Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
A Fenêtre é a cobertura da Janela Publicitária em Cannes, com o apoio da GiovanniFCB em 2006.

 

22 de junho de 2006, quinta-feira

BRASIL, PAÍS DO CYBER
A cerimônia de Cyber e Press de ontem mostrou bem a nossa vocação para a Internet e, infelizmente, confirmou a fase ruim na mídia impressa.
A DM9DDB, agência do ano em Cyber no ano passado, ficou em terceiro lugar na classificação “internética”. Mas curiosamente, quando a agência foi anunciada no telão anunciou que era da cidade de “São Paolo”, com O. Neguinho devia estar de fogo quando foi fazer essas anotações.
O Brasil continua fazendo bons trabalhos nesta categoria e, diferente dos seus concorrentes americanos aposta, na maioria das vezes num formato lúdico e simples, sem grandes produções ou complicações, como sempre fez em filmes e anúncios também. Além disso ganhou, mais uma vez, a competição dos Young Creatives nesta categoria.
A americana Crispin Porter é que passou o rodo, ganhando dois Grand Prix e pegando o título de agência do ano.
E foi a parte de Cyber que tomou a maior parte da noite, já que não foram tantos assim os leões de ouro em mídia impressa. Sinal dos novos tempos do Festival? Talvez.
A cerimônia foi dividida em duas e entre elas foram entregues as medalhas (que tem um leãozinho, bacana) e o troféu para a equipe portuguesa. Cumpri o que falei aqui e subi lá com a camisa do Vascão.
Na mídia impressa, a cerimônia começou ignorando a briga da Giovanni para retirar do festival a peça da IPAS, que teria ganho bronze. No telão da cerimônia e hoje também no Lions Daily, jornal oficial do festival, o prêmio foi confirmado.
Das agências brasileiras, Publicis foi a única a subir no palco para receber um prêmio de Press. Rodolfo Sampaio, Guilherme Jahara, Renata Florio e Leo Macias, responsáveis pelo trabalho -- vejam na foto à direita -- estavam mais felizes do que pinto no lixo. Jahara, na saída, destacou orgulhoso que num ano difícil para o Brasil, além do ouro, a Publicis conseguiu, até agora, 8 short lists.
Mas é consenso, já estivemos melhor. E ano que vem vai ser diferente.

PAZ
Periscópio, para LegoAs cerimônias de entrega de prêmios em Cannes estão muito civilizadas. Ninguém vaia, ninguém grita, nada. Isso apesar do Grand Prix de Press, "Periscópio", dado à África do Sul (imagem à direita), não ter enchido os olhos do pessoal e do GP de Outdoor ser um longo e enorme all type. All type grande para outdoor? Pois é. Eram peças para a Tate Gallery em Londres que imitavam esses longos textos que encontramos nas entradas das exposições de arte... Veja lá as três peças da campanha no site do Cannes Lions.

DROGA DÁ CANO NOS BRASILEIROS
Davis Droga, passado pelo PhotoshopEncontrei David Droga ontem na cerimônia de premiação de Press e Cyber. Fui falar com ele sobre a entrevista que deu aqui à Janela.
- David, quero saber se você cumpriu a sua parte na aposta. Vestiu a camisa do Brasil no dia da derrota para a Austrália?
- Tenho que confessar: não!
- Olha que aposta é aposta…
- Não deu, sério. Fiquei muito chateado com a derrota e não tive coragem, realmente achei que a Austrália merecia ter feito um ou dois gols. Mas enfim, era o Brasil…
- Sim, a Austrália tem feito bons jogos e tem evoluindo, tomara que passem.
- Eu acho que vamos passar. Quem sabe a gente não encontra o Brasil de novo e tem mais uma chance?
- Tomara para vocês que não.
- Hahaha. Manda um abração lá para o Brasil e boa sorte para a gente na Copa.
Mas vocês sabem que a Fenêtre jamais iria deixar o presidente do Festival de Cannes mal com a galera, por isso, demos uma forcinha ao David.

