Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 28/JAN/2000
Marcio Ehrlich

 

Esta edição da Janela Publicitária foi publicada originalmente no jornal Monitor Mercantil.
O seu conteúdo foi escaneado e transcrito para ficar à disposição de consultas pela internet.

Banco do Brasil tem 13 agências disputando a sua concorrência

O Banco do Brasil abriu a corrida pelas suas contas publicitárias esta quinta-feira, abrindo em Brasília os envelopes de habilitação da sua licitação, cuja verba prevista é de R$ 85 milhões.
Treze agências se habilitaram para a disputa. São elas: Artplan, Atual, DCS, Denison Brasil, DNA, Escala, Fischer América, Giacometti & Farkas, Grottera, Lowe Lintas, Master, Publicis.Norton e ST.

Compactor lança promoção para Neo-Pen na volta às aulas

A Cia.de Canetas Compactor, uma das maiores fabricantes brasileiras de produtos de escrita, está lançando pela primeira vez na sua história uma promoção de vendas para as suas canetas hidrográficas Neo-Pen, com o objetivo de estimular a compra do produto na volta às aulas.
Criada pela agência de publicidade carioca Staff de Comunicação e operacionalizada pela Dinâmica Promoções, a promoção "Neo-Pen Compactor" dará a 8 crianças entre 3 e 11 anos uma viagem de 10 dias à Disney World e outros parques de Orlando com tudo pago e o direito de levar, como acompanhantes, um adulto e um amiguinho ou parente da mesma faixa de idade.
Para concorrer, as crianças deverão enviar para a Caixa Postal 34120 , no Rio, cartelas das embalagens de Neo-Pen com a resposta à pergunta "Qual a caneta que leva você e seu amiguinho para a Disney?".
A promoção foi lançada no último sábado, 22 de janeiro, como uma série de ações de merchandising durante o programa "Xuxa Park", que se estenderão até 12 de fevereiro.
A Cia.de Canetas Compactor existe há 40 anos e tem, entre seus produtos, além das hidrográficas Neo-Pen, uma extensa linha de lapiseiras e canetas esferográficas. A conta publicitária da Compactor é atendida pela Staff desde o início de 1999.

Ministério da Cultura decide concorrência pela McCann

Agência que atendeu até o ano passado o Ministério da Educação, a McCann-Erickson acaba de vencer a concorrência do Ministério da Cultura, com uma verba estimada de R$ 5 milhões.
A conta será atendida pelo escritório da McCann em Brasília, com o apoio da estrutura de criação da agência no Rio de Janeiro, comandada por Luiz Nogueira.

Ogilvy conquista novas contas na Beecham

Sonrisal, Sal de Andrews e Leite de Magnésia Phillips, que estavam na Giovanni — numa verba estimada de R$ 10 milhões —, são os novos produtos da Smithkline Beecham a entrar para a Ogilvy Mather do Rio.
A Beecham já havia entregue à Ogilvy a sua conta institucional e do sal de fruta Eno.

Telefônica muda seu marketing e traz Isaac Soares de volta

Depois de passar um tempo cuidando do marketing da Telefônica Celular na Bahia, Isaac Soares está de volta à empresa no Rio, promovido agora à sua direção de marketing.
O cargo vinha sendo ocupado por Edmundo Fornazzari, ex-Royal, que se transferiu para o mesmo cargo na Telefônica Celular do Rio Grande do Sul.

Novas ofertas de emprego se abrem no mercado do Rio

A Janela mais uma vez recebe pedidos de ajuda das agências para a contratação de novos profissionais. Aí vão as ofertas:
ESCRITÓRIO DE IDÉIAS
O Escritório de Idéias, agência que atende o Copacabana Palace, Toulon, White Martins etc., está precisando de Diretor de Arte para ontem!
Interessados entrar em contato com Marton Olympio - 5374663. Repito: Urgente!
Marton Olympio, Redator e Roteirista
[email protected] ou [email protected]
ÍCONE
olá amigos,
somos da Ícone Comunicação.
somos uma agencia do rio.
somos uma agencia na barra.
estamos precisando de contratar um diretor de arte júnior/gênio
porque somos uma agencia júnior com contas legais.
se vcs puderem nos ajudar seria o máximo
se precisarem de nos estaremos a disposição
obrigado
ricardo novaes
diretor de criação

