• Oi Ads
  • Agências do Rio não pretendem voltar ao normal na “retomada”

    Escritório vazio

    A inclusão das agências de publicidade na fase 3 do Plano de Retomada da Prefeitura do Rio não foi o suficiente para convencer os publicitários cariocas. Em resposta a questionamento da Janela, dirigentes de 16 das principais agências do Rio de Janeiro garantiram que continuarão, por mais alguns meses, com grande parte da operação em regime de home office. A prioridade para todos é claramente a segurança da equipe.

    A Janela quis saber como estas agências estavam operando atualmente e se pretenderiam retomar a operação integral a partir da autorização da Prefeitura do Rio. E como imaginavam que será o “novo normal” para as agências de publicidade.

    Vejam a seguir os depoimentos das agências 11:21 (Gustavo Bastos), 3AW (Roberto Amarante), Agência3 (Paulo Castro), Artplan (Antonio Fadiga), Binder (Glaucio Binder), Camisa 10 (Bruno Richter), Kindle (Bruno Chamma), Nacional (Paulo de Tarso), NBS (Roberto Tourinho), Nova/SB (Flavio Martino), Propeg (Vitor Barros), Quintal (Leonardo Brossa), Script (Ricardo Real), Sides (Fábio Barreto), Wide (Luciana Sant’Anna) e WMcCann (Marcio Borges).

    • 11:21, por Gustavo Bastos
    11:21 - Logo

    A agência está totalmente fechada, 100% da equipe em home office. E devemos ficar assim por muito tempo ainda. Talvez em setembro ou outubro as áreas de mídia e administrativo comecem a se revezar, mas a princípio estamos estimando até o fim do ano no regime de #ficaemcasa.

    Nossa equipe se adaptou muito bem neste regime e está inclusive pedindo que a gente não abra tão cedo. Não pretendemos arriscar a vida de nossa equipe de maneira alguma.

    O nosso novo normal é manter a equipe saudável, feliz e produtiva. Temos um resultado de produção durante a pandemia com clientes novos em SP e no Rio, campanhas muito criativas na rua, e assim vamos prosseguir. Temos reuniões diárias pelo Google Meet com toda a equipe e todos saem motivados e proativos.

    • 3AW, por Roberto Amarante

    3AW - LogoHoje em dia, a 3AW está operando 100% em home office. Aproveitamos a nossa experiência com a rede internacional de agências, onde já trabalhávamos à distância há um bom tempo, e implementamos algumas headlines fundamentais para o perfeito funcionamento das entregas. A agência física está fechada com apenas o colaborador de TI in loco. A cada 15 dias fazemos a limpeza e higienização para a manutenção da sede.

    Não vamos retomar agora a operação. Estamos finalizando a tabulação de uma pesquisa junto aos nosso colaboradores para entender as necessidades, os medos e os cuidados individuais para a montagem de uma volta progressiva.

    Vamos iniciar com os de menor risco, com frequência minimizada e espaços maiores entre os que vão iniciar. Todos os cuidados de higienização estão sendo tomados para a utilização dos espaços da agência.

    Vamos voltar em regime de “soft open”, com número bem reduzido de colaboradores, a partir de agosto, mas sem precisar a data ainda. Teremos todos os controles higiênicos na entrada, tais como tomada de temperatura, álcool em gel, tapete químico e máscaras.

    Internamente teremos uma equipe de higienização durante todo o tempo que tiver pessoas trabalhando e cuidados especiais, com desinfetantes específicos, para os banheiros.

    Ainda assim vamos monitorar como está se desenvolvendo a pandemia podendo considerar, se necessário, uma volta ao regime 100% home office.

    • Agência3, por Paulo Castro

    Agência3 - LogoNossos mais de cem colaboradores estão trabalhando cem por cento no esquema home office com todo o suporte tecnológico da agência.

    Não pretendemos retornar agora à operação integral. Nesse momento não pensamos nisso. A segurança da nossa equipe está em primeiro lugar. Não temos prazo para a retomada.

    Temos dois contratos com clientes onde 27 pessoas da nossa equipe trabalham no formato ‘in company’. Estamos sempre conversando com os diretores, mas até agora eles também não tem previsão de volta. E quando tiver, seguiremos os mais rígidos controles de segurança seguindo as determinações da OMS.

    Planejamos no futuro um modelo híbrido. Mas ainda estamos estudando. Acabamos de rodar uma pesquisa interna muito completa onde nossos colaboradores puderam se colocar de forma muito clara sobre o tema e ainda dar sugestões importantes sobre uma volta. E estamos em linha com o desejo e as respostas deles.

    Repetindo: a segurança da nossa equipe está em primeiro lugar.

