• ABA divulga guia em que defende uma publicidade mais livre

    Sandra Martinelli e Nelcina Tropardi

    A Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) lançou nesta terça, 23/11, seu “Guia de Melhores Práticas ao Mercado Publicitário”, em que relaciona o que a entidade considera que seriam os princípios a nortear o relacionamento entre as empresas anunciantes com as agências e os veículos de comunicação.

    Tanto no subtítulo “Por uma Publicidade Livre, Pujante, Transparente, Ética e Responsável”, a ABA deixa claro que não aceita mais as regulações definidas por entidades como o Comitê Executivo das Normas-Padrão (Cenp), do qual ela se desligou no início este ano. A “livre negociação” é o primeiro dos princípios listados pelo Guia, seguido pelo que defende a “não obrigatoriedade de certificações”, que levam a determinações de que veículos só possam dar descontos a agências cadastradas no já citado Cenp.

    Por outro lado, a associação dos anunciantes, que tem Sandra Martinelli como presidente executiva e Nelcina Tropardi como presidente (foto), admite, no documento, que o BV é, sim, parte da remuneração das agências. E cita que “parece altamente recomendável a existência de um esforço conjunto dos anunciantes, agências e veículos para tornar o pagamento do BV bastante transparente entre as partes, uma vez que ele compõe a remuneração das agências e a transparência deve ser um norte inegociável para todos os agentes da cadeia”.

    O lançamento do Guia de Melhores Práticas ao Mercado Publicitário aconteceu durante o ABA’s Day, dia promovido pela entidade para encerrar seu ano de atividades, coincidindo com a inauguração da nova sede própria.

    Diz a associação que a produção do Guia envolveu centenas de convites, mais de 40 horas de trabalho voluntário e debates das mais de 80 lideranças do mercado, membros do Movimento pelas Boas Práticas do Mercado Publicitário Brasileiro. Participam deste grupo 30 anunciantes, públicos e privados; 15 agências e grupos de comunicação, 15 veículos e plataformas e 10 entidades do mercado. Vejam as lideranças dos grupos de trabalho:

    Livre negociação e estruturas de negócios: Denis Onishi, ex-presidente do Comitê de Mídia da ABA, e com suplência da Sheila Vieira, do Grupo Boticário e Presidente do Comitê de Sourcing da ABA.

    Compra e entrega de mídia: Liderado por Marco Frade, da Diageo e Presidente do Comitê de Mídia da ABA, e tem Flavia Molina, da Domino’s Pizza e Diretora da ABA, como suplente.

    Métricas de mídia: Liderou o GT Ivan Rysovas, do GPA, que contou com Ana Carolina, do Banco do Brasil, como suplente.

    Relacionamento entre agências e anunciantes: O GT é liderado por Frank Pflaumer, que tem como suplente Raquel Ogando, da BRF.

    O documento pode ser baixado diretamente no site da ABA.

    PUBLICIDADETupi FM
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADESBT Rio

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *

    code

    Discussão

    1. […] ABA divulga guia em que defende uma publicidade mais livre […]

    seta