Fischer-Rio passa a cuidar da conta do site Guia Local

A FischerAmérica-Rio contratou o criador Alexandre Guedes, que desistiu de se manter como sócio da agência Exemplo depois que ela deixou de atender a conta do Casashopping. Junto com Alexandre Guedes foi para a Fischer-Rio a conta do site de informações sobre o Rio de Janeiro "Guia Local", que era atendido pela Exemplo.
O Guia Local é a segunda conta de Internet da Fischer-Rio, que já cuida da comunicação do site de leilões pela Internet Lokau.com, onde acaba de assumir, como novo diretor de marketing, Marcos Caetano, ex-diretor executivo de marketing da Icatu Hatford Seguros.

OPINIÃO

Conforme prometido na Janela da semana passada, aqui vai a segunda e última parte do discurso de Armando Strozenberg, diretor da Contemporânea, ao receber o seu título de Publicitário do Ano da ABP.

Das 10 mil coisas que aprendemos em muitos anos de contemporânea, aqui estão 12 para vocês.
Armando Strozenberg
1 - TENHA UM ÍDOLO.
Uma pessoa, um conceito, uma campanha que você admira. Mas tenha um ídolo, uma referência.
2 - ACREDITE EM VOCÊ.
Seja o melhor você que você puder ser. Um dia, você vai ser melhor que o seu ídolo. Até porque, por melhor que seja, o seu ídolo ou referência pode ser tudo, mas jamais poderá ser você ou o resultado do trabalho que só você será capaz de fazer.
3 - ACREDITE NAS SUAS IDÉIAS.
Nunca aceite apenas um não. O Não é assassino. Mas se por trás do Não existir uma boa explicação ou raciocínio que convença você, você não tem mais um Não. Você tem um novo briefing. E vai poder fazer melhor.
4 - SEJA UMA ESPONJA.
Absorva tudo, tudo, propaganda, tecnologia, sociologia, pornografia, história em quadrinhos, graffitis, os clássicos, os best-sellers, jornais, revistas, vídeos, políticos, antropólogos, bicheiros, música erudita, pagode, Freud e a sua vizinha, Tour D"Argent em Paris e o botequim pé-sujo da sua esquina, Umberto Eco e a sua empregada, Paulo Francis e Gugu Liberato, Shopping Center e padaria, Supermercado e camelôs.
5 - SAIBA OUVIR.
Ouvir o cliente, ouvir o mercado, ouvir o consumidor. Antes de dizer ao público o que ele precisa é preciso descobrir o que ele deseja. Mas depois de ouvir muito e absorver o que ouviu, quando todos estiverem falando da mesma coisa, ou pensando a mesma coisa, pense em outra.
6 - FAÇA MAIS, MAIS, MAIS.
Sempre mais. Vista a camisa de cada produto, serviço ou problema. E sue muito esta camisa. Uma idéia sempre pode ser melhorada. Mesmo depois de pronta. Mesmo depois de veiculada.
7 - APRENDA AS REGRAS DA PROFISSÃO.
Uma por uma, aprenda todas as regras. E, se for preciso, quebre todas. Mas depois de aprender, e se for preciso. Com conhecimento e consistência. E nunca esqueça que as regras da profissão são muitas vezes a sua maior arma.
8 - MERGULHE NO PROBLEMA A SER RESOLVIDO.
E voe para fora dele. Mas nunca mergulhe tão fundo que não possa voltar. Nem voe tão alto que não possa descer. As soluções sempre estão dentro do problema e não fora dele. Mas às vezes é preciso sair dele para ver melhor.
9 - CUIDADO COM O PODER DA PUBLICIDADE.
A nossa profissão dá muitas vezes a sensação de poder. E o poder é poderosamente traiçoeiro. Recomenda-se o seu uso com alta dose de moderação. Aliás, a humildade às vezes pode garantir um Leão em Cannes no ano seguinte. Relativize a importância da publicidade. Antes de se achar o máximo, lembre-se que a África e o Piauí são aqui ao lado. Mas, ao mesmo tempo, tenha sempre a certeza de que é o máximo trabalhar numa profissão que mexe com o coração, o fígado, a mente e as fantasias de milhões e milhões de pessoas.
10 - NÃO SEJA GÊNIO.
Ninguém, nem o gênio, consegue ser genial todo dia. O importante não é o brilho ofuscante ou o estrelismo de um dia. Mas a conduta, o caráter, a consistência, a qualidade média acima da média e ao longo do tempo. Não queira ser uma estrela, mas sim um planeta.
11 - TRABALHE 24 HORAS POR DIA.
Se possível, invente a 25ª hora. A comunicação e a idéia não tem hora nem lugar para acontecer. Pode ser no escritório, em casa, na rua, no botequim, na praça ou no banheiro. E tenha uma relação de amor com o trabalho. Ninguém faz bem aquilo que não ama. Lembre-se também de que a relação com um cliente, qualquer cliente, é feita de mil e um detalhes, mas todos só serão construídos se houver um detalhe fundamental: confiança. Sem a confiança dos dois lados, nada dará certo. Finalmente, nunca se esqueça de que - mais do que criação - a nossa profissão é feita de inteligência. As pessoas e sua inteligência são o principal ativo de uma Agência.
12 - SEJA HONESTO. DIGA A VERDADE.
(E diga "bem dita", como há mais de 100 anos defende a máxima dos nossos - novos e recentes - sócios internacionais).

