• Vereadores derrubam limite à publicidade da Prefeitura do Rio

    Eduardo Paes fazendo coraçãozinho

    Com 30 votos a favor da derrubada e 13 contra, caiu o artigo 49 da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022 (Lei nº 7.001/2021), que limitava em 0,01% do total das receitas orçamentárias correntes os gastos com publicidade e propaganda da Prefeitura do Rio. E que, assim, impedia o uso de mais de R$ 3 milhões para a publicidade municipal.

    A votação do Projeto de Lei 638/2021, ocorrida na quinta-feira, 18/11, na Câmara dos Vereadores do Rio, chegou a superar o resultado da primeira discussão, quando foram 24 votos a favor da retirada do artigo e 15 contra.

    E como nenhuma das emendas apresentadas ao PL 638 foi aprovada, manteve-se o texto original proposto pelo prefeito Eduardo Paes, seu autor, seguindo, agora, a modificação da LDO para a aprovação do executivo carioca.

    O vereador Átila A.Nunes (DEM), líder do governo Eduardo Paes na Câmara, destacou que mesmo o valor de R$ 126 milhões por ano ficará abaixo ao que foi investido em publicidade nos anos de 2014 e 2015, durante o segundo mandato do prefeito Eduardo Paes. “A previsão orçamentária para a cidade é de R$ 40 bilhões. A divulgação das ações da prefeitura permitem que a população possa cobrar e fiscalizar o poder público. Não podemos apequenar a cidade e criminalizar a publicidade governamental. Ela é necessária para alavancar a economia e atrair investimentos para o Rio”, citou.

    Toda a discussão entre os vereadores até chegar à votação final está a partir da página 28 do Diário Oficial da Câmara Municipal do Rio de Janeiro desta sexta, 19/11.

    E a licitação?

    Com a eliminação do artigo 49, perde sentido também a ação movida pelo vereador Pedro Duarte (Novo-RJ) na Justiça, que, alegava que a verba anual de R$ 126 milhões prevista na concorrência de publicidade lançada por Eduardo Paes desrespeitava o limite da LDO. E, por isso, motivou a decisão do Desembargador Fábio Uchoa Pinto de Miranda Montenegro de suspender o processo, que teria sua entrega de propostas marcada para 03/11 e precisou ser cancelada.

    Segundo fontes internas da prefeitura, como uma eventual liberação da concorrência pela Justiça não implicará em mudanças no edital — ou seja, as agências não precisarão alterar em nada suas pastas já fechadas –, o prazo para a remarcação da sessão inicial não deverá voltar ao zero e cumprir os 45 dias da legislação.

    A expectativa da área de comunicação da Prefeitura carioca é que, tão logo o prefeito Eduardo Paes sancione a decisão dos vereadores sobre o PL 638 — que afinal, foi ele mesmo que propôs –, a Comissão de Licitação possa marcar uma nova data para receber as agências ainda em dezembro de 2021.

    ATUALIZAÇÃO EM 20/11/2021

    No mesmo dia da queda do artigo 49, o Prefeito Eduardo Paes assinou a Lei 7.130, revogando o dispositivo:

    LEI Nº 7.130, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2021.
    Revoga o art. 49, da Lei nº 7.001, de 23 de julho de 2021.
    AUTOR: PODER EXECUTIVO.
    O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
    Art. 1º Fica revogado o art. 49 da Lei nº 7.001, de 23 de julho de 2021.
    Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
    EDUARDO PAES

    Agora é aguardar a decisão do desembargador.

    PUBLICIDADESBT Rio
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADETupi FM

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    Câmara do Rio pode derrubar limite à publicidade municipal (em 20/10/2021)

    Pedro Duarte consegue novamente suspender a licitação de Paes (em 27/10/2021)

    Prefeitura do Rio suspende entrega da licitação em 03/11 (em 01/11/2021)

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *

    code

    seta