Janela Publicitária    
 
 
  Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
11:21 Beat Sonido Yes Filmes Zuêra
A Fenêtre é a cobertura da Janela Publicitária em Cannes.
 

CANNES, 60 ANOS. 20% DESSE TEMPO ATURANDO A GENTE.

Marcio Ehrlich e Mateus Solano
Marcio Ehrlich não só não pega mulher em novela como fica amigo do Felix.
E como diria o Januário de Oliveira: taí o que você queria, bola rolando na Fenêtre Publicitaire, a cobertura do festival de Cannes que é tão fuleira que ao invés de cobertura deveria ser chamada de puxadinho na laje.
Estamos de volta com novidades, para começar, temos um reforço ao contrário. A onipresença periclitante de Antônio Carlos Accioly, o homem, o mito, o louco.
E temos uma penca de patrocinadores esse ano o que é fantástico. Obrigado DM9Rio, Staff, 11:21, Beat, Yes, Sonido e Zuêra pela grana pro Engov (esse ano Cannes faz 60 anos, vai ter festa a rodo), para a anuidade do Hair Club do Accioly e para o Marcio pagar a dívida dele com o produtor da Globo que arruma aqueles frilas de ator pra ele nas novelas.
Aliás, o Marcio Ehrlich é uma espécie de Accioly da teledramaturgia brasileira, já reparou? É o cara que tá em todas e é sempre o amigo de alguém. Nunca é o cara que pega a mulherada, nem o que fica rico, mas tá sempre lá, de brother.
Aliás, o que teve de patrocinador pedindo dinheiro de volta depois que soube que o Accioly estava na cobertura não é brincadeira.
Mas vamos parar de papo furado (isso nunca) e vamos aos highlights do maior festival de criatividade do mundo.
Da minha parte, prometo textos a altura das fotos do Accioly, totalmente sem foco. Equipe é equipe, tem que ornar em tudo.


ACCIOLY BRESSON

A gente brinca aqui, mas o Accioly é um artista. Ele só tira as fotos desfocadas para fazer você se sentir como a gente lá na Croissete: bêbado e com a vista turva.
Essas aí ele tentou fazer no bota-fora carioca de Cannes que rolou esta segunda-feira no restaurante Vitória, do Jockey, no Rio. Mas, no Facebook, ele prometeu que vai levar dois óculos para Cannes. Um para ele próprio e outro para a câmera.
Accioly, Passarinho e Alessandra Valle Duda Moncalvo e Paulo Castro
Accioly, Orlei Passarinho e Alessandra Valle
Duda Moncalvo e Paulo Castro
Deko Schmidt, Luis Claudio Salvestroni e Bruno Richter Gustavo Bastos e Roberto Vilhena
Deko Schmidt, Luis Claudio Salvestroni e Bruno Richter
Gustavo Bastos e Roberto Vilhena
Jean-Benoît Crépon e Eid Walesko Ludwig Goulart
Jean-Benoît Crépon e Eid Walesko
Ludwig Goulart


MIL LIONS

Mil Lions
5-Dolar-Lion
E temos o primeiro trocadilho da temporada. Mil, lions, milhões, hein, hein?
Tudo isso pra dizer que Cannes criou 10 novas e rentáveis categorias nos últimos 8 anos, sabia? É meus queridos, o cara que cria categoria para festival lá em Cannes nunca está sem job. 12 anos antes, "só" mais cinco tinham sido criadas.
Estreante entre as categorias, Innovation, teve seu shortlist anunciado 15 dias antes do evento começar de fato, provavelmente por falta de espaço na agenda, já que foi a categoria que recebeu o menor número de inscrições.
Essa divulgação, aliás, levanta um ponto: essa categoria influencia no favoritismo de algumas peças em outras categorias? Sendo mais prático: quem foi finalista em Innovation leva vantagem ou não leva?
E ora vejam vocês, enquanto eu estava escrevendo essa coluna, recebo a informação de que o Festival está lançando o Lions Health, mais do que uma categoria, um festival novo só para marcas na área de saúde (acho interessante, pode ser que dê um gás no segmento).
A multiplicação das categorias, claro, tem um efeito multiplicador na participação de delegados, inscrições e mas também na dispersão.
Eu confesso que teve coisa que ganhou ano passado que eu fui descobrir agora e que, CDF como sou, fico meio desnorteado para escolher o que ver no evento.
É por isso que eu chego lá e vou pra praia, pro futebol, pra St Tropez.

