Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 

Janela Publicitária - Edição de 13/OUT/2006
Marcio Ehrlich

 

Segundo turno assusta publicitários cariocas

A indefinição eleitoral em Brasília e no Rio está deixando tensos muitos empresários da propaganda carioca. Vejam só as dúvidas que assolam o setor:

QUEM MANDARÁ NA PETROBRAS?
De olho no fim do contrato, agora em dezembro, da Petrobras com suas agências Duda, F/Nazca e Quê, o mercado esperava para meados de setembro a abertura da nova concorrência pela conta de R$ 190 milhões do anunciante.
Alertada para a possibilidade de um segundo turno nas eleições presidenciais, a Petrobras já havia decidido jogar para depois de 1º de outubro o lançamento da disputa. Com a confirmação de que existe a alternativa de o comando do país passar para o PSDB de Geraldo Alckmin, com uma radical mudança nas forças políticas que inevitavelmente interferem nos resultados das licitações das contas públicas no Brasil, a Petrobras prorrogou de vez a sua concorrência, que só vai sair depois do dia 29, após os brasileiros terem definido em segundo turno quem será o próximo presidente do país.
Ou seja, se, nos dois meses que vão sobrar para o final do ano, a Petrobras não conseguir definir quem passará -- ou continuará -- a cuidar da sua comunicação, 2007 vai começar com a verba do maior anunciante público do Brasil simplesmente bloqueada para novas autorizações.

MAIS PAULISTIZAÇÃO COM O PSDB?
Há tempos envolvidas com os partidos PMDB, PT e PDT, que vinham se alternando nos governos do estado e da cidade do Rio de Janeiro, as agências do Rio se preocupam com o que possa acontecer se o PSDB, partido eminentemente paulista, voltar ao poder federal. A expectativa é que, neste caso, cresça a força das agências de São Paulo nas contas que dependerem de quem manda em Brasília.

FROSSARD SEGUIRIA O ESTILO MAIA?
É tentadora a perspectiva de uma juíza no comando de um estado que precisa melhorar muito a sua segurança pública. Mas se Denise Frossard for eleita, será que vai seguir a cartilha de seu tutor César Maia e dispensar todas as agências que atendem o Governo do Estado, estatizando as suas contas publicitárias?
Pragmaticamente, para quem trabalha em agência no Rio, Sérgio Cabral acena com melhores perspectivas, garantem amigos da Janela. Até porque o candidado peemedebista dificilmente repetiria a tão criticada atitude de Rosinha Garotinho de incluir em seu pool de agências 3 empresas de fora do Rio, não cobrando delas maiores investimentos no mercado. Não se sabe de qualquer intenção de as agências Agnelo Pacheco (SP), Eurofort (BA) e Makplan (PE) manterem as portas abertas no Rio após terminarem seus contratos com o Governo do Estado. Até porque nenhuma delas conseguiu montar estruturas, ou conquistar contas locais, que as permitissem sobreviver sem os recursos da publicidade estadual.

No primeiro turno, conforme mostrou a prévia eleitoral feita pela Janela no Estrela do Sul, os publicitários cariocas mandaram seus votos, na maioria, para Alckmin e Frossard. Agora, com o cenário das eleições mais claro, será que a tendência de voto vai mudar?

CCRJ abre espaço para as pequenas agências

A ausência de criativos das pequenas agências cariocas nos júris do Anuário do Clube de Criação do Rio de Janeiro (CCRJ) de 2007 -- somada à baixa presença de seus trabalhos entre os finalistas -- levou os diretores de criação destas empresas, entre as quais Binder FC+G, Ric e Rio Ka, a cobrarem do presidente do CCRJ, Flávio Medeiros, uma mudança no tratamento dado ao segmento.
Na última semana, uma reunião realizada na sede da Rio Ka acabou selando a paz entre todos, com Medeiros lembrando que, como, este ano, o júri do Anuário foi definido por votação, naturalmente as agências com maior número de criativos tiveram mais chances de emplacar seus representantes. Nada que não possa mudar se as pequenas agências souberem jogar o jogo. A democracia é uma coisa boa mas exige organização de quem quiser tirar partido dela. Nos próximos anos, se o sistema continuar, o melhor que as agências pequenas terão a fazer é escolher um único nome para votar em massa e garantir a sua presença no júri do CCRJ.
A organização democrática, aliás, já começou. No encontro, Kaká Alvarez, diretor de criação da Rio Ka, foi escolhido como o porta-voz das pequenas cariocas junto ao CCRJ, com o compromisso de passar a ter reuniões regulares com Medeiros para levar as reivindicações do grupo. O primeiro resultado positivo já aconteceu. O CCRJ vai coordenar a realização de um seminário para as pequenas agências, ainda este ano, sobre direitos autorais na propaganda.