UMA BELEZA
Vocês já devem ter reparado que eu sou um ás do Photoshop né? E as fotos que parecem fora de foco mas na verdade possuem um grande conceito artístico por trás, para você se sentir como se estivesse aqui, bêbado?

MAJESTIC DEVE EXPLODIR ESTA NOITE
Se forem metade das pessoas que dizem que vão ao Majestic hoje assistir o Brasil no lounge do portal Terra, o hotel tem que se transformar, rapidamente, no Maracanã, para caber tanta gente. A Film Brazil já ofereceu sua casa aqui em Cannes para receber todos os brasileiros. E ainda assim, acho que vai ser pouco.

NEW DIRECTORS
Falando em lotado, a exibição da mostra de filmes de novos diretores de cinema selecionados pela Saatchi teve que recorrer a mais uma sala, além do Grand Auditorium do Palais. A divulgação foi engraçada, um gordão de fio dental fez aparições relâmpago carregando um cartaz do evento, que apostou no tema “Disruptivos”.
Mas o motivo da grande audiência não pode ser outro, a palavra “New”. E foi o que passou: novas linguagens, novas abordagens, nova coragem.
O diretor de criação mundial da Saatchi, Bob Isherwood, abriu a mostra dizendo que este ano, dos trabalhos selecionados, apenas 1/3 era publicidade e justificou dizendo que os novos talentos não estão conseguindo espaço para mostrar seu valor no nosso mercado.
Abrindo e fechando a sessão de filmes, um grupo de dançarinos de hip hop vindo de um gueto de Los Angeles. Isherwood, agora acompanhado pelo fotógrafo, diretor e superstar David La Chappele, justificou que aquela galera estava ali porque venceram as adversidades com criatividade. Golaço.
Um dos melhores vídeos apresentados esta manhã foi o Sentimental Journey, da cantora japonesa Yuki. Confira neste link: http://www.youtube.com/watch?v=ajkjtBgfNGU
O clip já inspirou um comercial de Coca-Cola, com exatamente a mesma técnica, que é um dos favoritos a leão em Cannes.

SURREAL
Aconteceu de verdade comigo, agora esta manhã, mas dava um bom comercial.
Chego com pressa num café e peço um sanduíche e um suco de laranja para levar. A moça do balcão pergunta se eu quero que esquente o sanduba. Digo que sim. Quando ela tira o dito cujo de dentro da vitrine, a fatia de baixo do pão cai (claro, com a manteiga virada para o chão, mas isso é um detalhe óbvio).
A mulher se faz de rogada e na minha frente, ameaça colocar o pãozolho de novo na composição do meu já parco café da manhã.
Interrompo a graciosa francesinha e digo algo como: “ Aí não, né, mon chérri”, com meu francês mocorongo e um sorriso simpático nos lábios.
O olhar da garçonete me atravessa como se eu fosse transparente. Ela joga a fatia cheia de cutão no lixo e leva minha refeição para a cozinha. Volta com o suco e um embrulho quentinho nas mãos.
Saio andando pela Croissete. Abro meu farnel já perto do Palais. Uma fatia está lá, o queijo e o presunto também, mas ela não colocou a outra fatia, esquentou o presunto direto na chapa.
Poderia assinar: Conheça a França.

Fête de La MusiqueFÊTE DE LA MUSIQUE
Todo dia 21 na França, para comemorar o primeiro dia do verão, tem a Festa da Música. Ontem, portanto, foi o dia de músicos e DJs invadirem as ruas tocando todo o tipo de música. O lugar mais animado ficava a um quarteirão do Palais onde havia uma mega festa na rua, com DJs excelentes que, curiosamente, tocavam tudo menos música eletrônica.
Quem não deve ter curtido muito foi essa velhinha que eu fotografei e estava à beira de se jogar da janela com os decibéis de bandas como o Rage Against The Machine. E olha que a anciã devia ser surda.
Ruas lotadas com caixas de som à toda até 1h da manhã. Mas a melhor definição do que foi a festa eu deixo com o testemunho de dois cariocas, quando viram a confusão.
Rodrigo Tórtima: “Já entendi. Isso aqui é que nem uma micareta, né? Só que sem o Chiclete com Banana.”
Pedro Prado: “É como se fosse um grande húmus. Quem é minhoca da terra está aí dentro.”

