• Fenapro: agências que atenderem preços da Petrobras podem ter certificação suspensa

    Petrobras - Sede - Noturna

    A poucos dias da data de entrega das propostas para a concorrência da Petrobras, a Fenapro comunicou à petroleira que o Cenp poderá suspender ou até cancelar a certificação das agências que aceitarem as exigências do edital.

    O alerta consta da impugnação que a Federação Nacional das Agências de Propaganda deu entrada junto à Petrobras na última terça, 05/04, e que a estatal já respondeu nesta sexta, 08/04, que não aceitará, mantendo no dia 19/04 a sessão de recebimento das propostas de sua chamada “Oportunidade 7003756373”.

    A Petrobras vem sendo intransigente em relação às suas condições. Já recusou a impugnação da Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap), que afirmava que “as agências pagarão à Petrobras para trabalhar para ela”.

    Depois, recusou a solicitação do Sindicato das Agências de Propaganda do Rio (Sinapro-RJ) de republicar o edital e dar novo prazo de 45 dias para as agências, no máximo adiando a entrega de 12/04 para 19/04.

    Petroleira irredutível

    E agora, a Petrobras rapidamente descartou as demandas da Fenapro. E que haviam sido bastante incisivas, chegando a acusar a Comissão de Licitação de ter uma “conduta rançosa” ao criar uma interpretação própria para a contratação de serviços publicitários.

    A Fenapro, lastreada em posicionamento do Cenp, informou à Petrobras que as agências que derem entre 5% a 10% de desconto sobre o valor da mídia — como pede o edital — estarão infringindo as Normas Padrão e poderão perder a sua certificação. E aí, como ficariam seus contratos com a Petrobras, se a petroleira exige que a agência seja certificada?

    A representante das agências, em mensagem assinada pelo seu presidente Daniel Queirós, foi enfática em sua comunicação. “É intolerável que uma empresa estatal cresça às custas de uma remuneração – por si só mínima – de outras que lhe prestam serviços de comunicação publicitária, colaborando direta e objetivamente para o seu crescimento”, disse o executivo.

    A Fenapro chegou a ponderar que, “neste momento difícil que o Brasil atravessa – haja vista o preço do próprio combustível constantemente reajustado”, a Petrobras não poderia pedir às suas agências que repassem a ela 50% da principal receita que auferem e e ainda assumam “todas as despesas decorrentes das obrigações que o Contrato lhes impõem”.

    Não adiantou. O edital continuará igual, definiu a Comissão de Licitação. Ou seja, as agências que se apresentarem no dia 19/04 já sabem o que lhes espera.

    PUBLICIDADETupi FM e NovaBrasil FM
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    Sinapro-RJ quer que Petrobras adie a sua concorrência (em 30/02/2022)

    Abap afirma que edital da Petrobras prejudica as agências e pede a sua impugnação (em 25/02/2022)

    Petrobras abre disputa para duas novas agências com verba de R$ 375 milhões (em 04/02/2022)

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    *

    code

    seta