Série "Os Publicitários do Século"

A Janela prossegue apresentado ao mercado um pequeno histórico de cada um dos publicitários mais indicados pela pesquisa realizada sobre os profissionais que mais ajudaram o desenvolvimento da atividade até hoje no Brasil.
Desta vez, falamos sobre Roberto Duailibi, o terceiro nome mais indicado pela pesquisa, com um texto fornecido pela assessoria de imprensa da DPZ, sua agência.

Duailibi, um dos pais da DPZ, a mãe das agências de criativos

Roberto DuailibiNatural de Campo Grande-MS, Roberto Duailibi nasceu em 08/10/1935, há 64 anos. Veio para São Paulo aos 12 anos de idade. Seus pais de origem árabe sempre foram ligados ao comércio de armarinhos e neste ambiente começou a ter na prática suas primeiras noções sobre marketing de varejo. Na publicidade, a estréia se deu aos 19 anos, como redator do Departamento de Propaganda da Colgate-Palmolive. Começou traduzindo anúncios e analisando a mídia da concorrência. Ficou na companhia dois anos, quando surgiu a oportunidade para trabalhar pela primeira vez numa agência, a C&N.
Logo a seguir recebeu um convite da McCann-Erickson onde permaneceu apenas 28 dias, por ter recebido convite para retornar a C&N, pelo dobro do salário. Nesta agência trabalhou por muitos anos. "Ficávamos num lugar muito agradável na Rua Barão de Itapetininga. Era sensacional, um paraíso. Tínhamos muita liberdade e permanecíamos até à noite. Era a fase da propaganda romântica", lembra ele.
O publicitário teve depois passagem pela Thompson, como chefe de redação, onde chegava escrever 30 anúncios por dia. "Era um sacrifício excepcional". Depois integrou a agência Standard até abrir a DPZ, junto com os sócios Petit e Zaragoza. "Eu fazia muitos trabalhos free-lances para eles, que na época eram donos do estúdio Metro 3. Criávamos coisas incríveis pois tínhamos muita liberdade", relata Duailibi. O trio percebeu que poderia fazer um grande negócio e, em 1968, abriu a DPZ apenas com a conta de um revendedor Ford. O profissional enfatiza que sente orgulho de nunca ter levado uma conta sequer de agências pelas quais passou.
Na relação de clientes atuais estão pesos-pesados da economia brasileira, entre eles, a Souza Cruz, Johnson & Johnson, Banco Itaú, Nestlé, Credicard, e Sadia. A DPZ conseguiu também ser a agência brasileira mais premiada no exterior. "Ao invés de ficarmos mais conservadores com o crescimento, pudemos ficar mais atrevidos", costuma dizer Duailibi. "É isso que os clientes nos pedem".
Durante quase toda sua existência, a empresa sempre esteve entre as cinco maiores agências de publicidade do País, e há uns sete anos foi considerada a maior. Contudo, o publicitário não gosta que ela seja vista como grande, garante que prejudica os negócios. A maior ou não em tamanho ou faturamento, o fato é que a DPZ é seguramente a maior genitora de profissionais que, hoje, brilham no cenário publicitário. Entre tantos outros, por lá passaram feras como Washington Olivetto, Marcello Serpa e Nizan Guanaes. E tem mais ainda em seu currículo, a DPZ também foi introdutora da computação no setor.
