• Monark não poderá ter novo canal monetizado, diz o YouTube

    Bruno Aiub, o Monark

    A defesa da existência de um partido nazista do Brasil está rendendo mais prejuizos ao ex-sócio do canal Flow Podcast, Bruno Aiub, o Monark.

    Ao tentar abrir um novo espaço no YouTube, recebeu um aviso de que pode fazer quantos canais quiser, mas ganhar dinheiro com isso, não mais.

    Monark até protestou publicamente de que o YouTube está limitando sua liberdade de expressão. Mas a empresa esclareceu que “preocupam-nos as recentes declarações relacionadas ao nazismo em um de seus canais, que podem causar danos significativos à comunidade e que, além disso, violam nossas políticas”.

    Não ficou claro se Monark estava novamente bêbado, como alegou que estava ao promover o partido nazista, mas em novo vídeo, pedindo ajuda aos internautas, sugeriu que pessoas poderosas estariam querendo destruí-lo completamente.

    Este foi o pronunciamento oficial do YouTube:

    “Nossas Políticas de Monetização de Canais e o Código de Responsabilidade dos Criadores estabelecem que não é permitido comportamento ofensivo que coloque em risco a segurança e o bem-estar da comunidade do YouTube, formada por espectadores, criadores e anunciantes. A violação dessas políticas pode fazer com que o canal seja suspenso do Programa de Parcerias do YouTube e, consequentemente, ser desmonetizado. Dessa forma, os canais Flow Podcast e Monark foram suspensos do Programa de Parcerias.

    Qualquer tentativa de burlar essa restrição, seja com a criação de um novo canal para ser monetizado ou utilizando canais de terceiros para fins de monetização, é considerada uma violação aos Termos de Uso do YouTube e pode resultar em um encerramento definitivo da conta.

    Reforçamos que, no caso de suspensão do Programa de Parcerias, o usuário ainda pode produzir conteúdo e subi-lo em seu canal, bem como criar novos canais, porém esse conteúdo não poderá ser monetizado e os novos canais não poderão fazer parte do Programa de Parcerias. Todo o conteúdo publicado na plataforma, independentemente de ser monetizado ou não, deve seguir as Diretrizes da Comunidade do YouTube.

    O usuário que for suspenso do Programa de Parcerias do YouTube poderá solicitar nova inclusão para voltar a ter acesso a todas as ferramentas de monetização e o pedido será analisado pela plataforma.”

    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADETupi FM e NovaBrasil FM

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    *

    code

    seta