• Conselho Federal de RP intervém no Conrerp do Rio de Janeiro

    Marcelo Oliveira, presidente do Conrerp Rio

    O Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas (Conferp) entrou, esta semana, com intervenção na sua regional do Rio de Janeiro (Conrerp-1ª Região), presidida por Marcelo Oliveira (foto). O ato acontece depois que uma auditoria levantou dúvidas sobre as demonstrações financeiras da entidade carioca nos exercícios de 2019 e 2020. No ato de intervenção, o presidente do Conferp, Marcelo Tavares, destacou que a finalidade é sanear as irregularidades identificadas no relatório de auditoria.

    A Comissão Interventora será presidida por Ana Beatriz Benites Manssour e integrada ainda por Célia Christina de Almeida Padreca Nicoletti e Marcelo de Barros Tavares, que poderão até mesmo rescindir contratos do Conrerp Rio e pagar as suas dívidas.

    Atualmente, a diretoria do Conrerp Rio tem a seguinte formação:

    Presidente: Marcelo Oliveira
    Secretária Geral: Roberta Paraguassú
    Comissão de Comunicação: Margareth Doher
    Comissão de Eventos: Isa Gomes, Wyllian Igreja
    Comissão de Fiscalização: Renato Amorim, Diomedes Ferreira Junior
    Comissão de Cobrança: Ana Carolina Ferraz, Jorge Alberto Couceiro
    Comissão de Lobby e Governo: Celso Garcia, Natanael Azulai
    Comissão Acadêmica: José Alessandro, Rutelena Simas
    Consultoria Interna: Milton Costa

    A Janela entrou em contato com as duas entidades e não teve retorno até o fechamento desta matéria. No Conrerp Rio, o telefone indicado no site, (21) 2262-9352, retorna como inexistente, e o WhatsApp (21) 99605-2105, leva a alguém que não tem qualquer relação com a área de RP.

    ATUALIZAÇÃO EM 23/02

    O Conferp enviou carta aberta aos profissionais de RP do Rio esclarecendo que a intervenção sofrida pela regional do Conrerp da 1ª região teria sido solicitada pelo próprio presidente Marcelo Oliveira, que “viu a necessidade de um mapeamento geral, detalhado e autônomo para que pudesse identificar os pontos financeiro e contábil pendentes, de maneira a buscar soluções”.

    Diz o comunicado que se as correções identificadas por auditoria ficassem a cargo apenas do Conrerp, elas “demorariam muito a serem sanadas”.

    Nestes 90 dias previstos da intervenção, prorrogáveis por mais 90, o Conrerp terá “tempo e fôlego para que possa se reajustar e estabilizar”.

    PUBLICIDADE

    Marcio Ehrlich

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    20 + = 23

    seta