• Bradesco critica em vídeo o consumo de carne e agronegócio propõe boicote

    Bradesco e o agronegõcio

    Um vídeo publicado pelo Bradesco em que as irmãs influenciadoras Verdes Marias recomendam a redução no consumo de carne — e ainda criticam a criação de gado por piorar o efeito estufa — está gerando uma enorme indigestão para o marketing do banco.

    Desde o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles a instituições ligadas ao agronegócio estão vociferando nas redes sociais contra o banco, que foi obrigado a se desculpar, mandar tirar o vídeo do ar — apesar de ele já ter sido compartilhado — e, pior, afirmar que “tomará ações administrativas internas severas”.

    A culpa é dos outros, diz o Bradesco

    Em uma “Carta ao Agronegócio”, a direção do banco estranhamente se eximiu de qualquer responsabilidade, como se as influenciadoras que postaram o vídeo não tivessem sido contratadas pela empresa:

    “Nos últimos dias lamentavelmente vimos uma posição descabida de influenciadores digitais em relação ao consumo de carne bovina, associadas à nossa marca”.

    E defendeu sua relação com o agronegócio.

    “O Bradesco acredita e promove direta e indiretamente a pecuária brasileira e por conseguinte o consumo de carne bovina. Reiteramos nossa lamenta pelo ocorrido e reforçamos mais uma vez nossa crença irrestrita na pecuária brasileira”.

    Tarde demais. O perfil “Pecuária Já” lançou a hashtag #adeusbradesco, com um vídeo convocando os pecuaristas a boicotarem o banco.

    A Estância Bahia Leilões, por seu diretor Maurício Cardoso Tonhã, postou “nota de repúdio” garantindo que retirou 100%¨de sua movimentação financeira na instituição, “indignados com o ato de insanidade” do Brasdesco.

    “É inacreditável que uma instituição financeira reconhecida preste um desserviço social como este, desaconselhando o consumo desta excelente fonte de proteína, cujos benefícios já foram cientificamente comprovados”, afirmou a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ).

    “O comercial do Bradesco agride quem trabalha e produz no campo”, protestou a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (Faet).

    Campanha da Leo Burnett

    A ação do Bradesco é parte de uma grande campanha produzida pela agência Leo Burnett Tailor Made — que incluiu um filme veiculado no intervalo do Fantástico em novembro — para promover a compensação de crédito de carbono dentro do app de mobile banking da instituição.

    Na época, o release falando das peças da campanha “Transforme o Futuro” chegou a citar o diretor de marketing do banco, Márcio Parizotto: “Conscientização e engajamento coletivo são essenciais para a agenda de sustentabilidade. Dessa crença vem a nova funcionalidade no aplicativo e também a campanha, que se propõe a educar e incentivar nossos clientes a contribuírem, de forma simples e transparente, para uma causa maior: o futuro do planeta”, disse o executivo.

    No release distribuído pela LBTM foram citadas ainda peças digitais em Facebook, Instagram e Tik Tok, impressos, OOH e spot de rádio.

    A Janela entrou em contato com a assessoria de imprensa da Leo Burnett e a resposta é que a agência não foi autorizada a comentar o assunto.

    Márcio Parizotto e os demais profissionais do marketing do Brasdesco também não se manifestaram.

    Ficam no ar, então, as perguntas: o Bradesco está mesmo acusando de loucas as influenciadoras Mariana, Maria Carolina e Maria Clara, por terem feito sozinhas o vídeo e botado a marca do Bradesco sem ninguém do banco saber? Ou alguém lá dentro aprovou o trabalho?

    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADETupi FM e NovaBrasil FM

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E. Atualmente, além da versão online da Janela, mantém um quadro semanal sobre publicidade na Tupi FM e na TV Max.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    *

    code

    Discussão

    1. Ademir Moreira

      As influenciadoras Mariana, Maria Carolina e Maria Clara trabalham de gratis sem a orientação e controle do bradesco.

      1. Marcio Ehrlich

        A Janela tentou contato com elas. Perguntaram o assunto e informamos por e-mail que gostaríamos de dar o lado delas na história. Não se preocuparam em responder.

    2. ROBINSON Farinazzo CASAL

      Em consequência de sua campanha de publicidade infeliz, a qual desagradou profundamente o agronegócio, o banco Bradesco já vem sofrendo protestos de pecuaristas há dez dias;
      Trata-se de uma duração bastante significativa, o banco não está conseguindo conter a sangria e a sua imagem provavelmente ficará manchada por anos ou décadas;
      Na manhã de hoje (04/01) os vídeos atacando o banco já somavam 2.500.000 visualizações, fora as demais redes sociais, o que caracteriza um completo desastre;
      Dada a gritante inabilidade das lideranças do banco em reverter o quadro negativo nesse já grande espaço de tempo, ficam diversas perguntas:
      1- Os departamentos de marketing querem vender um serviço ao público ou desejam meramente propagar uma ideologia?
      2- Esses setores enxergam os pecuaristas como clientes a serem conquistados ou inimigos a serem combatidos?
      3- O banco se enxerga como indutor da economia ou como um agente do proselitismo de ideias que estão totalmente em desacordo com o modo de vida brasileiro?
      4- Porque ao invés de gastar tempo e dinheiro dos acionistas com campanhas que difamam o principal setor da economia brasileira, o banco não se dedica a ajudar causas sociais como o combate à pobreza ou a melhora do sistema de ensino?
      5- Quem realmente comanda o banco, acionistas pragmáticos ou um departamento de marketing que vive na lacrolandia?
      A conclusão óbvia é que vivemos numa era de mediocridades, com líderes incapazes de lutar pelos verdadeiros interesses de seu país e de se impor sobre jovens que macaqueiam tudo o que vem do exterior.
      Pobre Brasil.
      https://youtu.be/95zj0bhtypw?sub_confirmation

    3. Luciano

      As cartas de desculpas só teriam sentido se acompanhadas das demissoes dos diretores de Marketing e comunicação que encomendaram e aprovaram a peça. Qualquer atitude fora disso é vitimismo e querer terceirizar maldosamente a responsabilidade .

    4. Axel Vergueiro

      Será que alguém aí por acaso está pensando que a direção do Bradesco se reuniu com a agência pra bolar uma campanha contra o agronegócio? Contra seus clientes pessoa jurídicas? Isto foi apenas um acidente desses tempos confusos e extremados do politicamente correto. O mundo pirou. Lacração é coisa de quem deixou de pensar grande. (Ou nunca pensou)

    5. Rubens

      Se alguem aprovou, merece a demissao.
      Simples assim.

      Pegaram influenciadoras que possivelmente leram textos sobre a realidade americana (la o gado nao eh criado em pasto) e, de forma completamente errada, transportaram isso para o Brasil, onde a realidade eh completamente diferente da americana.

    seta