Publicada desde 15/07/1977.
Na Web desde 12/07/1996.
 
A Janela Internacional traz o que acontece na Europa, pelo redator Fabio Seidl.
Edição de Março de 2006
 

O dia em que a Globo perdeu

A imprensa especializada, brasileira e portuguesa, deu esta semana a notícia de que a Globo, que em Portugal chama-se GNT, deixa as telas da terrinha no próximo dia 1 de Abril, mesmo sendo uma das lideres de audiência da TV a cabo. O motivo? A Record. Parece um 11 de setembro televisivo, algo inesperado. Mas...
O que ninguém falou é que há cerca de um ano, a TvCabo que, ironia do destino, monopoliza o mercado de TV por aqui, colocou "em experiência", a Record na programação. A Globo chiou, argumentando ter um acordo sobre exclusividade de transmissão de conteúdo brasileiro e que isso poderia dar zica para a TvCabo. O que o mercado comenta é que isso criou um problema político e um desconforto mútuo. A emissora da Igreja Universal teve que sair. Foi para a Cabovisão, rede com uma fatia bem menor do mercado.
E enquanto isso a Record investiu. Comprou um mega estúdio em Lisboa, contratou equipe local, apresentadores, deu uma super festa para o mercado (o que ninguém entendeu bem na época). O que a Record sabia e a Globo parece ter imaginado ser fácil de resolver, era que o contrato da GNT ia acabar este ano. E aí, como diria o filósofo José Pequeno, tomaram a boca.
A Globo em comunicado oficial (www.gnt.pt) diz que a TV Cabo nem falou com eles sobre renovação. Parece que o dinheiro da Record falou. E bem mais alto. Mas, como a gente diz quando é pequeno: Globo, eu não deixava.
Aliás, nunca achei que fosse sentir falta da Globo. Só de pensar que em vez do Jornal Nacional vai passar o Tom Cavalcante...
Aguardem cenas dos próximos capítulos.

Rock in Rio LisboaROCK IN RIO TEJO
O frio está indo embora da Europa, várias partes do corpo e já começaram a desenrugar. Calor, graças a Deus! E com ele (o calor, não Deus) chegam os festivais de rock, cheios de promoção e publicidade. Em Portugal, o Rock in Rio já começa a deixar a sua marca por Lisboa.
Na televisão, passa sem parar o comercial criado pela agência carioca Artplan e filmada pela também brazuca Digital 21. O filme mostra pessoas batucando e tocando o jingle do festival (sim, o clássico, muito bom) em tudo que encontram pelas ruas.
VodafoneAs ruas da cidade, fora do mundo televisivo, foram tomadas por guitarras gigantes da Vodafone. Nos braços dos instrumentos, uma contagem regressiva para o começo do barulho. A mesma operadora está com uma promoção engraçada. Até o final do mês, uma banda vai promover sessões de karaokê no metrô. Os melhores "cantores" ganham ingressos. A campanha desta ação traz pessoas que cantam em vários lugares. Na hora de pedir um café com leite na padaria, por exemplo. A idéia é algo como: Se está sempre cantando, vá ao Rock in Rio...
SagresA cerveja Sagres, que também patrocina o evento, apostou num novo produto inspirado no Brasil para se associar ao Rock in Rio. É a Sagres Chopp - que não é chopp, é cerveja - e conta com uma campanha que não tem nem rock nem Rio. Tem axé, um Bahia e Ivete Sangalo. A baiana é atração do dia de abertura do Rock in Rio e canta no comercial da cerveja e nos mobiliários urbanos musicais espalhados pela capital portuguesa. O que importa é que Ivete aqui também vende que nem água. Água só não: chopp, cerveja, tudo.

CERVEJA QUER COLOCAR ÁGUA NO CHOPP DO ROCK IN RIO
Falando em água e em chopp. A Super Bock, marca rival da Sagres, anunciou esses dias que vai realizar a 12a. edição do seu festival Super Bock Super Rock (SBSR) coladinho com o Rock in Rio.
SuperbockSe no ano passado o ótimo SBSR durou 3 dias, neste vai durar 4, espaçados em dois finais de semana com intervalos de 15 dias. Ou seja: começa no mesmo fim de semana do Rock in Rio e termina um depois.
Bem, deve ter uma série de explicações pra esta estratégia: o aproveitamento dos turistas na cidade; o fato do Super Bock ser tradicionalmente em Maio; a tentativa de carona na mídia, tal como, aliás, acaba de acontecer nesta coluna....mas, sei lá. Os ingressos não são baratos e não sei se a rapaziada tem grana pra tudo. E acho que a pressão que o Rock in Rio na mídia vai ser bem maior. Mas vamos ver.
Numa coisa o público saiu ganhando: as atrações são bem variadas. Não vai ter muita gente dizendo que perdeu um show por causa do outro.
Por exemplo: no final de semana que o Rock in Rio Lisboa vai contar com Shakira, Jamiroquai, Ivete, DZRT (espécie de Menudo português) e Guns n Roses (sim, eles ressuscitaram de novo!), o Super Rock vai de metal pesado: Tool, Deftones, Korn e outra banda saída da tumba dos anos 90, o Alice in Chains (essa, o vocalista já morreu e tudo).
Uma semana depois que o Rock in Rio apresentar os Red Hot Chili Peppers, Roger Waters, Santana, Anastacia e Sting, o Super Bock vem com Franz Ferdinand, Keane e o rapper Pharrell.
De falta do que fazer é que ninguém vai reclamar. Saiba mais sobre a algazarra em: www.rockinrio-lisboa.sapo.pt e www.superbock.pt

