• Banco Central completa seis meses sem revelar os resultados da sua concorrência

    Banco Central do Brasil - Entrada

    O que aconteceu com Guilherme Sousa Rocha, Armando Carlos Weber e Renata Melo de Oliveira Barbosa?

    Se você não está ligando os nomes às pessoas, estes são os julgadores sorteados para a concorrência de publicidade do Banco Central (Bacen) e que estão há seis meses — completados exatamente neste dia 04 de maio –, em seu poder, com as pastas das nove agências que disputam a conta, sem dar qualquer resposta sobre as notas que elas alcançaram.

    Estão participando do processo Artplan, Binder, Brado, Cálix, Conceito, Fields, Heads, Nova/SB e Propeg, interessadas na verba anunciada de R$ 30 milhões para apenas uma vencedora.

    Encontro complicado

    Em março último, a Janela já havia consultado o Bacen sobre o andamento da licitação, recebendo como resposta da assessoria de imprensa de que “o julgamento das propostas técnicas foi impactado pelo final de ano, com a indisponibilidade sucessiva de seus membros, que precisam se reunir de forma presencial para realizar a análise”.

    Portanto, só após Guilherme, Armando e Renata fornecerem para a Comissão Técnica as respectivas planilhas de julgamento é que os licitantes poderiam ser convocados para a segunda sessão pública, de revelação das notas.

    Passado mais de um mês, voltamos esta semana a questionar o Banco Central, e a resposta da assessoria de imprensa foi lacônica: “a subcomissão técnica continua analisando as propostas”.

    Terá sido agora por conta do Carnaval de abril?

    Histórico mais complicado ainda

    A concorrência do Bacen dar problemas não é exatamente uma novidade. Lançada em 2020, ela chegou a ser suspensa duas vezes.

    A terceira tentativa aconteceu em 09/2021, convocando as agências para entregarem suas propostas em 04/11 daquele ano.

    Nos relatórios publicados pelo Governo Federal, ao menos até 2021, localizamos o último contrato do Banco Central com a agência Nova/SB, a partir de 04/2014, no valor de R$ 31,75 milhões. Pelo limite de cinco anos com a agência, a partir de 2019 o Bacen deveria abrir nova seleção, o que só aconteceu no ano seguinte.

    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADE
    PUBLICIDADETupi FM e NovaBrasil FM

    LEIA TAMBÉM NA JANELA

    São nove agências na disputa pelos R$ 30 mi do Banco Central (em 04/11/2022)

    Banco Central abre pela terceira vez sua licitação. Agora vai? (em 20/09/2021)

    Banco Central suspende pela segunda vez sua concorrência (em 10/08/2021)

    Banco Central retoma concorrência suspensa em 2020 (em 14/07/2021)

    Banco Central suspende concorrência para mexer no edital (em 17/10/2020)

    Banco Central abre concorrência para publicidade (em 11/09/2020)

    Marcio Ehrlich

    Jornalista, publicitário e ator eventual. Escreve sobre publicidade desde 15 de julho de 1977, com passagens por jornais, revistas, rádios e tvs como Tribuna da Imprensa, O Globo, Última Hora, Jornal do Commercio, Monitor Mercantil, Rádio JB, TV S e TV E.

    Envie um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    *

    code

    seta