• Morre Albano Alves, mídia, ex-Caio, Brasil América e Internad

    Albano Alves Filho

    Morreu de Covid-19 na manhã desta terça-feira, 04/05, o publicitário Albano Alves Filho, que comandou por 10 anos a mídia da agência Caio, nos anos 1970-1980. Albano depois passou pela Brasil América Publicidade (BAP) e foi sócio de Hayle Gadelha na agência Internad, com forte atuação na área política do Rio.

    Em 2012, Alves Filho resolveu se desligar da publicidade e mudou-se para Gramado, onde abriu seu Bistrô Casa Alves. Em 2017, com a chegada de Crivella à Prefeitura do Rio — onde sobrinho Marcelo Alves era presidente da Riotur — Albano se empolgou para voltar ao mercado carioca, assumindo a Diretoria de Marketing do Rio Convention & Visitors Bureau.

    Marcelo Alves disse sobre o tio: “Meu mestre, meu mentor , meu grande incentivador. Devo a ele minha profissão. Fica pra mim seu sorriso e alegria contagiosa”.

    Albano era irmão do também publicitário Aldano Alves — pai de Marcelo e Rafael Alves — e que, por muitos anos, atuou na área comercial da Editora Abril no Rio.

    Ele deixa a esposa Sônia Alves, as filhas Gabriela, Débora e Bruna Alves e netos.

    PUBLICIDADE

    PUBLICIDADETupi FM
    PUBLICIDADE

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *

    code

    Discussão

    1. Pedro Galvão

      Depois que voltei do Rio para Belém do Pará, onde fundei a Galvão Propaganda em fevereiro de 1983, a Janela Publicitária se transformou em um dos visores pelos quais passei a acompanhar os acontecimentos da profissão a nível nacional e as grandes mudanças na publicidade brasileira ao longo das quatro últimas décadas. Muitos dos grandes nomes da nossa profissão faleceram. Alex Periscinoto, Petit, Zaragoza, Neil Ferreira, Caio Domingues, Luís Macedo, Júlio Ribeiro, são apenas sete exemplos. Inesquecíveis exemplos para nós, os que continuamos vivos e trabalhando. Que a Janela continue aberta para os olhos mais atentos.

    2. ANTONIO ACCIOLY

      RIP

    3. Hygino Vieira

      Estou chocado com a notícia da morte de Albano Alves; um amigo muito fraterno, de muitas décadas.
      Hygino Vieira.

    4. Ângela Milet

      Muito sentida. Muiiiito
      nem sei se ainda tenho como sentir o que a Covid me tem levado.

    seta