Duailibi faz parte de uma das primeiras turmas da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, e sempre esteve ligado à área de criação. No entanto, não deixou de se preocupar com a formação dos profissionais de publicidade. Ensinou os segredos da redação durante seis anos na Escola Superior de Propaganda e Marketing, onde também se formou e foi diretor de cursos. Foi ainda professor da Escola de Comunicações e Artes da USP e vice-presidente do Conselho Diretor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas. Na Associação Brasileira de Agências de Propaganda ABAP - foi presidente nos biênios 84/86 e 93/95. Costuma ser muito solicitado para proferir palestras ao redor do mundo em associações, universidades, empresas e congressos.
É casado com a também publicitária, Silvia Duailibi, dona da agência Berg, e tem dois filhos, o joalheiro Marco e produtor de TV Rubens, que por sinal está lançando um programa na televisão sobre carros. Segundo seu pai, ambos escrevem muito bem, mas apenas o primeiro é apreciador de frases como ele. Profissional com respeito unânime em seu segmento, Duailibi entende que a publicidade brasileira como atividade civilizatória tem a missão integrar largas parcelas da população isoladas culturalmente do mundo do consumo. "No futuro a propaganda vai fazer parte da paisagem em grandes centros se integrando melhor com as pessoas e não mais será olhada com estranhamento como sempre foi", arremata ele.

MKTMIX

* PARABÉNS PRA VOCÊ - A Janela se abre para comemorar os próximos aniversários do mercado:
28/01, Sexta-feira: Carlos Augusto Montenegro (Diretor Executivo da Ibope), Paulo Henrique (Supervisor de Atendimento da Luz);
29/01, Sábado: Ana Paula Souza (Supervisora da McCann Erickson);
30/01, Domingo: José Dias (Globograph, diretor);
31/01, Segunda-feira: Aías Lopes (Diretor Presidente da Sind.Agências do Rio), Hélio do Val (Gerente de Operações da Promarket), Ronaldo Uzeda (Diretor/Presidente da Tec Cine), Angelina das Virgens (Diretora de Mídia da Criativa);
01/02, Terça-feira: Fredy Nabhan (Dir.de Criação da Zênite), Luís Antônio Ribeiro Pinto (Diretor Comercial da Promocine), Nélson Coelho (Diretor de Operações da Gco/Promag);
02/02, Quarta-feira: Eduardo Regal (Diretor de Novos Negócios da Speroni & Ferrari);
03/02, Quinta-feira: Mônica Siqueira (Produtora da Zohar);
* OPERANDO NA DOCTOR - Anthony Talbot, da Doctor, escreve para contar que, por conta do crescimento que a agência teve de 53% em 1999, o volume interno operacional cresceu muito, fazendo com que criassem o cargo de Supervisor de Operações. Para este cargo, foi contratado o João Eudes Barbosa, que será responsável por todo controle da operação interna da agência. Ele já esteve na área operacional de agência de publicidade como Salles, MPM, Denison, Young & Rubicam, Caio e ultimamente na J.W.Thompson.