Grupo Coruja. Sua marca em movimento.
Publicidade

Petrobras mexe no seu marketing e Ricardo Vieira retorna à área

Ricardo Vieira

Com a entrada, em maio, de Flavia da Justa no comando da Comunicação e Marcas da Petrobras, uma série de mudanças começaram a acontecer na petroleira. A mais significativa é a volta de profissionais que atuavam no setor e foram afastados quando o PT subiu ao poder e Wilson Santarosa passou a chefiar o marketing.

Entre as velhas novidades, está o retorno de Ricardo Bastos Vieira (foto), para cuidar de toda a área de Estratégia e Marcas, tendo sob seu guarda-chuva a estrutura de publicidade e mídia.

Formado em comunicação pela ECO-UFRJ, com pós em Marketing pelo Coppead, Vieira também foi coordenador de publicidade e promoções da BR Distribuidora e conta no currículo com uma participação como jurado do Prêmio Colunistas Rio em 1999.  Naquele ano, ele deixou a BR para assumir a Superintendência de Comunicação Institucional da holding Petrobras, onde ficou até 2002.

Com ele, volta também Luis Eduardo Paschoal Basto, como gerente setorial de marcas. Basto, vale lembrar, foi premiado em 2002, pela ABP, como Executivo de Anunciante do Ano, entre os Destaques Profissionais. Na mídia da petroleira não houve mudanças. Continua Mariana Ribeiro Bieler na gerência.

Essas alterações, naturalmente, implicaram no afastamento do quadro que estava à frente das ações de marketing da Petrobras, como Eraldo Carneiro e Raul Santahelena. Como ambos são concursados, devem ser realocados em outros setores. Já Diego Pila, que estava na Petrobras há mais de 15 anos e gerenciou Relações Corporativas, Eventos e Patrocínios, mesmo sendo concursado, foi desligado da empresa.

Para a Janela, Pila revelou que foi desligado “sem justa causa e sem a apresentação de nenhum motivo”.  O profissional acredita que a decisão da empresa teve apenas uma justificativa: “Eu, assim como Bruno Motta, ter sido contrário a algumas decisões que estavam sendo tomadas na área de patrocínios, como o rompimento de contratos na área de Cultura e Esporte Motor”, explicou. Em abril último, foi noticiado que a Petrobras não renovaria o patrocínio de 13 eventos culturais neste ano, entre os quais a Mostra de Cinema de São Paulo, o Festival do Rio, o Festival de Brasília e o Anima Mundi, que aconteceu esta semana no Rio graças à arrecadação que a produção fez entre fãs do projeto.

A conta publicitária da Petrobras está dividida, desde 2017, entre as agências DPZ&T e Propeg.

LEIA TAMBÉM NA JANELA

Petrobras leva Flavia da Justa para o seu marketing (em 23/04/2019)

Marcio Ehrlich

Marcio Ehrlich

Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.
seta