    • Artplan, por Antonio Fadiga

    Artplan - LogoHá mais de 100 dias, estamos operando com 100% da equipe em home office. Os escritórios estão abertos, caso alguém do time, eventualmente, precise de algum suporte que tenhamos por lá.

    Nosso foco sempre foi e continua sendo a saúde e segurança dos colaboradores e vamos acompanhar os desdobramentos e impactos, a partir das decisões da Prefeitura.

    Estamos planejando os cuidados extras que teremos, quando for a hora de voltar, mas, provavelmente, faremos revezamentos entre os times, aumentaremos os espaçamentos físicos entre as pessoas, marcaremos reuniões presenciais e viagens com uma menor frequência e, obviamente, ficaremos cada vez mais atentos às medidas de higienização e assepsia dos escritórios.

    Desde que a pandemia foi comunicada, definimos um comitê de crise que está cuidando de ações com foco no cuidar das pessoas e dos negócios. O cenário é complexo e requer tranquilidade e responsabilidade na tomada de decisões. Estamos analisando, dia a dia, os possíveis e próximos passos. Enquanto isso, nosso time segue seguro em casa, aprendendo algo novo todos os dias e pensando a comunicação e ações dos nossos clientes.

    • Binder, por Glaucio Binder

    Binder - LogoMesmo que haja uma flexibilização para volta, a tal da fase 3, a Binder só abre a possibilidade de algum retorno ao escritório se sentir segurança para a saúde das pessoas.

    Como estamos operando muito bem em home office, vamos continuar assim até ter segurança.

    • Camisa 10, por Bruno Richter

    Camisa 10 - LogoEstamos operando com a equipe 100% em home office desde o dia 16 de março, ou seja, 108 dias trabalhando remotamente. Todas as áreas. Estamos, inclusive, com pessoas de fora do Rio integradas à equipe em projetos especiais. Um nova possibilidade neste isolamento social.

    Por enquanto, não pretendemos retomar a operação como antes. Estamos planejando esta volta com muita cautela. A saúde da nossa equipe é mais importante que uma autorização da Prefeitura.
    Temos conversado com todos os colaboradores, para saber, de cada um, como estão se sentindo neste isolamento.

    A ideia há uns dois meses atrás era voltar em agosto. Mas tudo mudou e ainda não temos uma data definida. Não estamos com pressa neste sentido. Podemos voltar em setembro, podemos voltar em 2021. Por enquanto, seguimos trabalhando em home office, com rotinas que tem funcionado muito bem.

    Fazemos diariamente pela manhã uma reunião com toda a equipe, em que falamos sobre todos os jobs em andamento na agência. Temos grupos separados por clientes no slack, que facilita muito o fluxo de trabalho. E fazemos reuniões diárias com os clientes, via Meet, Zoom etc. Está funcionando.

    Mas sentimos falta do convívio diário e presencial.

    • Kindle, por Bruno Chamma

    Kindle - LogoDesde o dia 16/03, estamos operando 100% em home office. O escritório está totalmente fechado desde essa data.

    Com um pouco mais de um mês de operação em home office, tivemos uma grata constatação, de que nossa produtividade estava melhor do que no presencial. Em função disso, tomamos a decisão de entregar a nossa sala, manter 100% de home office até pelo menos agosto. Como ainda estamos distante, não nos aprofundamos com os cuidados que teremos no retorno.

    Nosso novo normal terá uma mudança significativa, pois não teremos mais uma sede própria. A Kindle se mudará para um escritório fixo no We Work da Barra, apenas com a diretoria e gestores de área.

    Toda a parte de produção continuará em esquema de home office, com reuniões regulares na nova sede. Com isso conseguiremos conciliar uma boa qualidade de vida dos nossos colaboradores e uma entrega de qualidade, com os novos processos de gestão digital que implementamos. E o legal é perceber que este novo normal expande os nossos horizontes. Para a conta da Autokraft, acabamos de contratar um profissional de BI que mora em SP.

    • Nacional, por Paulo de Tarso

    Nacional - LogoNa Nacional, estamos fechados com o isolamento social. Desde 15 de março estamos todos trabalhando em casa e com resultados muito bons. Em situações excepcionais uma ou outra pessoa da equipe vai até agência. Por exemplo, quando necessário acessar algum documento em arquivo físico ou usar algum equipamento, como impressora de formato grande.

    A equipe se reúne diariamente através dos aplicativos de reunião e o trabalho tem rolado muito bem.
    A decisão de voltar ao escritório não será da Diretoria, mas fruto de conversa com todos os funcionários, uma vez que isso afeta vida de cada um e todos devem se sentir seguros e confortáveis. O mais provável é que a gente siga assim por mais alguns meses, independente de uma autorização de funcionamento por parte da Prefeitura.

