• PC2020RJ - Colunistas e CCRJ agora juntos
  • Governo do Rio até hoje analisa débito de 2002 com a agência Internad

    Prêmio Colunistas Rio 1998 - Hayle Gadela e Albano Alves Filho, da Internad

    A Feema não existe mais, a agência Internad também não. Mas até hoje ainda se discute um débito que pode existir entre as duas, de um trabalho realizado em 2002.

    No começo deste mês, o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), que sucedeu a extinta Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema), criou uma comissão para “a correta apuração do quantitativo de serviços efetivamente prestados e dos valores supostamente devidos” da Feema à agência comandada, na época, por Hayle Gadelha e Albano Alves Filho, o primeiro e o terceiro na foto de 1998 que ilustra esta matéria, quando a Internad foi premiada no Colunistas Rio.

    A Internad foi uma das agências que atendeu o Governo do Rio nos anos 1990-2000. Em 2000, exatamente, a Janela registrava que tinham prorrogado seus contratos com a administração estadual as agências Artplan, Cult, Fischer, Giovanni FCB, Internad, Standard e V&S. Pouco depois, o governador Anthony Garotinho fez uma concorrência reduzindo o grupo para cinco, mas a agência permaneceu, junto com Artplan, Agência3, DPZ e Giovanni FCB.

    Segundo levantamento da Janela, o imbroglio se refere à campanha “Respire aliviado”, criada pela agência para aquele órgão estadual. Dentro dessas negociações que até hoje existem no poder público, de se tirar dinheiro de um órgão para se pagar os débitos de outro, o Detran-RJ teria feito o depósito para a Feema repassar à Internad. O valor, no entanto, nunca chegou à agência. Fontes garantem que, corrigido ao longo do tempo, o débito poderia chegar hoje a R$ 10 milhões.

    No INEA, a Comissão será presidida por Márcia Regina Gomes da Silva, tendo ainda Felipe Cezar Santos Silveira e Anderson Ferreira Pinto. Eles deverão, conforme determinado pela Portaria INEA/PRES nº 983, de 01/12/2020:

    (i) atestar o serviço realizado;
    (ii) apurar o quantitativo prestado;
    (iii) conferir a planilha de custos;
    (iv) atestar ou não a boa-fé da empresa na prestação dos serviços;
    (v) conferir e registrar qualquer informação que enriqueça a comprovação dos fatos;
    (vi) elaborar relatório pormenorizado com os atos praticados pela comissão para apuração do serviço.

    O prazo para a emissão do relatório pelo trio será de 30 dias.

    PUBLICIDADE

    Tupi FM.
    Marcio Ehrlich

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    + 78 = 87

    seta