O Marketing Direto morreu. Agora, começa a era do Marketing de Dados

Antonio Rosa

“O conceito de Marketing Direto está superado”, alerta Antonio “Toninho” Rosa, presidente da Dainet Multimídia e do Conselho Superior da ABEMD, entidade que acaba de alterar seu próprio nome. Seguindo uma orientação mundial da Data Marketing Association — que, por sua vez, deixou de ser a Direct Marketing Association — a ABEMD não significa mais “Associação Brasileira das Empresas de Marketing Direto”, e sim “Associação Brasileira das Empresas de Marketing de Dados”.

– Estamos vivendo a época da “big data”. Não faz mais sentido pensar em segmentar nosso público apenas pelos antigos critérios de sexo, idade e situação socioeconômica. É preciso conhecer como o nosso consumidor pensa, em que bairro ele mora, quais são os seus hábitos — explica Toninho Rosa.

A mudança, diz o executivo, deve-se ao crescimento da importância da tecnologia nas ferramentas de comunicação de marketing, o que trouxe novos players ao mercado mundialmente. “Nós vimos este fenômeno acontecer lá fora e precisávamos preparar o Brasil também para a mudança”, conta Rosa, que contou com o apoio do presidente da ABEMD, Efraim Kapulski.

O site da ABEMD, inclusive, tem um glossário para entender um pouco melhor do Marketing de Dados, que o internauta também vai encontrar no Google traduzido como “Marketing por Dados”, em que nenhuma decisão é tomada sem que tenha havido uma precisa avaliação tecnológica da segmentação do público.

"Homo Deus", de Yuval Noah Harari, recomendado por Toninho Rosa para quem quer entender os novos tempos do "big data".
“Homo Deus”, de Yuval Noah Harari, recomendado por Toninho Rosa para quem quer entender os novos tempos do “big data”.

Toninho Rosa inclusive recomenda a leitura do livro “Homo Deus”, de Yuval Noah Harari, do mesmo autor do best-seller “Sapiens”, e que conta uma história da humanidade nessa fusão de filosofia e ciência, criando o neologismo “dataistas” para caracterizar as novas gerações mais focadas em cultuar os dados que circulam pelas redes.

O presidente do conselho da ABEMD alerta também para a necessidade de as premiações internacionais se ajustarem à nova realidade do setor. O festival de Cannes, por exemplo, que acaba de fazer uma grande alteração em sua organização, manteve o “Direct Lions” no grupo de premiações a que chamou de “Reach”, juntamente com o mais contemporâneo “Creative Data Lions”.

O Prêmio Colunistas, por outro lado, já está iniciando negociações com a ABEMD para a alteração no atual Colunistas Marketing Direto, que deverá trocar de nome e reavaliar suas categorias para a premiação de 2018, acompanhando as mudanças.

Dinâmica Talentos
Publicidade

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta