• Cultura Inglesa faz concorrência sob críticas do mercado

    Cultura Inglesa - Campo Grande

    Com sua conta há dois anos na agência Quintal, a Cultura Inglesa abriu concorrência para agência de publicidade seguindo um processo que, nos bastidores, vem gerando reclamações de empresários do mercado carioca.

    Segundo amigos da Janela, a empresa teria convidado seis agências cariocas, dando apenas uma semana de prazo para que cada uma preparasse a sua apresentação. “Eles querem escolher uma agência ou uma campanha?”, questionou um dos empresários chamados para a disputa, afirmando que, “se o objetivo não era conhecer a estrutura e o portfólio das agências, mas apenas receber ideias criativas, a Cultura Inglesa deveria pagar por isso”.

    Com previsão de já ter o resultado esta semana, no entanto, a Cultura Inglesa — ainda de acordo com nossas fontes — preferiu não fechar com ninguém. Enquanto algumas das participantes receberam a mensagem de agradecimento pela participação, informando que já não estariam mais sendo consideradas no processo, outras vieram a saber que a decisão estava sendo protelada, sem mais informações se viriam a ter que apresentar mais alguma coisa. A surpresa que acabou gerando novas críticas é que, aparentemente, o adiamento se deveria à Cultura Inglesa estar convocando novas agências, inclusive de São Paulo, recomeçando a seleção, sem mesmo que estas novas convidadas soubessem que já teria havido um processo anterior.

    O marketing da Cultura Inglesa está sob o comando de Cristina Cadore, diretora de Mercado e Desenvolvimento, que tem como gerente Antonio Mota, ex-L’Oréal. E como a Janela não conseguiu todos os nomes das concorrentes, vamos evitar de citar as que sabemos ter participado.

    A Janela entrou em contato com a Quintal, detentora atual da conta, que não quis se manifestar. Tentamos também contato com a Cultura, mas a empresa não informa os telefones ou e-mails de seus executivos.

    Atualização

    A Cultura Inglesa enviou o seguinte comunicado à Janela, para justificar o convite a novas agências para a sua concorrência:

    A Cultura Inglesa realiza periodicamente concorrência para contratação de seus fornecedores, entre eles, agência de publicidade.
    Das 10 agências convidadas, 6 aceitaram participar do processo. Todas foram analisadas individualmente e, não tendo sido alcançado o número mínimo de agencias finalistas que atenderam aos critérios esperados, a empresa realizou nova chamada.
    As novas agências seguirão os mesmos prazos e critérios de avaliação das anteriores e concorrerão com as já habilitadas.

    PUBLICIDADE

    Tupi FM.

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Discussão

    1. Marcelo Santos

      Concordo com você Mauricio.
      As agências se submetem a concorrências desse tipo, a remunerações cada vez mais ridículas e no final apertam seus profissionais, exigindo que exerçam múltiplas funções, possuam diversas novas habilidades e domínio de ferramentas por uma remuneração cada vez menor também. É uma bola de M… O desespero e o medo travam as pessoas, e consequentemente os tomadores de decisões nas estruturas, que em um cenário de instabilidade que passamos aceitam essas condições e não enxergam o tamanho do mal que provocam ao mercado publicitário.
      Nosso mercado está se deteriorando dia a dia com essas atitudes.

    2. Mauricio Marquez

      É por isso que as agências estão quebrando….clientes que não respeitam os nossos negócios. Se as agências fossem unidas, esse seria um cliente para boicotar quando anunciassem uma concorrência. Quero ver o que fariam se não aparecesse agências dispostas a participar? Com certeza, mudariam a sua postura!

    seta