Santa Clara adota campanha que Giovanni renegou

A edição 4/2006 da revista Archive, distribuída esta semana, publica, como sendo da agência Santa Clara, os anúncios "Chupeta" e "Óvulo", da ONG Ipas, que em julho último haviam sido premiados e perderam o Leão de Bronze do Festival de Cannes, depois que a Giovanni FCB -- em cujo nome estavam inscritos -- renegou a sua autoria (veja uma das matérias da época).
A campanha, que ainda tinha mais dois anúncios, não publicados pela Archive, defende o aborto em certos casos de gravidez e chegou a ser motivo de protestos de entidades católicas, desagradando a cúpula da Giovanni FCB.
Na ficha técnica, a Archive registra como criativos os mesmos que assinavam as peças em Cannes: Ícaro Dória e Vico Benevides, com ilustração de Vico. A direção de criação havia sido de Fernando Campos (um dos sócios da Santa Clara), quando todos os três trabalhavam na Giovanni de São Paulo. Hoje, Dória é redator da Saatchi & Saatchi de Nova York, mas Vico continua no Brasil, como diretor de arte da Santa Clara.

Matos Grey prepara a entrada no Rio

Amigos da Janela contam que está cada vez mais próxima a entrada da Matos Grey no mercado carioca, alavancada pela conquista da conta da rede de varejo Leader, cuja sede é em Niterói.
Segundo as informações que estão circulando, a agência de Sílvio Matos começou a procurar uma dupla de criação para instalar no seu escritório carioca, que funcionaria no mesmo endereço da Grey Zest -- braço de marketing direto da Grey no Brasil --, na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema.
A se confirmarem os comentários, cai por terra o boato de que Silvio e seu pai Mauro Matos viriam a fazer um acordo entre a Matos Grey e a Contemporânea para o atendimento da conta da Leader.

20 anos sem Rogerio Steinberg

Em 10 de outubro de 1986, há exatos 20 anos, a propaganda brasileira perdia o criativo Rogerio Steinberg em um acidente de carro quando voltava de sua participação no júri do II Festival VT Búzios.
Irreverente como poucos já foram na criação carioca, Rogerio foi o fundador, em 1975, da Propaganda Estrutural, juntamente com Armando Strozenberg. Agência premiadíssima em toda a sua história, a Estrutural chegou a conquistar o título de Agência do Ano do Prêmio Colunistas em 1982, um ano depois de o próprio Steinberg ter sido eleito Publicitário do Ano do concurso. A agência (veja na Janelapédia) foi escola para inúmeros profissionais do mercado carioca, como Toninho Lima, Arnaldo Rozencwaig, Hayle Gadelha e José Guilherme Vereza.
O tema musical do Barrashopping e o personagem Lápis Vermelho, que sobrevivem até hoje, foram criações da Estrutural, que também pode ser considerada como a responsável pela consolidação do video-tape na produção de comerciais. Numa época em que o VT, em propaganda, era praticamente utilizado apenas para gravar cartelas, Rogerio utilizou a mídia para produzir o comercial de lançamento do Barrashopping, um verdadeiro videoclip com a mesma linguagem dos musicais do Fantástico, tendo as cantoras Frenéticas como personagens e a direção de Aloysio Legey.
Flamenguista doente, Rogerio também se envolveu em diversas ações de marketing para o time, institucionalizando o personagem Uruba, que chegou a ter uma estátua na sede do clube, na Gávea. Também foi ele que promoveu a volta de Zico e Sócrates ao futebol brasileiro.
Rogerio faleceu com apenas 34 anos e, com certeza, deixou a nossa propaganda mais pobre. Nesse mercado de tão pouca memória e menor ainda reconhecimento público de quem faz alguma coisa por ele, a Janela e este colunista fazem questão de não deixar a lembrança de Rogerio Steinberg se perder. Ainda em 1986, batizamos com seu nome um prêmio que hoje é um dos mais cobiçados da criação carioca, o Prêmio Rogerio Steinberg para os redatores e diretores de arte mais premiados no Colunistas Rio de Janeiro.
S eus pais, Jacob e Clara Steinberg, também têm buscado manter vivo o espírito de Rogerio. Além de terem editado um livro com seus trabalhos, criaram o Instituto Rogerio Steinberg, voltado a patrocinar o talento de crianças carentes.