    O “novo normal”, ainda temos tempo para definir. Estamos de olhos nas experiências mundo a fora. O mais provável é que o “novo normal” seja um mix do que havia antes, com o que temos agora, com 100% de precaução.

    • NBS, por Roberto Tourinho

    NBS - logoEstamos acompanhando as fases locais de reabertura, mas temos como decisão global seguir às diretrizes do grupo, onde foi definido que só voltaremos quando pudermos ter segurança sobre a saúde de todos os nossos colaboradores e seguindo os protocolos de prevenção ao Covid 19, de acordo com as orientações da OMS e autoridades Governamentais brasileiras.

    Isso quer dizer que não estaremos vinculando as nossas decisões somente às decisões de governos locais, existe um grupo de trabalho no grupo DAN que está monitorando todas as variáveis, todos os cenários, em todas as cidades em que o DAN tem operações. Sempre levando em consideração as respectivas situações de cada Cidade. Este grupo trabalha alinhado com as orientações dos líderes locais das respectivas agências.

    Seguiremos trabalhando com o modelo de Home Office, que tem se mostrado bastante eficaz. Temos feito pesquisas internas regulares e estamos usando o resultado para promover algumas melhorias para que os nossos colaboradores possam ter ainda mais conforto para seguirem trabalhando de casa.

    Não acreditamos em um novo normal. O novo está acontecendo e várias mudanças já ocorreram e tivemos que nos adaptar rapidamente às mesmas, sejam elas nas agências, na relação com Clientes e parceiros e em todos os outros setores da Indústria da Comunicação e na sociedade como um todo. Estamos vivendo o dia a dia e planejando sempre o próximo passo, já que o futuro ainda está incerto. Ainda não sabemos como vai ser essa volta, mas sabemos que será com total garantia de segurança para os nossos colaboradores, clientes, terceiros e quem mais estiver dentro da nossa cadeia de contato. Enquanto isso seguimos trabalhando no modelo home office, entregando e colocando trabalhos na rua.

    • Nova/SB, por Flavio Martino

    Nova/SB - LogoA Nova SB está há 100 dias em “quarentena”. Poucas pessoas circulam na unidade do Rio Sul. Na verdade, a ida é eventual e de acordo com alguma necessidade específica. Algum processo de faturamento, algum JOB mais apurado. No geral, a agência esta trabalhando remotamente e por vídeo chamada desde o início do isolamento. Mesmo padrão adotado em São Paulo, nossa sede, em Brasília e em Cuiabá. A ida só em caso de necessidade.

    O assunto ‘retomada’ vem sendo discutido e avaliado semanalmente de acordo com as informações e orientações dos órgãos competentes. Mesmo com a orientação, a avaliação interna é muito criteriosa, pois estamos tratando de vidas e as orientações externas não são tão seguras.

    Por conta desse cenários, ainda não chegamos a uma data para começar ou não. O que já alinhamos, é a fixação de um sistema de rodízio para os primeiros 30/45 dias a partir do retorno definido. home office em dois dias e trabalho em 3 dias. Porém, os 3 dias presenciais terá uma flutuação dos profissionais, variando entre 40% a 60%, mínimo e máximo. Além disso, compramos oxímetro e termômetro. Faremos uma planilha de acompanhamento e qualquer variação, encaminharemos para o médico. Isso, sem contar limpeza, higienização e muito álcool em gel.

    Se não houver consenso no retorno, seja interno ou das autoridades, vamos continuar como estamos. São reuniões virtuais internas e externas com clientes e a equipe trabalhando 100% de home office. Tem funcionado bem e estamos respondendo bem e já estamos bem adaptados.

    A equipe já entendeu a dinâmica do momento. A dinâmica é puxada, pois temos dois tipos de pauta: uma nacional envolvendo todos os diretores às segundas, quartas e sextas na parte da manhã; e a pauta Rio de Janeiro com a equipe local.

    Sobre o Rio, temos horários semanais pré-fixados de status geral, status por cliente, status por área. Isso a gente conduz de forma regular e disciplinada.

    • Propeg, por Vitor Barros

    Propeg - LogoEstamos funcionando 100% em Home-Office e 100% operacionais. Embora estejamos acompanhando a evolução das fases da cidade, não temos pressa para voltar.

    A prioridade é que o retorno, quando acontecer, seja de forma gradual e segura para a saúde de todos. O que já sabemos é que o home-office é algo que veio pra ficar e, diferente da pandemia, não vai passar.

