. Mas não fica claro, a partir de quando. Afinal, o texto é confuso, exibindo duas datas: 24 de novembro de 2020 no alto da mensagem e, parecendo que foi copiado e colado logo abaixo, 28 de setembro de 2020. No entanto, a assinatura eletrônica de Costa Mendonça foi registrada apenas em 25/11/2020, às 16:39h. Já a data em que a solicitação teria sido entregue à CDN não aparece.

    Como relatado pela Janela, a CDN foi considerada vencedora da concorrência na fase de preços, derrubando o primeiro lugar que a Weber Shandwick havia conquistado na fase técnica. A verba original do edital era de R$ 23,5 milhões e a CDN garantiu que poderá fazer tudo o que foi solicitado por R$ 9,5 milhões. Para outras agências participantes da disputa, no entanto, o valor proposto não seria suficiente para cobrir os salários de mercado pagos aos profissionais com o nível exigido pela pasta do ministro Paulo Guedes.

    Caberá à CDN, portanto, provar agora que será.

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    Desconto de 59,5% leva a CDN ao 1º lugar no Ministério da Economia (em 26/11//2020)

    PUBLICIDADE

    Marcio Ehrlich

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    6 + 1 =

    seta