Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 25/JUL/1986
Marcio Ehrlich e Marcia Brito

 

Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Monitor Mercantil.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Prêmio Colunistas é entregue no Rio em grande festa.

Festa do Prêmio Colunistas Rio 1986 - DPZ
Marcia Brito entrega o diploma de Agência do Ano para a DPZ

A presença de 570 publicitários de agências, veículos e fornecedores, e dirigentes das principais empresas anunciantes do Rio de Janeiro consagrou a solenidade de entrega dos diplomas do 5º Prêmio Colunistas-Rio, realizada na última terça­ feira, no Hotel Intercontinental, como a maior festa da propaganda carioca dos últimos tempos.
Foi uma oportunidade fervilhante de encontros e trocas de ideias, e homenagens aos melhores profissionais da nossa propaganda.
Pela primeira vez em seus cinco anos, o Prêmio Colunistas-Rio fez acompanhar a cerimônia de entrega da projeção de slides (em áudio visual feito pela SM, de Sergio Miranda) reproduzindo todos os trabalhos premiados, o que permitiu aos presentes avaliar o julgamento dos Colunistas e aplaudir vivamente, como aconteceu em muitos casos, as peças que mais se destacavam também em seus conceitos, premiando duas vezes os vencedores. O sucesso da novidade foi tão grande que a organização do Colunistas-Rio se comprometeu a manter a ideia e colocar todos os esforços para aprimorar a forma de execução, dentro dos mais modernos recursos áudio visuais.
Um dos pontos altos da festa foi o discurso de Marcio Ehrlich, destacando a importância do prêmio que estava sendo entregue e o orgulho que cada publicitário deveria ter de recebê-lo (o texto do discurso será reproduzido nesta coluna na próxima semana). E foi notável também a emoção de Juan Vicente ao discursar agradecendo o prêmio de Agência do Ano para a DPZ-Rio, agência que gerencia.
Vale citar ainda a bela e elegante presença que tiveram as recepcionistas levadas pela Cia. de Modelos e a locução firme e hábil do Francisco Barbosa Jr., da Rádio Globo FM e da produtora Marisia. Para completar, fez muito sucesso também a edição especial "Janela Publicitária Documento", distribuída pelo Monitor Mercantil, com a relação completa dos premiados incluindo as respectivas fichas técnicas, com os nomes dos profissionais envolvidos em cada trabalho.
O 5º Prêmio Colunistas-Rio confirmou esta semana que é, sem qualquer dúvida, a maior premiação da Propaganda Carioca.

Festa do Prêmio Colunistas Rio 1986 - José Roberto Whitaker Penteado e Herculano Siqueira Festa do Prêmio Colunistas Rio 1986 - Rafael Sampaio e Armando Strozenberg
José Roberto Whitaker Penteado entrega a Herculano Siqueira o diploma da Denison. Rafael Sampaio entrega a Armando Strozenberg o prêmio da Estrutural.

 

Sunab classifica 14 das 15 agências em sua concorrência

Das 15 agências que apresentaram documentos para a concorrência publicitária pela conta da Sunab, apenas a Estrutural foi desclassificada, por não ter entregue, conforme exigência do Edital, o envelope com a Proposta de Trabalho. Durante a última semana, representantes da agência tentaram conseguir dar entrada no material faltante, contando inclusive com a aceitação de algumas das demais agências participantes da concorrência, mas a Comissão de Licitação não aceitou os argumentos. Hoje, às 10 horas, a Comissão da Sunab fará a abertura dos envelopes de Propostas das 14 agências classificadas: AdAg, Almap, Artplan, Assessor, Denison, DPZ, Escala, GFM/Propeg, L&F, MPM, Professa, Salles, SGB e Tandem.
Na próxima semana, em Brasília, será a vez da entrega de Documentos e Propostas para a concorrência do Ministério da Saúde, que atualmente trabalha com a DM-9 (de Salvador) e a Denison, mas agora anuncia que pretende escolher três agências de propaganda. Segundo comentários do mercado, destas três, uma seria obrigatoriamente baiana e outra com escritório montado em Brasília.
E para agitar ainda mais o mercado publicitário, em agosto duas outras concorrências de contas estatais serão disputadas: a do Ministério da Previdência Social e a do DNER, cujos editais já estão sendo avidamente analisados pelas principais agências brasileiras.
Depois de tudo isso, fica a pergunta: que fim levou o projeto de regulamentação das concorrências das estatais, aquele que a Fenapro acreditava que conseguiria emplacar em Brasília?

Grupo de Mídia nega que mídias sejam criativos.

