Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 30/JUN/1978
Marcia Brito & Marcio Ehrlich

 

Janela Publicitária
Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Tribuna da Imprensa.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Afinal, os sensacionais resultados da prévia semestral da Seleção da Janela!

Conforme havíamos prometido, publicamos hoje os sensacionais resultados da prévia semestral da Seleção da Janela, com número de estrelas conseguido pelas agências, clientes, redatores e diretores de arte no primeiro semestre de 1978.
Estes dados referem-se às peças publicadas na imprensa diária carioca desde 20 de janeiro (quando começamos com a Seleção) até 25 de junho, e destacadas nas avaliações semanais pelos júris formados por estes colunistas e destacados criadores atuantes no mercado carioca.
A Seleção da Janela tem como finalidade estimular a criação de peças para jornais, independentemente de critério de mídia. Para isto, temos utilizado, nas Seleções, os mais representativos jornais diários cariocas, como a TRIBUNA DA IMPRENSA, O Globo, Jornal do Brasil, Última Hora e Jornal dos Sports.
Brevemente, estaremos enviando a todos os redatores, diretores de arte, agências e anunciantes que tiveram peças selecionadas, os diplomas a que fizeram jus. E no final do ano, procuraremos entregar aos três primeiros lugares de cada uma daquelas quatro categorias os correspondentes prêmios de ouro, prata e bronze.
Vale a pena relembrar aqui que os seguintes resultados refletem unicamente o desempenho dos profissionais e empresas segundo sua produção para jornais. Será um erro realizar qualquer análise comparativa superficialmente. É mais do que óbvio que agências que dirigem sua criação mais pra televisão e revistas terão sua presença prejudicada nesta Seleção. Mas isto está perfeitamente dentro do espírito de nossa promoção.
E vamos lá aos resultados.
Agências
21 estrelas: Salles/Inter-Americana.
16 estrelas: Caio Domingues & Associados.
14 estrelas: L&M Propaganda.
13 estrelas: Denison Propaganda.
11 estrelas: Jotaé.
7 estrelas: SGB, Thompson e Clube de Criação.
5 estrelas: MPM
4 estrelas: Standard e Agência da Casa.
3 estrelas: GTM&C e SSC&B; Lintas.
2 estrelas: ALMAP, CosCom Grant, Artplan, JP&S, McCann Erickson, Estrutural e Esquire.
Redatores
11 estrelas: Washington Olivetto e Ney Azambuja.
9 estrelas: Laerthe Pedroza.
8 estrelas: Nei Leandro de Castro e José Monserrat Filho.
7 estrelas: Bernardo Vilhena.
6 estrelas: Marcello Silva.
5 estrelas: Cebastião Teixeira.
4 estrelas: Pedro Galvão, Carlos Pedroza, Vital da Costa e Silva, Álvaro de Almeida, Fábio Siqueira e Aldyr Nunes.
3 estrelas: Isac Chapira, Luís Fernando Favilla, Luís Antônio Vieira, Sílvio Lima, Celso Nogueira, Neil Ferreira, Paulo de Tarso, Liber Mateucci, Otoniel Santos Pereira.
2 estrelas: Tião Bernardi, Ayres Vinagre, Antônio Lima, César José Guimarães, Ronaldo Conde, Paulo César Costa, Gustavo Waehneldt
1 estrela: Consuelo de Castro, Mauro Mattos e Sérgio de Andrade (Arapuã).
Diretores de Arte
13 estrelas: Carlos Studart.
11 estrelas: Francisco Petit.
8 estrelas: Jacques Lewkowicz e Joaquim Pêcego.
7 estrelas: Inocêncio Perez, Delano D’Ávila e João Carlos Olivieri.
6 estrelas: Raquel Braga.
5 estrelas: Marcos Guedes, Ney Perez.
4 estrelas: José Aguiar, Jader Estevão, Carlos Prósperi e João Galhardo Júnior.
3 estrelas: Fábio Boher, Zianno Grigoli, Edmar Sales, Oswaldo Soares, José Zaragoza, Eduardo Corrêa, Danilo Perez e Joaquim Gonçalves de Oliveira (Joca).
2 estrelas: Rogerio Steinberg, Cláudio Sendim, Victor Kirowsky, Henrique David, Ivo Mensch, Antônio Maioral, Odair Greco, Sueli Baldas e Billy Gibbons.
1 estrela: Carlos Alberto , Deilon G. de Lima e Hugo Corrêa.
Anunciantes
10 estrelas: Fenaseg
8 estrelas: O Globo e Xerox
7 estrelas: Banco Itaú
6 estrelas: DNER, Ipiranga e Monartis.
5 estrelas: Ford e Francisco Alves.
4 estrelas: Telerj, GM, CIS, TV Globo e Shell.
3 estrelas: Embratur, Prefeitura de Niterói,  Ponto Frio, Wrobel, Cobra, Brastemp. Rede Tupi, Johnson & Johnson e Embratel.
2 estrelas: Miguel Couto Bahiense, Jornal do Brasil, TV Bandeirantes, Coca-Cola, Auto Modelo, Dr. Scholl e Coristina.
1 estrela: Consultan, União dos Revendedores, Bel-Papéis e Petrobrás.

