• Morre Duda Mendonça, criador da DM-9 e marqueteiro de Lula

    Duda Mendonça (1975)

    Morreu na madrugada desta segunda, 16/08, o publicitário Duda Mendonça. Com câncer no cérebro, ele estava internado há dois meses no Sírio e Libanês, em São Paulo.

    No mercado publicitário, Duda já era famoso antes de ficar publicamente conhecido como o marqueteiro que conseguiu eleger Lula presidente pela primeira vez.

    Duda Mendonça, Nizan Guanaes e Domingos Logullo - DM-9
    Duda Mendonça, em 1989, quando admitiu Nizan Guanaes e Domingos Logullo como novos sócios da DM-9.

    Sua agência baiana DM-9 foi a primeira de fora de São Paulo a conquistar o Prêmio Colunistas Brasil, em 1978, depois de impressionar os jurados pela ousadia da sua comunicação.

    O jornalista e historiador Nelson Cadena conta que Duda “herdou o talento do pai, o célebre pintor baiano, Mendonça Filho”.

    Ele era cliente da Propeg, pela construtora Ciplan-Promov, quando resolveu abrir a sua própria agência, em 1975 (ano da foto).

    Diz Cadena:

    “Duda sacudiu a propaganda baiana na sua estreia, em 1975, resgatando as nossas raízes, explorando o regionalismo (Mestres de saveiros de Cajahiba, Mãe Menininha, Cid Teixeira nos ensinando história ) com um toque de emotividade incomum, naquele tempo, na propaganda brasileira, marcada por fortes influências, no discurso e no leiaute, das agências norte-americanas e Inglesas.

    Inovou no mercado imobiliário, suas origens na Ciplan-Promov, antes de fundar a agência, trazendo beleza, emoção e desejo de consumo para anúncios e comerciais que no geral, traziam plantas e ofertas. No varejo, trouxe emoção e um jeito diferente de vender óculos, em memoráveis comerciais premiados no Brasil e no mundo, para as Óticas Ernesto.

    No institucional, criou a memorável campanha “A Bahia ninguém divide”, comercial estrelado por Maria Bethania que um dia gravou a musica criada por Duda para o Motel Le Royale. E no social, o comercial “Cadeiras”, que um jurado espanhol, no Fiap de Cartagena, comentou na minha frente: esse cara é louco ou genial. Na minha opinião o melhor trabalho de Duda em toda sua carreira.
    No marketing político, trabalhou nas campanhas de Fernando Collor, Paulo Maluf, Lula, dentre outros. Na Bahia, nas campanhas de Mário Kértesz e Josaphat Marinho.

    Perde a Bahia e o Brasil com o falecimento de um dos mais brilhantes publicitários, deste país. Inovador, provocador, genial. Seu legado é um belíssimo portfólio.

    E fica também uma história curiosa sobre Duda: antes de as TVs padronizarem os tempos em 30″ e 60″, e antes de haver internet, a DM-9 se dava ao direito de criar comerciais com o tempo que seus criativos — e Duda, que dirigia alguns — achava que a história deveria ter.

    Eram curta-metragens em torno de 90″, como o primeiro comercial de Duda, para o governador da Bahia, Roberto Santos:

    Ou o das Óticas Ernesto, com 1’32”.

    Ou no

    Ou ainda o de Gelol, com 1’33”.

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    Duda Mendonça explica o que é que a sua agência baiana tem (em 28/04/1978)

    A nova DM-9 quer chegar às cabeças (em 09/06/1989)

    Caso Duda: nova acusação! (em 29/10/2004)

    DM9: histórias de uma agência que agora fica na História (em 19/12/2018)

    PUBLICIDADE

    PUBLICIDADETupi FM
    PUBLICIDADE

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *

    code

    seta