    Aprendemos a trabalhar mais integrados, inclusive com as equipes dos outros escritórios da Propeg pelo Brasil, e teremos um modelo híbrido que vai mesclar presencial com o home-office mais pra frente.

    • Quintal, por Leonardo Brossa

    Quintal - LogoAtualmente, estamos com o escritório fechado e operando 100% online. Fizemos ajustes na operação, mas sem necessidade de novos softwares, apenas exploramos mais as ferramentas que já tínhamos. Está dando certo, embora sintamos falta da troca que só o contato físico permite em momentos momentos.

    Sobre retomar a operação, não vamos dar esse passo agora. Ainda enxergamos um alto risco de contaminação, principalmente para as pessoas que precisam se locomover através dos transportes públicos. Acreditamos que nossa atividade ainda nos permite estender o home office por mais um período. Quando chegar a hora, ainda vamos fazer de maneira contida e com ajustes na operação de forma a atender não só as necessidades da Quintal, mas também a especificidade de cada um dos nossos funcionários.

    Pro futuro, ou o novo normal, estamos estudando a possibilidade de uma operação híbrida, com mais home office para todos. Esse foi um aprendizado que não pretendemos descartar.

    • Script, por Ricardo Real

    HScript - Logooje estamos operando 100% remotamente com eventuais idas e vindas ao escritório no departamento financeiro.

    Não pretendemos retomar por agora. Iremos iniciar o trabalho de forma híbrida somente a partir do momento que todos os colaboradores se sentirem seguros. Iremos aguardar a evolução do fatos.

    Para os próximos três meses, seguiremos de forma remota, aguardando um retorno mais seguro.

    • Sides, por Fábio Barreto

    Sides - LogoTemos acompanhado as discussões, decisões e indecisões dos Governos Municipal, Estadual e Federal sobre o retorno às atividades. Porém, diante dos desencontros na informação e do inerente risco à saúde, decidimos reabrir a agência apenas em Setembro.

    Mas essa é uma decisão momentânea, que pode ser revista a qualquer momento diante do quadro que a cidade venha a enfrentar nesse meio tempo. Ainda assim, a reabertura da agência não significará um retorno 100% in loco. A dinâmica da volta presencial será alinhada com os Gestores e a equipe de acordo com as demandas da agência e as necessidades específicas de cada um.

    Realizamos uma pesquisa interna e constatamos que a tendência é um formato híbrido de atuação.

    Por isso, a ideia é aprimorar o trabalho remoto e adotar as medidas de higiene e proteção que permitam o uso do nosso espaço físico de forma consciente e segura.

    • Wide, por Luciana Sant’Anna

    Wide - LogoSeguimos operando totalmente de home office em todas as áreas. Escritório fechado por enquanto.

    Ainda não temos previsão de retomar a operação da agência no escritório porque entendemos que, por mais que tenhamos possibilidade de aplicar boas práticas no ambiente de trabalho para evitar contaminação, voltar para lá envolve a equipe usar transporte público e nos preocupamos bastante com essa questão. Talvez a partir de outubro, conforme a situação de contaminação no Rio for evoluindo a gente comece a voltar para a operação presencial.

    Para essa nova realidade estamos avaliando a operação da agência como um todo, entendendo o que de fato precisa acontecer presencialmente de forma regular e como podemos aplicar a rotina de home office como algo permanente, seja no esquema de rodízio, seja em um expediente full. Por termos origem nativa digital, equipes home office já está em nossa rotina há bastante tempo, BI, TI por exemplo, o que estamos avaliando agora é para quais mais áreas ampliaremos esse modelo, claro sempre ouvindo da equipe suas preferências.

    • WMcCann, por Marcio Borges

    WMcCann - LogoPor enquanto, não temos previsão de quando será o retorno. Ele será feito de forma gradual e em ondas, com decisões sempre pautadas na priorização da saúde e segurança das pessoas. Para a organização dessas ondas, aplicamos uma pesquisa para identificação de colaboradores no grupo de risco ou outras limitações pessoais, e junto aos gestores avaliaremos as prioridades.

    Em paralelo, estamos organizando as adaptações necessárias na agência para manter o ambiente seguro e higienizado, como limitação de espaços nas salas de reunião, comunicação visual, itens de higiene e segurança, protocolos de comportamento, etc.

    Os nossos protocolos serão adotados por todos os nossos escritórios no Brasil e em linha com que nossos escritórios em outros paises já adotaram.

    PUBLICIDADE

    Tupi FM.
    UM_Digital. Sem medinho de trabalhar com você.

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Discussão

    1. […] On: 8 de julho de 2020 In: Publicidade & Marketing http://www.janela.com.br […]

    seta