Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
A Fenêtre é a cobertura da Janela Publicitária em Cannes.
 

20 de junho de 2008, sexta-feira

FILM SHORTLIST: DIVERTIDO, MAS QUE TAL MAIS ENXUTO?

Até que estava divertido o short list de filmes que terminou faz pouco tempo aqui em Cannes.
Mas precisava ser tão longo? Não era para ser short? Então porque 7 horas de exibição (isso porque não vi o Titanium, só amanhã).
Acho que, como disse ontem, porque o festival está inchado, as categorias estão menos definidas e não acho que isso seja sinal dos tempos modernos nem do advento da “cross media”.
Enfim, o júri deixou passar algumas bobagens, algumas piadas velhas como o filho que pergunta para o pai de onde ele veio e o pai disserta por horas sobre abelhas e passarinhos para no final o filho dizer: Puxa, que legal, o fulaninho lá da escola veio da Escócia.
Outra: a mãe vai comprar um PC para o filho, o vendedor diz que o produto é bom, vem com manual e na verdade...vem com o MANUEL. E teve um filme espanhol de DOIS MINUTOS mostrando closes de vacas fazendo cocô para falar de aquecimento global.
Então tá. Mas no geral, o material está bacana. Amanhã, depois da sintonia fina, acho que vamos ter uma seleção que deve agradar.

CONFIRA AGORA ALGUNS DESTAQUES DO SHORT:

Witch, da Grupo Gallegos para a California Milk Board, produção brilhante:
http://www.youtube.com/watch?v=oOzOvG1_sKI

Transformation, que tira um barato do GP do ano passado, também da Gallegos:
http://www.youtube.com/watch?v=v34610uW7dU

Shame, da Dieste Harmell para Pine Sol. Bem engraçado, uma bela volta no final.
http://www.youtube.com/watch?v=fB2f47-6j_g

Karis, da DDB Londres para Philips. Um approach ousado, mas extremamente adequado. Quando as mulheres vão nos salões de beleza, encontram muitos gays que dão conselhos também, certo? Bela estratégia.
http://www.youtube.com/watch?v=vR2qn8hbVK4

Mom, da Euro NY para Clearasil. Boa piada, típicamente adolescente para um produto para o mesmo público.
http://www.youtube.com/watch?v=CRL1X06ZSqU

Lance Final, da Leo Burnett Brasil. Simples de doer, criativo de matar (PRATA):
http://www.youtube.com/watch?v=z5YNWM0BZZc

Teste, da AlmapBBDO para Casa do Zezinho. Simples, ótimo e aplaudidíssimo (PRATA):
http://www.youtube.com/watch?v=1PvIc31-cdM

Simphony in Red, da Jung Von Matt para o Concert Hall Dortmund:
http://www.youtube.com/watch?v=xQ5UzY7OM3Q

Tom Sellecks, da La Comunidad Argentina para o Festival Independente de Cinema de Buenos Aires. Continuação de uma campanha surreal que levou ouro em 2007.
http://www.youtube.com/watch?v=Q0xc0Dfl1cM

No Look, da Goodby para a NBA. Usar o famoso mágico David Blane para explicar os truques da NBA é brilhante. Melhor, só se fosse o Mister M com narração do Cid Moreira.
http://www.youtube.com/watch?v=0-mrkQ5THik

Trashcan, da TBWA/Chiat Day para Mars. Adoro essas bobagens.
http://www.youtube.com/watch?v=hEYEFfAbB5g

Barba, da F/Nazca para PlayTV que mostramos antes aqui, levou Prata também. E o Guerra, que mostramos ontem, para Unimed, também da F/Nazca, levou bronze.

PATRULHA

Li hoje a nota que o Marcio deu (opa!), sobre as pessoas que estão acusando de plágio o ouro de Press, conquistado da Almap aqui em Cannes. Poxa, sabe o que eu acho? Menos, galera, menos.
Eu não conhecia o trabalho chileno, nem a agência, e acho normal que a a equipe que criou e a Almap não conhecesse também. É chato esse negócio de dizer que tudo já foi feito.
E quanta coisa a Almap já não criou que já virou “referência” no Brasil e no mundo? E não só eles: a W/, a DM9, a Leo, a Lew, e por aí vai. Curiosamente, quando isso acontece, ninguém manda email pra lugar nenhum.
Recebi outros emails falando de coincidências entre outras peças: americanas, portuguesas, e duas brasileiras que ganharam leão na mesma categoria...E acho, honestamente, que ninguém é criança de “plagiar” assim.
Acredito que é possível criar algo que alguém já tenha pensado, ou passar por um caminho parecido. Mas...plágio? Aí, não, né? Vamos pegar leve aí.


BOMBOU

A festa do Terra, ontem no Palais Bulles de Pierre Cardin foi, mais uma vez, a melhor do Festival, na opinião da brazucada aqui presente. Acho até que foi uma das melhores festas que já fui aqui em Cannes (tirando o fato de que acabou o gelo lá pelas duas da manhã). Os ingleses do Morcheeba fizeram um show muito bacana, a organização estava 100%, foi alto nível. E a casa é um espetáculo. Só tinha, como alguns amigos reclamaram, muito macho. As fotos comprovam.

MOMENTO AMAURY NA FESTA DO TERRA

Juliana (Margarida), Ernani Nunes (CaradeCão), Diogo Mello (Fischer Portugal), Roberta (Margarida), e olha ele aí, que coincidência, Accioly (Margarida) e Carlos Renato (Arcos) Os redatores sorridentes Otavio Schiavon (Leo Burnett Colombia), Marcio Juniot (Neogama) e Claudio Lima (DraftFCB NY).
Luis Nogueira, da McCann, à beira da piscina da casa do seu Pierre. Sergio Valente, da DM9 foi, deu entrevista o tempo todo e ainda teve que voltar pro Palais para terminar de julgar o Titanium.
Suzana Apelbaum (Hello) e Victor Afonso (Master). Guilherme Jahara, da DM9DDB, também curtiu a festa.

