• DPZ&T - Criatividade que gera resultados.
    Quem vê esta coruja, Vota Eletromídia
  • E-mail padrão leva Moleskine a polêmica nas redes sociais

    Moleskine X Deu Ruim

    “Deu ruim” a iniciativa da Moleskine de defender sua marca, encontrada pela internet, com um e-mail padrão, sem considerar o contexto da postagem. Em um texto livre de Denis Araujo no blog Deu Ruim, na terça-feira, 20/02, o autor escreveu poeticamente “Percebo que linhas ficaram em branco nesse papel de caderno moleskine que ganhei de aniversário no ano passado.”

    Foi o suficiente para que, no dia seguinte, o blog recebesse e-mail de alerta da empresa, assinado apenas por “Lucila” (que identificamos ser Lucila Longo, gerente de Marketing e Comunicação da Moleskine Brasil), informando que viu o texto no clipping. A mensagem lembra que Moleskine é uma marca italiana que “não pode ser confundida como categoria de produto”. O alerta pede “que as pessoas chamem o produto do que realmente é: caderno, caderneta… mas não pelo nome da marca, uma vez que é um nome registrado internacionalmente”.

    Denis Araujo tirou o “moleskine” do seu texto, mas a ira da equipe do Deu Ruim, capitaneada pela escritora Marina Barbieri, foi imediata. Em sua página nas redes sociais, disparou:

    “Quanta arrogância da Moleskine!!! Confesso que peguei ranço, viu? Mas agora farei questão de comprar caderno, caderneta, agenda, e nunca mais Moleskine. Pq marca arrogante eu não faço a menor questão de ter.”

    A postagem começou a ser compartilhada na rede e a Moleskine não só não percebeu o que Marina havia chamado de “baita tiro no próprio pé” como mandou nova mensagem informando que aquele era um “e-mail padrão para todos os veículos de comunicação”, enquanto sentiam muito que os autores do ‘Deu ruim’ tenham “entendido nosso e-mail como arrogante”.

    Somente horas mais tarde a Moleskine Brasil percebeu o que havia desencadeado e se desculpou, postando na fanpage do blog no Facebook: “Pessoal, erramos. Gostaríamos de estender nosso pedido de desculpas a todos”.

    Procurada pela Janela, a empresa esclareceu que aquele e-mail deveria “ser enviado para fins de proteção de marca em casos de uso comercial e foi enviado por engano”.

    A Moleskine garantiu que se tratou de “falha humana e não do posicionamento da marca”, acrescentando:

    – Sempre amamos quando nossos fãs citam a nossa marca. Por isso nos retratamos publicamente. Lamentamos muito todo esse ocorrido, estamos acompanhando o caso de perto, estabelecendo um dialogo com a própria Marina para resolvermos.

    O e-mail padrão enviado pela Moleskine e o texto original de Denis Araujo, ainda exibindo a palavra como genérico.

    O e-mail padrão enviado pela Moleskine e o texto original de Denis Araujo, ainda exibindo a palavra como genérico.

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
    seta