A MELHOR FESTA QUE NÃO FUI
Foi a da Getty Images. Dava para ver do calçadão que o convescote na praia estava bombando. Constatei lá um problema. Para todas essas festas é fácil arrumar convite durante o dia. Na verdade as empresas nos mandam e-mails, distribuem papeizinhos e a gente não tá nem aí. Talvez por preguiça, talvez porque saiba que na hora sempre se dá um jeito.
O jeito, no caso é alguém que tem convite entrar, pegar alguns convites e sair para entregar aos amigos. O processo se repete até que todos os brasileiros estejam devidamente alojados.
O problema é que na primeira tentativa, o segurança arrancou de um de nossos colegas o cordão que era o convite. Ficou manjado o esquema. Para piorar, o segurança que estava na porta era o zagueiro do time da Holanda, que na manhã anterior já tinha me enfiado o cacete no Futebol.
Como obviamente o segurança não está inscrito no Festival....cacete, Cannes já tem até fantasma no campeonato de futebol.

A MELHOR FESTA QUE NINGUÉM FOI
A Beach Party da MSN em Palm Beach, um pouco afastado do centro de Cannes estava sensacional. Mas eu deveria ter desconfiado quando nos deixaram entrar quando eu apenas mostrei o crachá da Janela. Fora alguns nerds que provavelmente trabalhavam para a MSN. Fiquei com a sensação de que se tivesse uns computadores em rede por lá, ninguém dançava, ficava todo mundo jogando Doom.
Mas tinha uma puta infra, incluindo um simulador de surf, que numa festa com open bar pode ser utilizada também como uma máquina de chamar o Raul.
(na foto à esquerda: Pedro Prado da F/Nazca, Rodrigo Tortima da DM9 e Luis C. Salvestroni e Álvaro Rodrigues da Agência3)

MARTINEZ
Quer ganhar mais do que um diretor de criação mundial de uma multinacional? Venha a Cannes e traz um isopor pra vender Skol geladinha a “dôrreal” na porta do hotel que serve de saideira para todo mundo em Cannes. A breja no bar do Martinez está saindo pela bagatela de 10 Euros. Muitas vezes, entra no seu corpo mais quente do que quando sai. E aquilo fica lotado.

WAZARI
Abriu o sol, caiu o saco e quem teve a chance vazou. Muita gente alugou um carro e foi dar uma volta pelas cidades próximas à Cannes para dar uma relaxada. Amanhã vai ser punk.

AMANHÃ TEM EXIBIÇÃO DO SHORT LIST DE FILMES
E se durar 8 horas como no ano passado, a coluna vai sair mais tarde, só para deixar o Marcio estressado. O Brasil parece ter reagido ao fraco desempenho em press & outdoor e tem 21 indicações. Vão marcar presença: Almap BBDO, F/Nazca, Eugênio DDB, Lew Lara, Duda, Dez, Lowe, Fischer, Giovanni SP, Carillo, Age, RC (Minas) e NBS (Rio), mostrando mais uma vez um equilíbrio na distribuição dos finalistas.
Separei os links para os 3 filmes que a galera por aqui está apostando como favoritos ao Grand Prix. Em qual você apostaria?
MTV: http://www.youtube.com/watch?v=vJQGMWuiniI
Honda: http://www.youtube.com/watch?v=GuyaVcqTgic
Guiness: http://www.youtube.com/watch?v=4BnVSLk8Li8

OBRIGADO DE NOVO
Rafael Simi, Daniele Marques, Carlos Espinoza, Pedro Martins, Léo Assunção, Luísa Schneider e todo mundo que está mandando mensagens e sugestões para a coluna! Um abração!