The Bubble ProjectCOLOCANDO PALAVRAS NA BOCA DA PUBLICIDADE
The Bubble Project é uma gaiatice que começou em Nova Iorque, já aportou na Europa e tem dado dor de cabeça para alguns anunciantes.
Consiste no seguinte: uns figuras colam adesivos nos mobiliários urbanos da cidade que são balões de história em quadrinhos, mas em branco. Aí qualquer cidadão pode ir lá e escrever o que bem entender nas marcas ou personagens das campanhas. Desde mensagens políticas a textos malandrinhos.
The Bubble Project É ruim para a publicidade? É. Mas é engraçado. Tem boas galhofas. Num anúncio de vitaminas, por exemplo, o rapaz que está correndo diz: "Tem um padre atrás de mim!" e a sereiazinha na marca do café Starbucks diz: "Você viu os meus mamilos?"
Os autores do projeto devem lançar um livro em breve e já disponibilizaram um template do adesivo para cada um poder imprimir o seu em casa e espalhar o movimento. Veja mais www.thebubbleproject.com

PROBLEMA DE COMUNICAÇÃO
Aconteceu outro dia. Um diretor da agência, estrangeiro, estava com problemas num job e convocou uma reunião com a equipe. Mais ou menos assim:
- Carajo! Sabem qual é lo peor que puede acontecer en nuestra agencia? Falta de comunicación...
- Mas o que houve?
- Este trabajo no era nada disso e lo que pasó és que las personas acá parece que no sabem comunicar-se! Esta é una agencia de comunicación. Donde está la atendimiento desto?
- Ah, ela teve um problema e foi ao hospital levar a filha...
- Levar la abuela?
- Não, a filha.
- Si, la avó...
- Não... a filha!
- La avó ou la hija?
- La hija, a filha..,
- Aaaaaaah. Está bien, entonces peguem lo celular e enviem un SMS a ela para saber donde está lo trabajo que yo pedi.
- É aquele trabalho do BTL, certo?
- Nooooooo! SMS! É para passar un SMS!!!! No sabes o que és un SMS?! No es posible. Estás a ver? Problema de comunicación!
Pior é que ele estava certo.

UM CRIATIVO BRASILEIRO EM LONDRES
Bruno XavierHá dois anos e meio, Bruno Xavier foi passar 3 meses em Londres. Até hoje não voltou. Aliás, foi parar na Noruega, onde quase virou picolé de redator. Agora, de volta à Inglaterra, o ex-criativo da 100% e da Doctor está ralando na Grey UK. É dele, por exemplo, esse anúncio do Fairy que ilustra a matéria.
Bati um papo com o cara para saber como está sendo esta experiência. Com a palavra, o Bruno.
"Fábio, está sendo alucinante. Se eu já ficava feliz da vida fazendo título pra varejo de automóveis, imagina pegar um briefing com verba de 2 milhões de libras pra Nokia. E tem a AOL, Procter&Gamble, Visa...
Trabalho com caras que fizeram campanhas que eu via no Brasil e ficava louco. Os criativos do Stunt City (campanha superpremiada da Rexona) chegaram aqui faz 2 meses e um dos diretores de criação daqui criou aquele filme da Citroen, do carro que dança.
Outra coisa que tem marcado é o fato de ninguém ficar horas por dia vendo propaganda. Ninguém fuçando anuário, nem pendurado em sites baixando comercial. A galera passa a maior parte do tempo vendo animação, curta-metragem, artistas plásticos, inventores...
E aí você começa a descobrir de onde vem as idéias. Tipo o filme "Cog" da Honda. Tinha uma exposição em Zurich só com aquele tipo de engenhoca. Neguinho colocou um carro e correu pro abraço.
Mas deve ter gente se perguntando: como é que esse moleque foi parar na Grey de Londres? Bicho, tirando os meus olhos azuis, o que mais me ajudou foi ter ganho uma espécie de Clube do Futuro que o D&AD faz. E o melhor, foi de graça (Fábio, tô depositando na tua conta o cachê pelo jabá do D&AD).
Outra coisa que me deixou chocado foi que ninguém aqui tem portfolio com foto e layout pronto. É tudo desenhado a mão. Photoshop quem usa são os assistentes e designers, criativo é pago pra pensar. Não sei se esse modelo não deveria ser seguido pela galera daí, mesmo sabendo que a realidade do Brasil é diferente. Mas as vezes você vê um cara que tem idéias do cacete acabar perdendo a vaga pra um outro que é amigo do fotógrafo...
É isso Fabio. Olha, quem quiser trocar idéia é só escrever: [email protected]
Um forte abraço,
Bruno Xavier"
Valeu, Bruno. Boa sorte, mermão!

Quinta da BichinhaA MARCA DO MÊS
Se você está pensando em se casar em grande estilo, já pensou na possibilidade de fazer a sua festa numa autêntica fazenda portuguesa?
Ah, então você precisa conhecer a QUINTA DA BICHINHA. Seus amigos vão achar o máximo. O anuncio diz que a casa oferece decoração floral e fogos de artifício. Um luxo. Mais informações: www.quintadabichinha.pt

 

 

A ÚLTIMA
CapricciosaNão tinha dado uma confusão na Pizzaria Capricciosa? Acusaram os donos de mandar drogas dentro de carne congelada pro exterior, lembram? Pois é, os caras acabaram de abrir uma pizzaria em Lisboa, no badalado bairro de Alcântara. Dizem que tem até promoção: compra a pizza e ganha a coca.

Fábio Seidl é redator da McCann-Erickson Portugal- Março/2006)