• Aliança, partido de Bolsonaro, diz ter pago R$ 850 mil por site

    Sergio Lima

    Investigada pela Polícia Federal sobre a possível ocorrência de crimes financeiros, como de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal, a cúpula do Aliança pelo Brasil, partido que apoiadores de Bolsonaro querem fundar, afirmou que os R$ 850 mil pagos para o publicitário Sergio Lima (foto) teriam sido para ele criar o site do nova agremiação e gerenciar suas redes sociais.

    A informação foi divulgada pela CNN, que teve acesso ao depoimento de Luis Felipe de Belmonte, vice-presidente do Aliança pelo Brasil, à PF, em 20 de outubro último.

    Segundo Belmonte, as várias transferências feitas por seu escritório de advocacia, e também de sua conta pessoal, para as empresas HH Cosmético e Perfumes (atual Inclutech Tecnologia da Informação) e S8 Sampa Agência de Propaganda, teriam sido com o fim de Sergio Lima criar o site do partido e administrar suas redes sociais. Foram feitos pagamentos de R$ 480 mil, R$ 220 mil e R$ 150 mil, totalizando R$ 850 mil.

    A matéria da CNN cita que, segundo o depoimento, a S8 Sampa teria sido adquirida pela Nova/SB. Para a Janela, a agência esclareceu que apenas comprou a carteira digital privada da S8, em uma operação que já aconteceu há dois anos e não tem qualquer relacionamento com a atual investigação sobre a Inclutech.

    O site do Aliança Pelo Brasil pode ser visto em aliancapelobrasil.com.br/

    PUBLICIDADE

    Marcio Ehrlich

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    + 31 = 33

    seta