Grupo de Mídia do Rio: Até a MídiaEm anúncio publicado na imprensa carioca esta última quinta-feira, o Grupo de Mídia do Rio de Janeiro considerou "infeliz" a visão de muitas pessoas de que a mídia contribua "para que uma agência apresente um trabalho criativo".
O anúncio se refere ao discurso feito por mim, Mareio Ehrlich, na prestigiadíssima festa do 5º Prêmio Colunistas-Rio, ocorrida terça-feira última no Hotel Intercontinental.
Neste discurso - aliás bastante aplaudido e depois elogiado por inúmeros presentes à festa - eu lembrava à classe que era absurdo se considerar qualquer prêmio de criatividade, e em particular o Prêmio Colunistas, como exclusivo da criação. "Em publicidade ninguém vale nada sozinho", disse.
A partir daí, citei a importância da participação no processo criativo de diversos departamentos que normalmente são esquecidos no crédito das premiações publicitárias brasileiras. Defendi que também deve-se homenagear o atendimento, os produtores, os profissionais de estúdio e - denunciando o preconceito - lembrei que até a mídia, normalmente desconsiderada no processo criativo publicitário, deveria se sentir premiada naquela noite, pois, como exemplifiquei no discurso, "quantas vezes é o mídia quem traz as melhores soluções de aproveitamento da verba do cliente, determinando formatos originais para a criação dos trabalhos",
Espantosamente, porém, o Grupo de Mídia, em decisão que sabemos não ter sido unânime em sua Diretoria, publica um anúncio ironizando o discurso e afirmando que "infelizmente esse tipo de visão ainda continua partindo de muitas pessoas. Até do Marcio".
Não posso compactuar com a posição destes membros do Grupo de Mídia. Continuo achando que deve ser aproveitada toda oportunidade para denunciar os preconceitos existentes entre muitos profissionais de propaganda que consideram criativos, e com direito a participar do desenvolvimento dos trabalhos publicitários, apenas os profissionais da criação.
Ideias retrógradas como esta ­ levantada no anúncio por seguramente uma minoria que usou o nome do Grupo de Mídia - devem ser combatidas firmemente inclusive pela grande maioria dos mídias que sei pensarem como eu: que tanto o atendimento, quanto o estúdio, a produção; o RTVC, e até a sempre esquecida mídia, contribuem de forma fundamental para que uma agência apresente um trabalho criativo. (ME).

Cartas

• De Flavio Gomes de Mattos, diretor da ABCI:
"9 anos de Janela aberta de par a par para os problemas, anseios, propostas e soluções de tudo quanto torna maior nosso universo de trabalho. Parabéns e com licença continue na luta". Flávio Gomes de Mattos, em nome de toda ABCI.
• De Ubirajara Monteiro, diretor de atendimento da Denison:
"Parabéns pelo nono aniversário da Janela Publicitária. Fazemos votos que o seu sucesso continue por muitos novênios. Abraços". Ubirajara Monteiro, Denison Propaganda
• De Jomar Pereira da Silva, presidente da CBBA-/Propeg.:
"Amigos Marcia e Marcio,
"Parabéns pelos 9 anos da Janela aberta, democraticamente, ao mercado publicitário. E parabéns pela festa dos Colunistas Rio, revigorando a imagem do prêmio. Grande abraço". Jomar Pereira da Silva.
•. De Valdir Siqueira, diretor da VS Escala:
"Marcia e Marcio,
"Não poderia deixar de registrar minha alegria pela festa de ontem.
"Organizada, bonita, elegante e profissional. Enfim, uma noite digna da propaganda carioca.
"Os premiados foram convenientemente recebidos e as peças premiadas destacadas e vistas por todos. Tudo correu muito bem.
"O discurso do Marcio foi muito oportuno e colocou uma postura dos colunistas que estavam faltando: o de maior respeito aos prêmios.
"Marcia e Marcio, vocês mostraram competência. E eu estou muito feliz por vocês, Abraços carinhosos". Valdir Siqueira .
•. De Carlos Eduardo Jardim, vice-presidente da R. J. Reynolds:
"Caro Marcio,
"Somente hoje li a sua coluna do dia 11 de julho sobre a propaganda de cigarros. Creio que você abordou o assunto com bastante propriedade e levantando temas que realmente devem ser discutidos.
"Foi muito duro para nós termos que adotar esta posição pois trabalhando há quase 26 anos no meio da comunicação, decidirmos trabalhar sem a mesma é como estar praticando quase um suicídio.
"Creia você que a decisão tomada pela indústria não se baseia simplesmente em um acordo de cavalheiros, mas sim numa decisão empresarial para sobreviver e para ter prejuízos um pouco menores do que os 100 milhões de dólares que se avizinham.
Creio que é uma decisão que cada uma tomou per se e que acredito deve durar por algum longo tempo.
"Meu grande abraço".
Carlos Eduardo Jardim, vice-presidente, R.J. Reynolds