As Notícias do Dia
por Marcio Ehrlich

Leão recusado continua vivo

A despeito de aparentemente os comunicados das assessorias de imprensa das agências Giovanni FCB e Santa Clara terem se encerrado, a polêmica do Leão de Bronze para a campanha da ONG Ipas -- que a Giovanni FCB comunicou publicamente que iria recusar -- parece longe de estar encerrada.
As quatro peças da campanha continuam firme e forte como Leão de Bronze no site oficial do Festival de Cannes, em www.canneslions.com/winners_site . Só não foram entregues formalmente na cerimônia de Press, ocorrida ontem à noite, porque apenas os Leões de Ouro são chamados ao palco. Mas o troféu está lá, à disposição de quem quiser pegar.

Cariocas comemoram Leões de Cannes

Quer dizer, não são bem Leões para as agências cariocas, mas para profissionais que estão trabalhando no Rio. O Leão de Bronze para a série "Ventilador de Teto" e "Lâmpada de Teto", da Loducca para Brilho Fácil, deixou empolgado Marcello Giannini, diretor de criação da Publicis no Rio. É que ele foi o diretor de arte das duas peças, quando atuava na Loducca em São Paulo.
Outra publicitária carioca feliz com os resultados de Cannes é Camilla Oliveira, diretora do escritório da Duda no Rio, que comemorou escrevendo "O LEÃO DE BRONZE É NOSSO" no seu MSN, para registrar o prêmio conquistado pela peça "Gol", criada pela agência para a ESPN.
Apesar de a criação do trabalho ter sido feita pela Duda de São Paulo, Camilla foi a responsável pelo atendimento, já que, na época, a ESPN tinha as suas decisões de marketing tomadas no Rio de Janeiro.

Brasil fica com 22 finalistas em Films

A NBS garantiu a presença do Rio de Janeiro no shortlist de filmes do Festival de Cannes 2006, com a campanha "Vida Real", criada pela Telemar, e que já havia conquistado Ouro nos Prêmio Colunistas Rio de Janeiro e Brasil, em 2005. Com três filmes, dos quais dois incluídos no shortlist de Cannes, a campanha teve na ficha técnica, segundo o site da Abracomp, André Lima, Rynaldo Gondim e Pedro Feyer (redação); José Luis Vaz (direção de arte), Conspiração (produtora), Breno Silveira (direção do comercial), Antonino Brandão, Aline Pimenta e Ana Laura Beckert (atendimento) e Alberto Blanco e Flávia da Justa (aprovação).
O aproveitamento do Brasil no shortlist foi de 9%, já que o país inscreveu 233 trabalhos. Na verdade, um resultado até melhor que em 2005, quando alcançamos 20 finalistas.
Veja, a seguir, a relação dos finalistas brasileiros:

Título

Agência

Anunciante

Corridors

Age

Nike

Bird

AlmapBBDO

Gol

Pele

AlmapBBDO

Golf

Deserts

AlmapBBDO

Superinteressante

What if

AlmapBBDO

VW

Night

Carillo Pastore

Senac

Instant camera

Dentsu

Sony

Napkin

Dez

Vedacit

Nightmare

Duda

Guarana Antarctica

Calf

Eugenio

Uipa

Soccer goal post

F/Nazca Saatchi & Saatchi

Skol

Turtle

Fallon

Lar Center

Bird

Fischer América

Neosaldina

Washing machine

Fischer América

Nirvana Surf

Canteen

Fischer América

Panasonic

Shadows

Giovanni FCB

BMW

Optical illusion

Lew Lara

Schincariol

Rolling

Lowe

Pepsodent

Real life1

NBS

Telemar

Real life2

NBS

Telemar

Hairless

RC

Fundaçao Mario Penna

O redator Fabio Seidl é o enviado (com todo o respeito) especial da Janela em Cannes 2006.