 

BIENVENUE A LE FAVELÊ

Atendendo aos milhares de três ou quatro emails que recebi, vou mostrar parte das sensacionais instalações do Le Favelê, meu abrigo na Côte d’Azur.

Notem a sofisticação provinciana das manchas suspeitas junto a pia do banheiro. As rachaduras no teto que remetem à bravura dos gauleses. A mesa mofada e os buracos na parede da época de Luís XIV. Tudo isso com um toque especial da luminária pintada à mão num prato de cerâmica e com o moderno toque de sofisticação da multiplicidade de papéis de parede, inclusive colocando um poster da República Tcheca (?!) para esconder a falta de um pedação do papel de parede original.

Chique é ser despojado. Quando vier a Cannes, pense no Le Favelê, o melhor para você.
Algumas pessoas pediram também para eu revelar o verdadeiro nome do Le Favelê. Nem a pau. Quando fiz isso e fiquei no Le Carandiru (na verdade, o Chanteclair Hotel), ninguém mais caiu nessa. Eu vou deixar essa pegadinha incógnita.

Ah, em tempo: aparentemente o gerente do Le Favelê é leitor da Fenêtre, me mudou ontem do meu já combalido quarto no puxadinho (estou no quinto andar de um prédio onde o elevador só vai até quatro!). E conseguiu me colocar num parecido, só que pior.

N.R.: Adorei o detalhe da torneira, com dois acabamentos diferentes. (ME)

 

ENGAJADOS MAS NEM TANTO

O ano passado foi o ano em que todas as causas sociais e ambientais apareceram nas peças premiadas de Cannes: anunciantes pedindo o fim da fome, do preconceito, do aquecimento global, da beleza falsa, até Al Gore esteve aqui.
Este ano, o festival levou adiante essa idéia. Ampliou a mostra Act, exclusiva para publicidade de causas sociais e promoveu duas exposições temáticas: a Activisim, na rua, em plena Croissete, patrocinada pela Getty Images e que culminou com uma palestra sobre o tema ontem, no Palais. E além dela a Collection of Good, da Draft FCB, no saguão do Teatro Debussy, também no Palais.
Bacana, não é? Quase. O festival continua fazendo isso da boca pra fora. Dentro do palais não tem uma lixeira com coleta seletiva de lixo, por exemplo. Nenhum projeto de reciclagem das toneladas de papel que vão ser jogadas fora, dos cartazes colados pelo Palais e substituídos todos os dias (eu vi a zona que é isso lá nos fundos, perto da sala de imprensa).
Já era um bom começo para mostrar que estamos levando isso a sério e que o engajamento dos publicitários não é uma causa de boutique.

É PROIBIDO

O governo francês tem distribuído aos turistas que chegam por aqui um pequeno folheto com dicas sobre o país, curiosidades e outras informações inúteis, mas que deixam os donos de gráfica bastante felizes.
Mas tem uma parte engraçada. Note a parte que diz que é proibido, atenção, andar a pé alcoolizado no país. Não em Cannes, mes amis, não em Cannes.


ELES MERECEM

Bem, galera, como faço todos os anos, gostaria de abrir um espaço para homenagear quem mais rala neste festival para levar até você tudo sobre Cannes: os jornalistas.
Eu, que invado o espaço deles aqui todo ano, vejo como essa galera está cada vez se dedicando mais a um festival que também não pára de crescer, deixando eles malucos.
E vejo, todos os dias que é normal eu estar voltando de uma festa e ver essa turma ainda (ou já) trabalhando, correndo atrás de jurado, de informação, mandando emails, fotos, vídeos.
E ainda: aturando quem quer aparecer, quem quer colocar notas que não tem nada a ver, checando boato, sem dormir, sem comer.
Sem contar a sala de imprensa que tem wi-fi, mas só tem uma dúzia de tomadas.
Por isso, parabéns mais uma vez à maior delegação de jornalistas do mundo em Cannes (mais de 50 profisionais) e aos que ficaram na base também, cobrindo este festival com um profissionalismo, uma dedicação e uma qualidade de conteúdo impressionantes.
Parabéns About, blog do Adonis, CCSP, Estado de São Paulo, Meio&Mensagem, Multishow, PropMark, VoxNews e todos os outros veículos que mandaram seus times para cá.
E obrigado, mais uma vez, pela paciência, pelo bom humor, pelas tomadas emprestadas, pelas dicas. Como diria o poeta e filósofo MC Créu, para fazer cobrir Cannes, tem que ter disposição e essas são algumas dessas pessoas (nem todos eu encontrei quando resolvi fazer as fotos, desculpa aí quem não apareceu, mas acho que estão bem representados).

Daniel, Teresa, Rita, Alê e Ana Paula (PropMark) A turma do Portal da Propaganda, sempre entre os últimos a saírem do Palais.
Laís Prado e a turma do ClubeOnline (CCSP). Robert Galbraith (Meio&Mensagem) e Marcelo Queiroz (PropMark)
Alexandre Lemos, do Meio e Mensagem, sempre compenetrado. A galera do Multishow.
 
Paulo Macedo (PropMark) e seu chapéu.  

O redator Fabio Seidl é o enviado (com todo o respeito) especial da Janela em Cannes 2008.