• • •

Se alguém, de maldade, sussurrar que “todo mundo ganhou prêmio”, respondemos que infelizmente, não. Bem que gostaríamos que toda agência e todo criador já tivesse recebido alguma estrela da Seleção da Janela. Como os júris têm sido razoavelmente exigentes, isto significaria que o nível de nossa publicidade em jornais estaria muito além daquilo que infelizmente temos visto (leiam a Seleção da Janela desta semana).
A Seleção não premia “os melhores” da semana. Isto, inevitavelmente, acabaria implicando em algumas escolhas dos “menos ruins”. Nossa proposta é destacar os anúncios considerados pelo júri como “exemplos” de bons anúncios criados para jornais, seja por sua criação, produção, senso de oportunidade, coragem do anunciante etc.
A Janela Publicitária sinceramente espera que nossos júris possam cada vez mais ser exigentes, e ainda assim a Seleção contar com um número cada vez maior de peças selecionadas. Só dependerá dos anunciantes e suas agências, redatores e diretores de arte.

Cigarros: agora para seres humanos.

Quem prestou atenção aos últimos comerciais dos cigarros Luís XV e Minister deve ter notado uma grande mudança de mentalidade: agora, os personagens aparentam ser gente normal, usando roupas e carros bem mais comuns de serem encontrados e comportando-se mais como seres humanos que como bonecos animados.
Sem dúvida que, em relação à Souza Cruz, fabricante daquelas marcas, isto é uma revolução inesperada, pois já se tinha como padrão de propaganda daquela empresa a presença inevitável de iates e carrões (glosados inclusive pelo concorrente Chanceller com “e precisa?”).
Este comportamento é explicado por Edeson Coelho, da DPZ, agência que atende a Hollywood e Luiz XV, como resultado da impossibilidade de se vender cigarros com mensagens do tipo “Fume!”. A utilização de gente e ambientação bonita acabou servindo de saída para a inserção do ato de fumar. Agora, ele afirma, esta mentalidade mudou, e, ainda segundo ele, principalmente dentro da própria Souza Cruz. A prova é que, por decisão da própria empresa, devem ser evitadas, em todos os comerciais, as cenas em que possa aparecer o personagem puxando, tragando ou soprando a fumaça do cigarro.
A mudança mais radical, formalmente, talvez tenha sido a do cigarro Luís XV, que acaba de surgir com uma peça de 3 minutos, contando uma estorinha passada com um casal jovem. Este filme, muitíssimo bem produzido pela Jodaf, com roteiro e diálogos de João Daniel Tikhomiroff e Edney Silvestre, a partir de uma criação da dupla Neil Ferreira & José Zaragoza, é explicado por Andrew Suszynski, da Souza Cruz:
- Vimos que o slogan “naturalmente suave”, do Luiz XV, se prestava bem a uma estória de amor. Mas verificamos que mesmo um minuto seria muito para contar essa estória. E, depois de muitos meses de trabalho, conseguimos um resultado perfeitamente satisfatório em 3 minutos.
Suszynski admite que a Souza Cruz “não podia ficar fazendo sempre as mesmas coisas, só mudando as personagens e a marca do carrão”. Daí a necessidade de se atualizar as campanhas, buscando atores mais de acordo com a atualidade, e com a vivência do consumidor brasileiro daquela faixa.
Este comercial de 3 minutos do Luiz XV deverá ser desmembrado em 3 partes, para facilidade de veiculação, formando uma espécie de “novelinha”, com cerca de 1 minuto cada. A ideia é veicular, um em cada horário, e em sequencia, para despertar no telespectador a curiosidade de acompanhar a estória. Isto vem praticamente “furar”, no Rio, um projeto que a Artplan estava testando, no Sul do país, para o cigarro Commander. De qualquer maneira, o que se vê, em ambos os casos, é a busca de um caminho mais cinematográfico para os comerciais. Quanto aos resultados, até agora, segundo Andrew Suszynski, têm sido os melhores possíveis. E, se é bom para o anunciante, melhor para nossas agências e produtoras.

