Janela Publicitária    
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
A Fenêtre é a cobertura da Janela Publicitária em Cannes.
 

23 de junho de 2011, quinta-feira

A NOITE DO PRESS, DESIGN E CYBER

Ninguém jantou ontem em Cannes. Três horas, meus queridos, demorou a cerimônia de entrega de leões ontem. Com isso, na hora que a galera saiu do Palais, boa parte dos restaurantes já tinha fechado suas portas e muitas reservas já tinham caído.
E olha que ontem, pela primeira vez, não mostraram mais as peças que ganharam pratas nos telões, só o nome de quem levou, tratamento que antes era dado para quem levava bronze.

A entrega dos leões de Design teve explicações longuíssimas por parte dos jurados sobre porque cada ouro mereceu ser premiado. Isso e a quantidade monstruosa de leões distribuídos esse ano tornaram a cerimônia chata e burocrática.
Destaque para a sensacional campanha da Old Spice da Wieden que levou GP em Cyber e mais três ouros. Acho, inclusive, que a 2a parte dessa campanha é muito melhor do que a primeira, que foi GP no ano passado. Veja no Youtube.
No palco, pelo Brasil: a Loducca que em parceria com a Paranoid foi buscar seu leão pelo ótimo filme Balões para a MTV (e o diretor Dulcídio Caldeira derrubou o leão) e a JWT que ganhou pelo belo livro para o Hotel Emiliano e Almap que pegou o seu para a série Typography para Billboard.
Além, claro da seleção brasileira de futebol de areia, que subiu cantando: “Eu sou brasileiro, com muito orgulho com muito amor”, ganhou o coro dos delegados verde e amarelos no Palais e desceu bradando um sonoro “Chupa Argentina!” Até o apresentador, inglês, entendeu a mensagem. E riu muito.
O presidente do júri Tony Granger com Marcão, Kassu e Luizinho da Almap.
Roberto Fernandez dá entrevista: é pelo leão ou pela medalha no futebol?
Luciano Deos, presidente de Design entre Guga Ketzer (Loducca) e Dulcídio (Paranoid).

BI NO BOM SENTIDO

Fabio SeidlCom meu pé quente (da areia a 50 graus) e meu dedão roxo (cuja foto anda fazendo mais sucesso do que as do Accioly, e olhando bem, acho que os dois, meu dedão e o Accioly, são meio parecidos) tive a felicidade de fazer parte do um time campeão de futebol de areia aqui em Cannes.
Em 2006 já havia sido campeão por Portugal e este ano repeti o ritual de subir no palco do Palais com a camisa do Vasco.
Se a semifinal contra a Letónia foi dura, a final contra a Argentina foi um épico. Empate no tempo normal em 1 x 1, e o Brasil começa a prorrogação de 3 minutos tomando um gol. O empate veio num gol olímpico aos 30 segundos do fim.
Nos pênaltis, 4x1. E aí a zoação não parou nem dentro do Mediterrâneo. Foi todo mundo pra água.

MUY BIEN!

E lá estava a turma da Banana Mecânica, tomando uma cervejola e comemorando o título do torneio de futebol de praia. Chega um gringo.
- Champions? You won? What Country?
- Yeah! Brasil!
- Aaah, son brasileños, muy bien. “Parabéns”!!! Contra quien ganaram la final?
- Argentina!
- Contra nosotros! Hijos de p...
Foi embora, irritadíssimo enquanto a galera ria muito e gritava: chuuuuupaaaa.
Mudando de assunto: O Fabio Hacker, da Vetor Zero aí na minha frente na foto, não poderia ser filho do Accioly?

O QUE ACONTECEU COM O CYBER BRASILEIRO?

Bem, essa foi a grande pergunta de ontem à noite. Só dois finalistas? Um leão? Pois é.
Se antes éramos os reis do digital, nosso desempenho este ano foi estrombelético. Só que nosso número de leões, e também o dia a dia do nosso trabalho para a internet, vem estacionando não é de hoje.
Os problemas podem ser vários.
- Os gringos estão criando para um mundo que não é o do brasileiro médio. É para uma população muito mais informatizada do que a nossa, que ainda está na era da Lan House.
- O que anda ganhando aqui é aplicativo para iPad, peças massificadas para quem usa iPhone com internet ultrarápida, não é o nosso campeonato.
- O investimento no Brasil não se compara aos dos estrangeiros.
- E a integração entre as agências tradicionais e seus departamentos digitais está meio atrasada no Brasil também.
- Mas além disso, e isso é o mais grave, rola uma certa miopia na classe, ainda.

NEW DIRECTORS

Como sempre a mostra de novos diretores da Saatchi foi um dos eventos mais concorridos de Cannes. 1h30 antes das portas do Grand Auditorium abrirem tinha uma fila que subia as escadarias do Palais.
Enfim, filas organizadas, apesar de não serem a prova de furões. E foi na fila que muita gente que ainda não tinha se visto se encontrou, principalmente a turma das produtoras.
Estavam todas lá: Conspiração, Paranoid, O2, Zeppelin e claro, o Accioly, da Margarida.
A mostra foi excelente. Destaquei 3 filmes que gostei bastante para compartilhar com vocês.