BITCH SOCCER

Pois é meus amigos, fui convocado mais uma vez para jogar o campeonato de pelada no aterro da Côte D'Azur. E temos motivos para nos empolgar. Para começar, vamos jogar com as cores do Brasil e não com as da Argentina, como no ano passado (valeu, Clélia Salgado, Estadão e FAAP, ficou de gala o novo uniforme).
Tem mais: a base do time deste ano é a mesma que foi campeã em 2011.
E mais um sinal de que tudo pode dar certo. A seleção pode ter um reforço de peso: nosso goleiro Armando Ruivo, da Hungry Man, se machucou. Foi ele quem, também se machucando, nos deu o último título, liberando a posição para o reserva Jabuka. Pode ser um sinal (tô brincando, Armando).
O técnico e beque-de-roça Emerson Magoo, já marcou alguns treinos secretos.
Os dois primeiros foram tão secretos que ninguém foi. Mas no último, metade dos convocados apareceu. Esta aí essa foto que de tão torta parece que foi o Accioly que tirou.
A Fenêtre, que cobriu com exclusividade o coletivo da seleção de dentro do campo, pode apurar que o Brasil está cheio de fôlego - nos primeiros 30s de jogo - e no restante está bem postado em campo. Postado, tipo parado feito um poste mesmo. Vamos ver no que vai dar.
Time do Brasil
A camiseta do escrete brasileiro em Cannes, patrocinada pelo Estadão. O time já acabou com o dopping que alguém levou para o treino.
Concentração da Seleção: Renato Jabuka (Dínamo Filmes), Roberto Fernandez (Ogilvy), André Felix (ID/TBWA), Bruno Rego (Trade) e Fabio Seidl (Ogilvy).


ALÉM DA PUBLICIDADE NO PALAIS

Cannes mais uma vez está levando gente boa para falar.
Embora este ano não vá nenhuma grande autoridade para interromper as outras atividades normais festival como aconteceu quando foi o Clinton e o Koffi Annan, as palestras prometem aquele já esperado tumulto para conseguir um lugar.
Entre as celebridades musicais, Puff Daddy, ou Sean Combs, vai lá falar sobre seu novo canal de TV a cabo, chamado Revolt e que é direcionado pelas mídias sociais. A empreitada vai merecer uma disputada festinha por lá também.
Jimmy Wales, fundador da Wikipedia e David Karp, do Tumblr também vão falar, parece bom.
Bom mesmo vai ser se eu conseguir lugar em pelo menos metade das palestras que eu quero assistir.
Mel B Lou Reed
Pouco compreensível é a presença de Mel B, ex-Spice Girls como palestrante. Mas a moça no currículo enviado a imprensa se descreve como fashion leader (o que seria isso?) personalidade da TV, estrela dos palcos, filantropa, escritora (da própria biografia) e empreendedora (peraí essa não é a Madonna?) e mandou uma bela foto de divulgação. Ah, deve ter sido isso.
Dos "sapos de fora", da publicidade, meus preferidos esse ano são o mito Lou Reed e o apresentador Conan O' Brien, que pra mim tem o melhor texto, humor e timing de talk show na terra. E inexplicavelmente, nenhum canal a cabo brasileiro nunca se animou de exibir o cara.
Lee Clow Jack Black
Dos publicitários, a lenda Lee Clow, da TBWA, um cara que por exemplo, ajudou Steve Jobs a ser quem ele foi. Tá na categoria dos imperdíveis.
Vai também o ator Jack Black, que além de sempre fazer o papel de gordinho doidão em 3 filmes sessão da tarde por ano está sempre envolvido com o mundo da música e é produtor. Deve lotar.


O ACCIOLY DOS E-MAILS

Rafael Simi
Rafael Simi, o Accioly dos e-mails.
A Fenêtre nem tinha começado e já recebemos missivas de apoio e incentivo de Rafael Simi. O cara ainda teve a pachorra de lembrar que desde 2004 escreve para a Fenêtre e que a gente ainda publica as mensagens dele. É o Accioly dos e-mails, tá em todas. Valeu a força, cara.


ESCREVA PRA GENTE

E se você quiser se juntar ao rol de desocupados que quer aproveitar o advento das tecnologias e interagir com a gente é só escrever para [email protected] que o nosso editor Sidão vai separar as melhores mensagens e o trio parada dura aqui responde na medida do impossível. Se preferir, é só curtir a fanpage da Janela Publicitária no feicibuque e postar suas baboseiras por lá mesmo.
Eu volto em breve com mais encheção de linguiça para você até o festival começar.

O redator Fabio Seidl é o enfiado especial e colunista penetra (não-convidado) da Janela em Cannes 2013.