Pacote de junho altera a diretoria da Caio.

A Caio Domingues & Associados reformulou esta semana sua Diretoria, para enfrentar “as perspectivas que se abrem a curto e médio prazo”, segundo informações da agência. Agora, o comando da CD&A está assim constituído:
Presidente: Caio A. Domingos; Vice-Presidente Executivo: Bill Norman; Vice-Presidente de Criação: José Montserrat Filho; Diretor de Planejamento e Diretor-Gerente-Rio: Kleber Nabuco de Araújo Sá Rego; Diretor Nacional de Mídia: Albano Alves Filho; Diretor de Desenvolvimento: Carlos Eduardo Sadok de Sá; e Gerente Administrativo-Financeiro: Itamar Teixeira Neto.

Carta

Da Editoria de Meio & Mensagem:
São Paulo, 13-6-78
Caros Márcio & Márcia:
Elegemos vocês, que estão fazendo a melhor coluna publicitária do Rio, para portadores de nosso grande abraço a todo este sofrido e corajoso pessoal da TRIBUNA, agora liberado da censura.
Ass. Fernando Reis, Luís Sérgio Borgneth, Victor Gentilli e Vera Serson Zullino.
Fernando e turma: a vocês, que estão fazendo o melhor quinzenário de propaganda do Brasil, o sincero obrigado da Tribuna da Imprensa, e dos inúmeros jornaizinhos que rodavam aqui, e eram obrigados a sofrer aquela absurda e arbitrária censura.

Apenas 7 agências brasileiras ganharam seus Leões em Cannes.

Tom Figueiredo e Fernando Gerardó foram a dupla responsável pelo comercial da Lintas que recebeu o único Leão de Ouro brasileiro em Cannes. Esta peça, que também teve a participação de Luís Antônio Vieira, foi criada para a Companhia Internacional de Seguros. Também foram premiados na SAWA: com Leão de Prata: A McCann Erickson, com um filme para a Bayer e a MPM, com um comercial para a Walita. E com Leão de Bronze, a Lintas com o filme “Homenzinho” para a Johnson & Johnson (dupla: Tom Figueiredo e Edmar Salles; produtora Start, de Walbercy Camargo); a MPM com filmes para a Sambra (Óleo Pérola), a Pereira Lopes (Gelomatic) e a Fiat; a DPZ, com o comercial do RID (da dupla Petit-Olivetto com a produtora ABA, do Andrés Bukowinsky); a Young & Rubican, para o Laboratórios Anakol; a Salles, para a Texaco, e paraense Mendes, com seu filme para a Ótica Belém.
Colaboram nesta página Carla Pinheiro, Humberto Martins, Laís Frota, Marlene Barcelos e Vítor Felzenszwalb.
Esta coluna são às sextas-feiras e fecha às quintas, ao meio dia. Comunicados para à Rua Barão de Itambi, 7/605. Flamengo. Rio. CEP 20000. RJ Ou pelo telefone 286-4876.

RPs dão seu primeiro passo para sindicato.

RP: Moças EstrangeirasFoi fundada a Associação Profissional dos Profissionais de Relações Públicas (que nome horroroso), que terá a preocupação de se tornar brevemente em Sindicato da classe. A diretoria inicial está assim formada: Presidente, Anna Telma Wainstock; diretor secretário, Wilson Gavinho Vianna; diretor secretário, Vânio Coelho. O Conselho Fiscal conta com os profissionais Cel. Ávio Arouca Brasil, Cel. Áulio A. Nazareno, Cel. Jorge Augusto Vidal, João Carlos Pires, Antomar Marins e Silva, Aluizio Moura e Silva, Dante de Lima Vianna, Oyama Jardim Dantas e Lício Araujo.
A APPRP já podia começar logo tomando providências contra quem colocou este último fim-de-semana um anúncio nos classificados cariocas, solicitando uma “relações públicas” estrangeira e de boa aparência para trabalhar em recepção num período noturno num clube de grande prestígio na noite carioca. É contra isso que os RP precisam lutar e não contra os profissionais que trabalham em agências de propaganda.