Dogboarding, do The Daniels:

Dirt Devil, de Andreas Roth:

Assland, de Tomi D:

WILL.I.AM

O líder dos Black Eyed Peas, músico, produtor e segundo disseram na apresentação dele, inventor, Will.I.Am esteve na manhã desta quinta aqui em Cannes no seminário sobre Tecnologia e Criatividade, promovido pela McCann e pela Intel.
Mas a palestra não se pareceu em nada com os animados shows da banda dele. Aliás, não teria sido nada mal se tivessem trazido a Fergie no lugar.
Meio com soninho, Will só teorizou um pouco sobre os lugares comuns das mídias digitais. Inventou um novo termo para a maneira como nos relacionamos com elas (Communiting = communicating in the community, mas qual a diferença disso pra socializar ou compartilhar?).
Nem a presença do inventor do Guitar Hero, que falou sobre como a nossa cabeça e o nosso corpo estão mudando fisiologicamente em função do uso da tecnologia, fez o painel decolar. Uma pena.

PLANTÃO POLICIAL

Mais essa. O hotel onde os brasileiros sempre se hospedam aqui deu ladrão. Quatro ou cinco hóspedes perceberam que um ladrãozinho anda levando a grana da galera, de dentro do cofre, de cem em cem Euros, para ninguém se ligar. Já colocaram a polícia no caso.

Se continuar assim, ano que vem o Marcio Ehrlich vai mandar comigo pra cobrir o Festival o Celso Russomano, o Gilberto Barros e o Datena.

OLHA O URSO

Accioly foi lá, falou com os caras do YouTube e tanto fez que conseguiu colocar de volta no ar a nossa performance na reinterpretação de “Hunter Shoots a Bear”. Ta aí.

TAMBÉM LOTOU?

Ouvido ontem após a cerimônia de entrega de Press.
“Ferrou. Com tanto finalista e leão em Cannes, o anuário do CCSP do ano que vem já está lotado.”

MOMENTO AMARULA JÚNIOR

Quinta-feira é sempre aquela debandada. A turma que compra o pacote de 4 dias já vazou e quem vai até Sábado aproveita a agenda teoricamente menos cheia de atracões para fazer um break pelas cidades próximas. Mas o Flash da Janela ainda encontrou alguns guerreiros chegando cedo para ver palestras e short lists.

Charles Nobili, da Zeppelin,
Fernanda Cozac, da TIM e Ana Leão, da WMcCann.
Charles Nobili, da Zeppelin, em mais uma fila. Fernanda Cozac, da TIM e Ana Leão, da WMcCann.
Natália Menezes, da Neogama BBH Carlos Righi, da Fulano Filmes.
Natália Menezes, da Neogama BBH. Carlos Righi, da Fulano Filmes.

CAIXA POSTAL

Essa vem do glorioso Fábio Caveira:
“Pô Seidl, sacanagem essa foto vista de cima do Flavinho entre o gigante Salvestroni e o nem tão gigante assim Marcio Borges. Da próxima arruma um banquinho pro rapaz. ehehehehe.
Abs, Caveira
P.S.: Bela foto do seu dedão, vou usar como protetor de tela.”

Seidl Responde:
“Caveirucho,
Aproveitando o ensejo, Marcio Ehrlich já está vendendo também camisetas, adesivos, ímãs de geladeira e uma linha completa de apetrechos sexuais a pilha inspirados no meu dedão. É só encomendar. E na inscrição de 5 peças no colunistas você ganha uma chupeta-dedão roxo.”

E mais uma do Rafael Simi, da Momentum.
“Grande Fábio,
Duas perguntas:
1. O que, de fato, mudou em Cannes com a nova alcunha de Festival de Criatividade? É só um nome? Ou, realmente, temos esse ano um festival que vem trazendo coisas que ditaram tendências nos campos mais variados da comunicação?
2. Sobre o recorde de Leões. Alguém, certa vez, comparou a publicidade brasileira com os jogadores brasileiros, muito marcados. Isso fez com que, no ano passado, alguns dissessem que esse seria um ano dificílimo, com todo mundo querendo derrubar o Brasil. Mas não aconteceu. Terão os gringos relaxado conosco?
Abraço, Simi.”

Seidl Responde:

“Rafildo,
1. Mudou a conta bancária. Fiz uma conta rápida aqui e só de inscrições, o festival faturou 50 milhões de Euros em infinitas e complexas categorias. E o festival esqueceu os filmes. Ontem desligaram o long list de carros no meio pra transmitir uma palestra. Uma galera que trabalha com a indústria automotiva foi lá reclamar. Levaram um “desolé”.
2. Não relaxei com nenhum gringo aqui porque sou rapaz sério e de família. Mas se relaxaram com você, espero que tenha sido bom. De resto, o jeitinho brasileiro é manjado em qualquer área, no mundo todo. A galera continua na butuca aqui também. Abração!”

Continuem enviando suas mensagens fófis, imagens dos seus corpus christis e dos seus dedões curtindo o feriadão para: [email protected] e [email protected]