20 anos sem Rogerio Steinberg (Falam os leitores)

De Chiquinho Lucchini, diretor de criação da Quê:
"Marcio,
muito feliz a homenagem, no seu site, aos 20 anos sem o talento e, principalmente, o ser humano Rogerio Steinberg.
Tenho o livro que você fez referência. Um portfólio completo da Estrutural com depoimentos, fotos, matérias, campanhas, anúncios: uma pérola.
Quando eu estava começando nessa profissão, vi uma exposição com os trabalhos dele no Centro da Cidade. Fiquei encantado e percorri inúmeros sebos até achar o tal "anuário".
Lá estão também "redatores" como Marina Colassanti, Silvio Lachtermacher e diretores de arte como Victor Kirovski, e as brilhantes ilustrações do Benício, entre tantos outros.
Que bom que tem alguém atento e informado que nem você para não deixar que a memória da propaganda (e principalmente a carioca) fique esquecida.
Grande abraço,
Chiquinho Lucchini"

De Ialdo Belo, diretor da Belo Propaganda
"Prezado Marcio,
Que bom ver lembrada a memória de Rogerio Steinberg!
Rogério foi meu ídolo, suas idéias uma verdadeira fonte de inspiração.
Até hoje persistem na memória a imagem do boi na praia do Leme (quando não se encontrava carne em lugar nenhum devido ao Plano Cruzado) ou Grande Otelo caracterizado como o E.T. para anunciar o "Extra Terreno", um lançamento imobiliário.
Rogério foi gênio!
E você, mais uma vez, um tremendo colunista publicitário ao relembrar isso.
Obrigado,
Ialdo Belo
Belo Propaganda
[email protected]"

Binder/FC+G se filia ao IAB

A Binder/FC+G é a primeira agência carioca a se filiar ao Interactive Advertising Bureau Brasil (IAB Brasil), que promove o intercâmbio, nacional e internacional, de experiências e conhecimentos técnicos para o meio virtual. O núcleo de web já representa 15% da receita da agência.
"A entrada da Binder/FC+G na IAB Brasil comprova como a publicidade, na internet, está cada vez mais comum para os anunciantes", afirma Flávio Cordeiro, sócio e diretor de Negócios.

Ação de guerrilha intriga Zona Norte do Rio

Uma gigantesca ação de marketing de guerrilha está agitando a Zona Norte carioca com a mensagem "Ele está chegando". A marca, que lembra círculos pretensamente deixados por alienígenas, está sendo espalhado em outdoors, camisetas, cartazetes e video no YouTube, além de terem sido reunidos no site eleestachegando.com (N.R.em 2013: site atualmente desativado).
Leitores da Janela já escreveram para o site perguntando se trata-se de uma seita religiosa ou de um empreendimento imobiliário, já que a verba investida na comunicação -- que contou inclusive com passeata de promotores uniformizados -- não parece ser pequena.
Quem souber, portanto, pode nos escrever.

Tudo vai mudar?
Aguçar a curiosidade do internauta sem dúvida é a tática do momento na comunicação. Outro site que está intrigando os leitores da Janela é o www.tudovaimudar.org (N.R.em 2013: site atualmente desativado) , que não diz a que veio mas exibe um contador regressivo que aponta para a novidade dentro de 39 dias (a partir deste 11 de outubro). Enquanto isso, pede que os visitantes deixem no site mensagens sobre o que gostariam que mudasse no país.
O que deixa a questão: quanto tempo um teaser consegue ser eficiente antes de encher o saco do consumidor?

Reforços do Mercado

Matos Grey (Rio - RJ) - O escritório carioca da Matos Grey promete ser até maior do que o mercado vinha especulando. A agência contratou para a Direção da Conta da Leader o profissional de atendimento Ricardo Aquino, que foi 5 anos diretor de atendimento da Quê/Next e passou por agências como Staff, Contemporânea, Propeg e Duda. Ricardo tem uma longa experiência em contas de varejo, tendo cuidado de clientes como Sendas, Ponto Frio, Insinuante, Supermercado Zona Sul e Fiat Automóveis. (10/10/2006)

Camilla OliveiraArtplan (Rio - RJ) - A agência comprou o passe de Camilla Oliveira (foto à direita), que assume, a partir desta segunda-feira, 9 de outubro, como diretora de contas. Camilla trabalhou por muitos anos na DPZ, onde cuidou da conta de Souza Cruz, até ser contratada pela Duda, comandando o atendimento da conta da Petrobras. No início de 2006 assumiu a direção geral do escritório carioca da Duda, onde ficou até agora. (07/10/2006)