Seleção da Janela

Billy Gibbons e João Galhardo João Galhardo e Aldyr Nunes
Billy Gibbons, João Galhardo Jr. e Aldyr Nunes estiveram no Júri da Seleção da Janela desta semana.

A Seleção da Janela desta semana contou com a presença do redator Aldyr Nunes (Denison) e dos diretores de arte Billy Gibbons (MPM) e João Galhardo JR. (SGB), além destes colunistas, é claro, para avaliar os anúncios publicados pela primeira vez na imprensa diária carioca na semana de 19 a 25 de junho.
Na opinião deste júri, nenhuma peça preencheu completamente os requisitos exigidos para que fosse destacada como um bom exemplo de propaganda para jornais. No entanto, resolveu-se da um Destaque à “Tóxicos em cartaz no MAM.” produzida pela Aroldo Araújo Propaganda, tendo César Oliveira como redator e Rodolfo Janotti como diretor de arte, por se ter considerado a melhor publicada nesta semana.

(Clique no anúncio para ver em tamanho maior) Aroldo Araujo para o MAM: "Tóxicos em cartaz no MAM"

 

Brainstorming • Brainstorming • Brainstorming

Já começou a funcionar o departamento de Divulgação da Denison Propaganda, em São Paulo, tendo como gerente, Vera Lúcia Novelli Vieira.
• • •
O house-organ do Unibanco atinge seu oitavo ano, com a tiragem de 25.000 exemplares, editado por Maria Amália Krause.
• • •
Sindicato dos Publicitários - Eleições
Anúncio publicado na edição impressa da Janela.
A Rede Globo está distribuindo o folheto “Conceitos e Métodos de Comercialização na Televisão”, dando por escrito as justificativas para sua atual política de comercialização.
• • •
A Norton conquistou as contas do Clube dos Executivos e da Providro. Falando em Norton, muito bom o anúncio da agência em homenagem ao 28º aniversário de um de seus clientes, a revendedora VW Sabrico.
• • •
A Companhia Internacional de Seguros está mais uma vez prestigiando o esporte amador, patrocinando a Copa Internacional de Natação, no Fluminense.
• • •
Klibson José é o novo gerente-comercial da sucursal carioca das rádios Excelsior e Globo de São Paulo.
• • •
Esta coluna mantém contato direto e imediato com as principais colunas de publicidade de todo o País.
• • •
A Biblioteca Thomas Jefferson e o USIS – United States Information Service estão com um eficiente serviço gratuito de mailing e clipping de periódicos americanos, sensacional para publicitários e comunicadores. O leitor seleciona uma série de títulos de publicações (por exemplo: Art Direction, Graphic Arts Monthly, Journal of Communication, Industrial Design etc.) e a Biblioteca envia regularmente cópia dos índices. Devolvendo-se estes à Biblioteca, com as matérias interessadas marcadas, o USIS imediatamente envia-as na íntegra. Quem quiser deve procurar a Sra. Lilian Ferraz, no USA-Center, à Rua Barata Ribeiro, 181, Rio. Ou, pelo telefone 237-2521.
• • •
Como se viu, não tem adiantado nada as campanhas educativas da ARP. O Sugismundo, até hoje, continua sujo e desalinhado. E pior, agora toma remédios sem consultar a médico, e só vacina o filho pra poder receber o salário-família atrasado. Consciência, mesmo, nem de longe.
• • •
A CosCom-Grant acaba de conquistar a conta da OZ Eletrônica, empresa nacional que atua no campo de teleprocessamento de dados, produzindo equipamento para otimização da transmissão de dados.
• • •
Colaboraram nesta página Carla Pinheiro, Humberto Martins, Laís Frota, Marlene Barcelos e Vitor Felzenszwalb. Esta coluna sai às sextas-feiras e fecha às quintas, ao meio dia. Comunicados para a a Rua Barão de Itambi, 7/605. Flamengo. Rio. cep 20000. RJ. Ou pelo telefone 286-4876.