• DPZ&T - Criatividade que gera resultados.
  • Sistema Globo de Rádio nega que CBN e Globo FM deixem de existir

    Rádio CBN - Microfone

    A rádio CBN negou este domingo, 14/04, durante a sua programação, a informação que vem circulando informalmente há algumas semanas de que o Sistema Globo de Rádio estaria para desativar a marca da emissora e da rádio Globo FM.

    A negativa foi uma reação pelo boato ter chegado ao público através de uma nota do jornalista Ricardo Feltrin, do UOL, que deu como fato definitivo — inclusive citando que os funcionários já estariam sendo comunicados –, de que o SGR passaria a adotar, em suas rádios, os nomes Multishow FM e GloboNews FM.

    Os rumores já haviam sido negados, no início deste mês, para a Janela, por funcionários do SGR, que garantiram que, não somente não teria havido qualquer comentário dos diretores do grupo a respeito, como estariam em andamento novos investimentos do SGR em campanhas de divulgação das duas rádios. A CBN, por exemplo, estaria ajustando sua programação no Rio para cumprir a meta de ser uma “CBN cada vez mais carioca”.

    Na nota lida pela comunicadora do programa “Revista CBN”, a informação de Feltrin é “mentira, uma pura invenção”. Citando a posição oficial que teria recebido da direção da casa, atacou: “pessoas que deixaram o SGR tempos atrás deixaram de fazer bom jornalismo. Vivemos tempos sombrios de desinformação e irresponsabilidade”.

    A Janela tentou contato com a direção do SGR, sem retorno oficial até o fechamento desta matéria.

    ATUALIZAÇÃO EM 15/04/2019

    O próprio UOL, em seu portal, ainda no domingo, à noite, desmentiu seu colunista Ricardo Feltrin:

    Diferentemente do informado pelo colunista Ricardo Feltrin, do UOL, no título da matéria “Globo decide acabar com rádios CBN e Globo FM”, as rádios não acabarão e nem deixarão de existir na frequência que ocupam atualmente….

    O Sistema Globo demorou mas finalmente, emitiu a sua nota oficial, negando a informação.

    Nota de Esclarecimento Sistema Globo de Rádio

    Aos nossos colegas de mercado, clientes e ouvintes: A direção do Sistema Globo de Rádio informa que são totalmente infundados os boatos que circulam na internet sobre o fim das Rádios Globo e CBN.

    A CBN é um sucesso estabelecido, firmada como a maior rádio de notícias do Brasil, não havendo nenhuma possibilidade de sua descontinuidade. Pelo contrário, seguimos investindo no seu fortalecimento e no jornalismo de qualidade que caracteriza a emissora há quase 30 anos.

    A Rádio Globo segue em busca do seu caminho de sucesso. Há dois anos fizemos transformações importantes buscando reverter tendências negativas de faturamento e uma operação deficitária. Nem todas as mudanças trouxeram os resultados que esperávamos. Seguimos em permanente avaliação da programação com o objetivo de atender da melhor maneira a demanda dos nossos ouvintes.

    O projeto Uma Só Globo, como dito desde o seu lançamento, não envolve as rádios do Sistema Globo de Rádio. Portanto, a Accenture, consultoria do projeto Uma Só Globo, não tem absolutamente nenhuma relação com as decisões que envolvem nossas emissoras de rádio.

    Lamentamos a forma irresponsável e descomprometida com os fatos com que essas notícias foram publicadas, gerando ansiedade e preocupação desnecessárias em um grande número de funcionários, seus familiares, afiliados, parceiros e ouvintes.

    Marcelo Soares
    Diretor Geral do Sistema Globo de Rádio

    Vale apenas ressaltar — até como exemplo a demais empresas — que a culpa pelo tamanho do estrago é exclusivamente do Sistema Globo de Rádio, único responsável pela demora em emitir alguma resposta oficial, que poderia ter acalmado o mercado.

    Como citamos acima, esse burburinho já vinha ocorrendo há algumas semanas. A própria Janela, precisamente no dia 02/04, pediu esclarecimentos e ninguém do SGR se manifestou.

    Lição que sempre repetimos aos nossos entrevistados: tome conta do boato, ou vai deixar o boato tomar conta de você.

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
    seta